Pontos Cantados

“A música é, reconhecidamente, uma das melhores formas de chegar ao interior do ser humano, colocando-o em sintonia com o encantamento capaz de desvelar a manifestação do mundo através do transe mediúnico.
Os pontos cantados são cantigas ingênuas, sem preocupações academistas de rima ou silabação. São preces extraídas da alma popular e transmitidas sonoramente com singelos recados, advertências, louvores, invocações e contentamento entre as criaturas do plano físico e astral” (trecho extraído de um artigo no jornal “Caminheiros da Luz”.
Quando são entoados os pontos, os médiuns concentram-se nas palavras e nas melodias, abstraindo suas mentes de todas as preocupações e pensamentos mundanos,
facilitando assim o contato com o plano astral, proporcionando às entidades o caminho necessário para a plena incorporação.
As batidas dos atabaques provocam as ondas de vibração que enlevam o médium fazendo com que todo o seu corpo vibre e entre em sintonia com a entidade que está sendo chamada, diminuindo a possibilidade de uma incorporação incompleta.
Quanto maior for a entrega do médium, quanto mais ele se deixar levar pelas vibrações dos atabaques e pela cantiga, melhor e mais forte será sua incorporação.





Curimba

 Curimba é o nome que damos para o grupo responsável pelos toques e cantos sagrados dentro de um terreiro de Umbanda. São eles que percutem os atabaques (instrumentos sagrados de percussão), assim como conhecem cantos para as muitas “partes” de todo o ritual umbandista. Esses pontos cantados, junto dos toques de atabaque, são de suma importância no decorrer da gira e por isso devem ser bem fundamentados, esclarecidos e entendidos por todos nós.
Muitas são as funções que os pontos cantados têm. Primeiramente uma função ritualística, onde os pontos “marcam” todas as partes do ritual da casa. Assim temos pontos para a defumação, abertura das giras, bater cabeça, etc.
Temos também a função de ajudar na concentração dos médiuns. Os toques assim como os cantos envolvem a mente do médium, não a deixando desviar – se do propósito do trabalho espiritual. Além disso, a batida do atabaque induz o cérebro a emitir ondas cerebrais diferentes do padrão comum, facilitando o transe mediúnico. Esse processo também é muito utilizado nas culturas xamânicas do mundo afora.

Entrando na parte espiritual, os cantos, quando vibrados de coração, atuam diretamente nos chacras superiores, notavelmente o cardíaco, laríngeo e frontal, ativando – os naturalmente e melhorando a sintonia com a espiritualidade superior, assim como, os toques dos atabaques atuam nos chacras inferiores, criando condições ideais para a prática da mediunidade de incorporação.
As ondas energéticas – sonoras emitidas pela curimba, vão tomando todo o centro de Umbanda e vão dissolvendo formas – pensamento negativas, energias pesadas agregadas nas auras das pessoas, diluindo miasmas, larvas astrais, limpando e criando toda uma atmosfera psíquica com condições ideais para a realização das práticas espirituais. A curimba tranforma – se em um verdadeiro “pólo” irradiador de energia dentro do terreiro, potencializando ainda mais as vibrações dos Orixás.
Os pontos transformam – se em “orações cantadas”, ou melhor, verdadeiras determinações de magia, com um altíssimo poder de realização, pois é um fundamento sagrado e divino. Poderíamos chamar tudo isso de “magia do som” dentro da Umbanda.

A Curimba também é de suma importância para a manutenção da ordem nos trabalhos espirituais, com os seus pontos de “chamada” das linhas, “subida”, “firmeza”, “saudação”, etc. Entendam bem, os guias não são chamados pelos atabaques como muitos dizem. Todos já encontram – se no espaço físico - espiritual do terreiro antes mesmo do começo dos trabalhos. Portanto a curimba não funciona como um “telefone”, mas sim como uma sustentadora da manifestação dos guias. O que realmente invoca os guias e os Orixás são os nossos pensamentos e sentimentos positivos vibrados em vossas direções. Muitas vezes ao cantar expressamos esse sentimentos, mas é o amor aos Orixás a verdadeira invocação de Umbanda.
Falando agora da função de atabaqueiro e curimbeiro, ou simplesmente da função de “ogã” como popularmente as pessoas chamam na Umbanda, enfatizamos a importância deles serem bem preparados para exercerem tal função em um terreiro. Infelizmente ainda hoje a mentalidade de que o ogã é “qualquer um que não incorpore” persiste. Mas afirmamos, o ogã como peça fundamental dentro do ritual é também um médium intuitivo que tem como função comandar todo o “sector” da curimba. Por isso faz - se necessário que seja escolhido uma pessoa séria, estudada, conhecedora dos fundamentos da religião.
Além disso, o ideal é que o “neófito” que busca ser um novo ogã procure uma escola de curimba, onde aprenderá os fundamentos, os toques de nação e “como”, “o quê” e “quando” cantar.

Mulheres também podem ser atabaqueiras e curimbeiras, SIM! O “cargo” de ogã vem do candomblé e apenas é dado a pessoas do sexo masculino. A mulher no Candomblé não toca atabaque, por alguns dogmas da religião, principalmente em relação à menstruação. Na Umbanda não importamos dogmas e conceitos do candomblé, mas sim seguimos os nossos, passados diretamente pelos nossos guias e mentores. Nuca vimos um caboclo ou preto – velho proibindo mulher de tocar atabaque, por isso afirmamos, na Umbanda mulher toca e canta sim e, diga – se de passagem, muitas vezes melhor do que os próprios homens.
Por fim, queremos fazer alguns comentários a cerca da espiritualidade que guia os trabalhos da curimba. Muitas linhas de Umbanda existem no astral e trabalham ativamente nele, apesar de não incorporarem. Existem muitas linhas de caboclos, exus, pomba – giras, etc, que por motivos próprios trabalham nos “bastidores”, sem incorporarem ou tomarem a “linha de frente” dos trabalhos espirituais. Também existe uma corrente de espíritos que auxiliam nos toques e cantos da curimba. São mestres na música de Umbanda, verdadeiros guardiões dos mistérios do “som”. Normalmente apresentam – se com a aparência de homens e mulheres negras, com forte complexão física para os homens, e bela mas igualmente forte para as mulheres. Seus trajes variam muito, indo desde a roupagem mais simples como um “escravo” da época colonial, como até mesmo o terno e o vestido branco.
São espíritos bondosos, muito alegres e divertidos, que com o cantar encantam a muitos no astral. Alguns fazem – se presente auxiliando o toque, outros o canto e outros ainda auxiliam a manutenção da energia e sua dissipação dentro do terreiro. Muitas vezes chega a acontecer uma espécie de “incorporação” desses guias com os ogãs, os inspirando a determinados toques e cantos. Qualquer pessoa com experiência em curimba pode relatar casos aonde um ponto vem na hora que ele é necessário e depois você simplesmente o esquece. Isso acontece sobre inspiração desses mentores.

Algumas vezes também, em festas de Umbanda e dos Orixás, onde muitos se reúnem, percebemos que diversos espíritos chegam trazendo seus “tambores astrais”, percutindo – os a partir do astral, ajudando na sustentação e na energia das festividades, potencializando ainda mais os toques dos atabaques e as energias movimentadas.

Quando os Guias, incorporados fazem sua saudação à frente dos atabaques, estão saudando as pessoas que tocam, estão pedindo para que as forças movimentadas pela curimba sejam benéficas a todos, mas estão principalmente, saudando e agradecendo a toda essa corrente de trabalhadores “anônimos” do astral. Estão percebendo como muita coisa foge aos nossos sentidos em uma “simples” e humilde gira de Umbanda?

Sabemos que esse universo da curimba muitas vezes é pouco explicado, e muitos chegam a defender a abolição dos atabaques dos centros de Umbanda. A isso, os próprios guias e mentores de Umbanda respondem, tanto incentivando os toques e trazendo mentores nesse “campo” , como também, abrindo turmas de estudo de Umbanda e desenvolvimento mediúnico, onde percebemos claramente que o “animismo” acontece por despreparo do médium, falta de estudo ou rientação e não pelo uso de atabaques. Colocar a culpa nos atabaques é como “tampar o sol com a peneira”. Afinal, como explicado parágrafos acima, o atabaque quando bem utilizado é ótima ferramenta para o desenvolvimento mediúnico.






Pontos de oxalá






Meu Pai Oxalá é o Rei     Oxalá grande criador

Meu pai Oxalá é o rei venha me valer
E o velho Omulu atotô abaluaê
atotô baluaê atotô babá atotô é orixá
   
....................

Oxalá criou a terra
Oxalá criou o mar
Oxalá criou o mundo
Onde reina os Orixás

A pedra deu pra Xangô
Meu pai é rei justiceiro
As matas deu para Oxosse
Caçador grande guerreiro
Mas a pescaria farta
Ele deu para Yemanjá
Os rios deu para Oxum
Os ventos para Oyá
Grandes campos de batalha
Deu para Ogum guerreiro
Campinas Pai Oxalá
Deu para seu boiadeiro
Já os lindos gramados
Deu para as crianças brincar
Oxalá criou o mundo
Onde reina os Orixás


O poço deu para Nanã
A mais bela Orixá
E o cruzeiro bendito
Deu pras almas trabalhar
Finalmente deu as ruas
Com estrela e luar
Para Exú e Pomba Gira
Nossos caminhos guardar
Oxalá tem pena de nós
Oxalá, meu pai
Tem pena de nós, tem dó, a
A volta do mundo é grande,
Seus poderes são maior
Oxalá é quem governa
Oxalá é quem governa o mundo
S ó ele pode Governar
Foi ele quem nos deu a luz
Clareou a Umbanda
Deu força aos Orixás


 

PONTOS DE OXALÁ

 

 



Pontos de Linha de OXALÁ
 1.
Abre a porta, oh gente
Que aí vem Jesus
Ele vem cansado
Com o peso da cruz
Vem de porta em porta
Vem de rua em rua
Pra salvar as almas
Sem culpar nenhuma


 2.
Oxalá, meu Pai
Oxalá, meu Pai
Quem é seu filho de fé
Balanceia, mas não cai.


 3.
Oxalá, seus filhos lhe pedem auxílio
Vinde a eles ajudar
Derramai vossos olhos piedosos
A estes filhos de fé.


 4.
Maior do que Deus ninguém
Maior do que Deus não há
Ora viva Deus, meus irmãos
São tantos os que mandam nesta terra
Maior é Deus


 5.
Jesus Cristo é nosso Pai aruê
É filho da Virgem Maria aruê
Lá do alto do calvário aruê
É a estrela que nos guia aruê


 6.
Nós vamos nos curvar
Perante a luz de Deus
Rogamos ao nosso Pai
As bênçãos pros filhos seus


 7.
Bendito, bendito Jesus
Filho da Virgem Maria
Expande a Vossa Luz
No reinado deste dia


 8.
Estrela de Oxalá brilhou, brilhou
Estrela de Oxalá no jacutá chegou


 9.
Salve o mar sagrado
Por onde caminhou Jesus
Abençoai meus passos
Para que eu possa carregar a minha cruz


 10.
Oh pescador da Galiléia
Tu és discípulo de Jesus
Segue com esse filho amado
Que no espaço segue a luz


 11.
Lá no alto da montanha
Eu ouço o grito de Jesus
Eu sofro tanto, oh Virgem Santa
Ajuda a carregar a cruz
Oh Maria, oh Maria
Vós que sois enviada por Deus
Oh Maria, oh Maria
Auxiliai esses filhos seus


 12.
Olha que cruz tão pesada, senhor
Foi que Jesus carregou


 13.
Justina, tu és uma estrela
Que guiou o nosso guia ao redentor
Guiai-me com o seu castelo
Aos pés da Virgem Maria Imaculada


 
 14.
Nossa Senhora pediu
Ao seu filho redentor
Que não deixasse esse mundo
Tenha dó dos pecadores


 15.
Ora viva Deus, ora viva Jesus
Ora viva a fé, na Santa Cruz


 16.
A nós desceu divina luz
No mais profundo abismo
Sem fim, sem fim e sem errar


 17.
Estrela do céu que guiou nosso Pai
Guiai esse filho que vai
Viva Jesus nosso redentor
Que na Santa Cruz
Seu sangue derramou

 
 18.
Pombinho branco mensageiro de Oxalá
Leva esta mensagem
De todo coração até Jesus
Diga a ele
Que somos soldados de Umbanda
Saravá nossa banda, nosso pai é Oxalá

 
 19.
Ela é uma pombinha branca, mas não é
Ela é uma pombinha branca
Ela é Jesus, é de Nazaré.

 
 20.
Bendito e louvado seja
O nome de Oxalá a a
E manda pro fundo do mar, Yemanjá
Os pedidos dos filhos de Oxalá


 21.
Oi dai licença meu Pai Oxalá
Dai-me licença minha mãe Yemanjá
Se meu pai é o rei do mundo
Minha mãe é a rainha do mar


 22.
Rosa vermelha representa Ogum
Rosa amarela Iansã, Oxum
A rosa branca representa Yemanjá
Representa também nosso pai Oxalá


 23.
Andorinha voou
Os anjinhos foram buscar
Quando voltou
Salve grande Oxalá
Tenham fé meus cafios
Que em mesa de Umbanda
Oxalá tem que vencer


 24.
Como gira ê como gira
Como gira dentro do gongá
Oh gira para filhos de fé
Como gira ê como gira
Como gira dentro do gongá
Oh como gira filhos de fé
Vamos salvar a guia
Do nosso Pai Oxalá


 25.
Jesus Cristo é nosso Pai, aruê
É filho da Virgem Maria, aruê
Por entre espadas e lanças, aruê
O santo nome de Jesus, aruê


 26.
Oxalá, enviai teus Guias
És o nosso protetor
Nós somos filhos de Deus
E Oxalá Nosso Salvador



 27.
Eu vi brilhar
Lá no horizonte eu vi brilhar
Era uma Luz
Era uma Estrela Nosso Rei Oxalá
Ele vem, ele vem,
Do além, do além
Traz paz e amor a quem no mundo faz


 28.
Oxalá, Senhor do sétimo céu
Dá sua benção, meu Pai
Aos meus irmãos cá na terra
Aos meus irmãos de missão
Dai sua benção, meu Pai


 29.
Quando Jesus nasceu uma estrela brilhou
Anunciando ao mundo a vinda do Senhor
Oxalá Divino venha nos salvar
Abençoai seus filhos e também o congá


 30.
Oxalá vai abençoar
Os seus filhos no Congá
Vai pedir a Virgem Santa
Pra seus filhos ajudar
Oxalá é Rei na Umbanda
E seu Reino é de Luz
Ilumina os caminhos
Que até Ele conduz





Pontos de Ogum




PONTOS DE OGUM


1-PONTO DE OGUM IARA

Se meu Pai é Ogum, Ogum
Vencedor de demanda
Ele vem de Aruanda
Pra salvar filhos de Umbanda
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Salve os campos de batalha
Salve a Sereia do Mar
Ogum, Ogum Iara

2- PONTO DE OGUM


Ogum olha a banda auê, ah
Ogum olha a banda auê, ah

Oh! Meu São Jorge
Toma conta da umbanda
Que Ogum está de ronda
Olha a Umbanda auê, ah

3- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Lá vai o sol, ele vai girar
Ele vai girar na linha de Umbanda
Ele vai girar.

4- PONTO DE SÃO JORGE

E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
Sarava Meu Pai
Sarava Meu Pai
Girar é bom, girar é bom, girar é bom
É bom girar

5- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar

6- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum, Ogum Megê
Sua bandeira cobre os filhos de Jesus
Ogum iê!

7- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Se o céu é lindo
O mar também é
Se o céu é lindo
O mar também é
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar

8- PONTO DE SÃO JORGE

Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.

9- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Sete Ondas
Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Beira Mar
Pisa na linha de Umbanda
Ogum Iara, Ogum Megê
Olha a Umbanda, Ogum iê

10- PONTO DE OGUM

Nesta casa de guerreiro
Vim de longe pra  rezar
Rogo a Deus pelos doentes
Na fé de Obatalá
Ogum salve a Casa Santa
Os presentes e os ausentes
Salve nossas esperanças
Salve os velhos e crianças
Nego veio e ensinou
Na cartilha de Aruanda
E Ogum não esqueceu
Como vencer a Quimbanda
A tristeza foi embora
Na espada de um guerreiro
E a luz no romper da aurora
Vai brilhar neste terreiro.

11-PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar

12- PONTO DE OGUM

Por entre matas
Por entre mares e terra
Por entre matas
Por entre mares e terra
Eu entendi o que meu Pai quis dizer
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar

13- PONTO DE OGUM MEGÊ

Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá

14- PONTO DE SETE ONDAS

Ó filhos de Umbanda
Seu Sete Ondas
Vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda
Nos abençoar

15- PONTO DE BEIRA MAR

Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Iansã virou o tempo
Pra Oxum não governar
Mas durante o barra vento
Oxum se pois a cantar
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê

16- PONTO DE OGUM

Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Vou pedir ao criador
Que derrame o seu amor
Aos nossos guias
E ao nosso Babalaô

17- PONTO DE OGUM

Ogum guarde as pedreiras
Mandado por Oxalá
Com a espada, e com a lança, Ogum
Seus filhos vêm ajudar

18- PONTO DE OGUM

Iemanjá cadê Ogum
Foi com Oxossi ao Rio Jordão
Foram saudar São João Batista
E batizar Cosme e Damião

19- PONTO DE OGUM IARA

Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Sua bandeira cobre
Todos os filhos de Jesus
Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Auê, seu Ogum Iara
Aos pés da Santa Cruz

20- PONTO DE OGUM DE RONDA

Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar

21- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma bandeira
E mandar ele girar
Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma  bandeira
E mandar ele girar
Se ele é capitão ele vai girar
E se for de Angola também vai girar
E se for Ogum de Lei – ele vai girar
E se for de Nagô – também vai girar

22- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Eu tenho 7 Espadas pra me proteger
Eu tenho 7 Espadas pra para vencer
Eu tenho Ogum em minha companhia
Ogum é meu Pai
Ogum é meu Guia
Ogum 7 Espadas
É filho da Virgem Maria

23- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar

24- PONTO DE SÃO JORGE

Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair

25-PONTO DE OGUM

Ogum que está de ronda
Não deixa a demanda entrar
É hora, é hora, é hora Ogum
É hora de comandar

26- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Quando ele vem
Vem beirando a areia
Na mão direita ele trás
A guia de Mamãe Sereia

27- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Clareia o congá de Beira Mar
Clareia
Clareia os filhos do congá

28- PONTO DE OGUM

Na porta da Romaria
Eu vi um cavaleiro de ronda
Trazia um escudo no braço
E uma lança na mão
Mostrando que matou o dragão
Mostrando que matou o dragão

29- PONTO DE OGUM MEGÊ

Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
è Ogum Megê, oh ganga
Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
è Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
è Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
è Ogum Megê, oh ganga

30- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Estava na beira da praia
Quando eu vi 7 Ondas, rolar
Abre a porta, oh gente
Que ai vem Ogum
Em seu cavalo marinho
Ele vem trabalhar

31- PONTO DE OGUM

Olha Ogum ta de ronda
Quem está chamando é São Miguel
Réu, réu, réu
Na linha de Umbanda
Quem está chamando é São Miguel

32- PONTO DE OGUM

Ogum foi praça de cavalaria
Ogum foi praça de cavalaria
Foi Capitão e Major de dia
Foi Capitão e Major de dia

33- PONTO DE OGUM

Ogum, olha a sua  bandeira
è branca, é verde e encarnado
Ogum, olha a sua  bandeira
è branca, é verde e encarnado
Ogum, nos campos de batalha
Ele venceu a guerra
Sem perder soldado

34- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Quando eu morrer
Vou passar lá na Aruanda
Sarava Ogum de Lei
Sarava Ogum de Umbanda

35- PONTO DE SÃO JORGE

O Jorge, o Jorge
Vem de Aruanda
Vem salvar os vossos filhos
São Jorge venceu demanda
Ogum, Ogum
Ogum meu Pai
O senhor mesmo é quem disse
Que filho de Umbanda não cai

36- PONTO DE OGUM

Ogum, que abalou as estrelas
Que abalou as areias
E as ondas do mar
Ogum, a hora é boa
Abre os caminhos
Firma esse congá

37- PONTO DE OGUM NARUÊ

Olha Ogum Naruê chegou
Olha Ogum Naruê  baixou
Sou filho de Umbanda
Ogum já me salvou

38-PONTO DE OGUM MATINATA

Que cavaleiro é aquele
Que vem caminhando pelo céu azul
É seu Ogum Matinata
Ele é defensor
Do Cruzeiro do Sul
É, é, é
Seu Cangira
É, é, á
Seu Cangira
É, é, é
Seu Cangira
Pisa na Umbanda

39- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ele trabalha na terra meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Salve Ogum Beira Mar

40-PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá

41- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum Megê
General de Umbanda
Em seu cavalo seu Ogum foi guerrear
Com sua espada
Com sua lança
Venceu demanda nos campos do Humaitá
Ogum Megê

42-PONTO DE OGUM MEGÊ

O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê

43-PONTO DE SÃO JORGE

No seu cavalo branco
Ele vem montado
Calçado de botas
E bem armado
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso protetor
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso salvador

44- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Beira Mar, auê, Beira Mar
Beira Mar quem está de ronda é militar
Ogum já jurou bandeira
Na porta do Humaitá
Ogum já venceu demanda
Vamos todos sarava

45- PONTO DE SÃO JORGE

Eu pedi caridade
São Jorge me deu
Eu pedi caridade
Pelo amor de Deus

46- PONTO DE OGUM

Olha Ogum está de ronda
Miguel tá chamando
Eu não sei onde é
É, é
Eu não sei onde é
É, é

47- PONTO DE OGUM

Ogum partiu pra guerra
Oxalá deu carta branca
Ogum venceu a guerra
São Jorge venceu demanda
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu

48- PONTO DE OGUM

Marchai, marchai
Ogum de guia
Estrela D Alva
E da Virgem Maria
Oh vem, com sua espada
Vem salvar seus filhos
Que se acham em agonia

49- PONTO DE OGUM DE LEI

Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Diz Ogum é de Lei, lê, lê
Diz Ogum é de Lei, lá, lá
A coroa de Ogum  de Lei
Só Deus pode tirar

50- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Olha Ogum vai se embora
Pra sua banda
Olha banda com banda Katinguelê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê

51- PONTO DE SÃO JORGE

Quem está de ronda é São Jorge
São Jorge é quem vem rondar
Abre a porta, ô minha gente
Deixa a falange de São Jorge entrar
Quem está de ronda é São Jorge
Toda noite, todo dia
Quem está de ronda é São Jorge
Nossa Senhora da guia
Quem está de ronda é São Jorge
Minha mãe me diga o que é
Quem está de ronda é São Jorge
Velando os filhos de fé

52-  PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Eu vi o sol raiar
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu Rompe Mato
Ogum das matas
Passeando á beira mar

53- PONTO DE OGUM

Ogum é todo Malé
Malé ô linha Nagô
Ogum é todo Malé
Malé ô linha ô

54- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ele jurou bandeira
Ele tocou clarim
E o exército todo
É comandado por Ogum
Salve Ogum Iara
Salve Ogum Megê
Salve Ogum Matinata
Salve Ogum Naruê

55- PONTO DE OGUM ARRANCA TOCO

Ele vem com a justiça de Xangô
Ele traz Iansã e Iemanjá
Ele vem com Oxossi das matas
Ele traz o amor de Oxalá
Ogum, vencedor de demanda
Estrela clareou sua banda
 Na sua aldeia ele é caboclo
Ogum Arranca Toco

56-PONTO DE LINHAS DE OGUM

General Tatá de Umbanda
Ogum é general
Se ele é Ogum Iara
Ogum é general
Se ele é Ogum Matinata
Ogum é general
Se ele é Ogum Rompe Mato
Ogum é general
Se ele é Ogum Naruê
Ogum é general
Se ele é Ogum Megê
Ogum é general

57- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ô ronda a Terra
Ô ronda o mar
Cavaleiros de Umbanda
Mensageiros de Oxalá
Ogum de Lei
Ogum Iara
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

58- PONTO DE OGUM

Nos campos do Humaitá
Venceu a guerra meu Pai, eu vi
No seu cavalo de bronze
Guerreou na sua Terra
Guerreou na sua Terra
Com sua espada dourada
Na ponta da sua lança, eu vi
Laço de fita encarnada

59- PONTO DE OGUM

Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Com seu capacete
Ele saravou
Com seu capacete
Ele saravou

60- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ogum Iara, Ogum Megê
Olha Ogum Rompe Mato, auê
Ogum Iara, Ogum Megê
O Cangira de Umbanda, auê

61- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Senhor Major Ogum
Mas ele é praça de cavalaria
Com sete espadas
Ele nos defendia
Senhor Major Ogum
Seja nossa companhia

62- PONTO DE OGUM

Seu cavalo é de prata
De ouro é quem vem montado
Com sua bandeira içada
Defende seus filhos amado

63- PONTO DE OGUM

         Quem anda por mar
Quem anda por terra
E nunca se cansa
Com seu laço de fita encarnada
Amarrada na ponta da lança

64- PONTO DE OGUM

Capitão do mar
É Barabara
É com chuva, é com vento
Ele vai navegar
Ele vai, ele vai
E com chuva e com vento
Ele vai navegar

65- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei, ê, ê
Ogum de Lei, ê, á
Ogum de Lei, ê, ê
Olha as costas do mar- Malé

66- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Com a licença de Ogum Megê
Nós vamos saravá
Ogum Iara
Ogum Nagô
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

67- ponto de ogum

Saravá Ogum
Ogum é nosso guia
Sentou praça de cavalaria
Ele é guarda da Virgem Maria

68- PONTO DE OGUM

         Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum é meu Pai
Seu Ogum é meu guia
Seu Ogum é meu Pai
Vivo com Deus e a Virgem Maria

69- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Montado em seu cavalo branco
Ele vem beirando o mar
Traz no peito uma estrela dourada
Traz nos braços Mamãe Iemanjá
Saravá Ogum
Saravá Ogum
Saravá Ogum Beira Mar

70- PONTO DE OGUM

São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
Sereia rainha do mar
São Jorge é rei da Terra

71- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Sete Ondas na Terra
Sete Ondas no mar
Sete Ondas na Umbanda
Sete Ondas no gongá
Segura a pemba ê, ê
Segura a pemba ê, á
Segura a pemba
Deixa as ondas navegar

72- PONTO DE OGUM MEGÊ

No campo do Humaitá
Ogum Megê
Eu vi uma nação florir
Ogum Megê
Auê, auê
Ogum Megê

73- PONTO DE OGUM MEGÊ

Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê chegou
Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê baixou

74- PONTO DE SÃO JORGE

Que cavaleiro é aquele
Que vem cavalgando
Pelo céu azul
Ele é São Jorge guerreiro
Que vem comandando
A falange de Ogum
É, é, é seu Cangira
É, é, á seu Cangira
É, é, é seu Cangira
Pisa na Umbanda

75- PONTO DE SÃO JORGE

Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei

76- PONTO DE OGUM DE LEI

Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Ogum de Lei, lei, lei
Ogum de lá, lá
Ogum de Lei, lei, lei
E das ondas do mar do mar

77- PONTO DE OGUM

Ogum está de ronda
Meu pai veio ronda
Veio abençoar seus filhos
E na banda saravá

78- PONTO DE OGUM

Quando Ogum vem lá de Aruanda
Traz uma espada
E uma lança na mão
Ogum é um cavaleiro
Que venceu a guerra
E matou o dragão
Ele é São Jorge guerreiro
Guerreiro do Humaitá
No terreiro de Umbanda
Vêm seus filhos saravá

79- PONTO DE OGUM

Ogum é homem que foi pra guerra
Se mete com ele que eu quero ver
Ogum é homem que venceu a guerra
Se mete com ele que eu quero ver
É um Tatá, é um Tatá, é um Tatá
Se mete com ele que eu quero ver

80- PONTO DE OGUM

Ouvi um toque de clarim na lua
Pois era o toque do maior do dia
Ogum foi praça de cavalaria
Ele é ordenança da Virgem Maria

81- PONTO DE OGUM

Mamãe que cavaleiro é aquele
Que pisa, com arrogância nesta Terra
Oh! Ele é Ogum Megê
Que veio da batalha
Com sua lança de guerra

82- PONTO DE OGUM

è Beira Mar
Porque vem  beirando o mar
É Rompe Mato, quando rompe as matas
É Ogum Megê na ronda da Calunga
É de Malei Rei das Encruzilhadas

83- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Minha espada é de aço
Minha espada vai brilhar
Minha espada é de fogo
É Ogum é o Beira Mar
Brilha muito e com amor
Em sua bela caminhada
Beira Mar em sua estrada
Tem a estrela bem amparada

84- PONTO DE OGUM

Quando Ogum apontou para a Serra
Sua espada  brilhou na Umbanda
Pela fé acabou com a guerra
E os seus filhos venceram demanda

85- PONTO DE OGUM

Se a sua espada é de ouro
Sua coroa é de lei
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê

86- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Orion, Orion
Porque me chamas
Olha o sol, olha a lua
Ventania de Aruanda
Cavaleiro da floresta
Ele é filho de Umbanda

87-  PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já vai
Já vai pra Aruanda
A benção meu Pai
Proteção pra nossa banda

88- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já me alvorou
Ogum já me saravou
Filho de pemba porque tanto chora
É Ogum que já vai embora

89- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum sela seu cavalo
Que já é hora
Ogum meu Pai
Já vai embora

90- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Oh filhos de umbanda
Seu 7 ondas vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda nos abençoar
Oh bela surpresa
Bela surpresa como vai você
Que bela surpresa
Vem de Aruanda pra nos proteger

91- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

A sua espada brilha no raiar do dia
Seu Beira Mar é filho da virgem Maria
Seu Beira Mar, beira maré
Seu Beira Mar na porta da Romaria

92- PONTO DE OGUM

Seu general
Com sua espada e sua lança
Ele deixou em seu caminho
Um montão de sentinela
Seu general oh seu general
Na lei de umbanda ele é meu Pai
Ah ele é meu Pai
Foi o senhor mesmo que disse
Que na umbanda
Que os filhos de Ogum não cai
Seu general

93- PONTO DE OGUM

Ogum é de babaloê
Ogum é de babaloá
No céu ele é São Jorge
Não mar ele é Beira Mar
Na areia ele beira areia
Quando ele chega nesse canzuá

94- PONTO DE OGUM

Seu Ogum me disse
Que dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom

95- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Mandei selar o seu cavalo
Oi abre a roda que eu vou viaja
Seu Ogum veio seu Ogum vai
Mais se ele vai, ele torna a voltar

 96- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Selei, selei seu cavalo eu selei
Selei, selei seu cavalo eu selei
Seu Ogum já foi embora
E seu cavalo eu selei

97- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Na alvorada um cavaleiro surgiu
Com sua lança e seu escudo a brilhar
Seu capacete reluzia em pleno céu
Ele é Ogum ele é seu Beira Mar
Salve meu pai Ogum oh
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Salve seu Beira Mar

98- PONTO DE OGUM

Brilhou no céu
Brilhou no mar
A lança de São Jorge
Refletindo no luar
Ogum é São Jorge
Meu santo protetor
Dai forças aos meus irmãos
Saúde, paz e amor

99- PONTO DE OGUM

Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Eu não seria
Valente guerreiro aqui chegou
Vencedor de demanda meu protetor
Em sua trajetória meu pai luta contra o mal
Foi nos campos de batalha que se tornou general
Eu não seria
Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Salve Ogum de Ronda
Salve seu Ogum Megê
Saravá Beira Mar
Ogum Iara, Ogum de Lei
Salve toda a falange
Do glorioso guerreiro
Que corta toda a demanda
Aqui dentro do terreiro

100- PONTO DE OGUM

Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
Eu tava na minha banda
Eu tava no meu conga
Eu tava lá na calunga
Pra que me mandou chamar
Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
A sua espada meu pai
Eu quero ver
A sua lança meu pai
Ogum Megê

101- PONTO DE OGUM

Ogum em seu cavalo branco
Ele vem, ele vem chegando
No terreiro de umbanda
Ele é Ogum, Ogum que vence demanda

102- PONTO DE OGUM

Ogum venceu demanda
Nos campos do Humaitá
Cruzou sua espada na areia
Lavou seu escudo no mar

103- PONTO DE OGUM

Quando Oxalá fundou a umbanda
Senhor ogum tomou conta do conga
Veio Oxum, veio Iansã
Veio Yemanjá
Veio a Jurema para trabalhar
A caboclada iluminou todo o terreiro
E Oxalá abençoou
Oh saravá seu Rompe Mato
Nesse terreiro ele é o protetor

104- PONTO DE OGUM ROMPE MATO


Eu vi raiar o dia
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu rompe mato
Ogum das matas à beira mar.


105- PONTO DE OGUM ROMPE MATO


Arrebenta o cipó
Rompe o mato
Treme a terra
Montado em seu cavalo
ele é Ogum da guerra
Oi não há mato que eu não entre
Nem há pau que eu não derrube
Nem demanda que eu não vença
Que São Jorge não me ajude.


106- PONTO DE OGUM

Não corte a mata que é de Oxossi
Não quebre a pedra que é de Xangô
E não se meta com filho de umbanda
Filho de Ogum, guerreiro vencedor.

107- PONTO DE OGUM

Lá na Bahia onde Ogum é Santo Antônio
E na umbanda ele é Jorge Guerreiro
Eu quero ver a sua fé meu filho
Aonde é que Ogum é verdadeiro.




Pontos Cantados de Oxum






 1.


Olha o barquinho de Cinda
Cinda é quem vem trabalhar
Cinda é Mamãe Oxum, aiêiêo
Cinda é a Cobra Coral


 2.


Oxum estava na beira do rio
Colhendo lírios pro seu Congá
Iluminou lá na pedreira
Os lírios brancos da cachoeira


 3.


Eu sou da mina
Eu sou da mina de ouro
Onde mora mamãe Oxum
Guardiã do meu tesouro
Mamãe Oxum rainha cheia de luz
Cubrai-nos com vosso manto
Rogai por nós a Jesus


 4.


No céu uma estrela vem brilhando
Nas águas o amor refletindo
Aiêiê Oxum
De alegria estou sorrindo
Também nas cachoeiras
Tem a força de Oxum
Oxum é minha mãe
E meu Pai é Ogum aiêiê


 5.


Se minha mãe é Oxum
Na Umbanda e no Candomblé
Aiêiê, aiêiê, minha mãe
Aiêiê, minha mãe Oxumaré
Mas ela vem beirando o rio
Colhendo lírios pra nos ofertar
Aiêiê, aiêiê minha mãe
Orixá desça e vem nos abençoar

6.


Eu vi mamãe Oxum na cachoeira
Sentada na beira do rio
Colhendo lírios, lírios ê
Colhendo lírios, lírios á
Colhendo lírios pra enfeitar nosso Congá


 7.


Oxum, Oxum
Oxum é minha mãe
É a rainha do meu congá


 8.


Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum, das cachoeiras
Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum na lei de Umbanda


 9.


Mamãe Oxum chegou
Na gira dos Orixás
E traz das águas dos rios
Sua mensagem de paz
Mamãe Oxum, malei-me mamãe Oxum
Olhai pros seus filhos da gira
Na fé de meu pai Ogum
Oi gira gira gira
Oi gira e torna a girar
Pra chamar povo de pemba
Na gira dos Orixás


 10.


A água que sai da cachoeira
E vai correndo pelo rio afora
Salve Oxum! Salve Yemanjá
Salve Nanã! Salve a sereia do mar


 11.


Ela é flor de maio
Se a minha mãe é linda flor de maio Arerê
É flor de maio


 12.


Mamãe Oxum dona dos rios e dos lagos
Mamãe Oxum olha nossos lares
Ela vem na banda nos traz felicidades
Mamãe Oxum, quando vai deixa saudades


 13.


No alto da cachoeira
Tem uma gruta do lado de lá
Tem um banquinho de ouro, mamãe
Onde Oxum vai se sentar


 14.


Eu vi mamãe Oxum
Sentada na cachoeira
E ela cantava tanto
Chamava Ogum para jurar bandeira


 15.

ÁGUAS DE OXUM


O rio é de Oxum, aiê-iê-o
O lago é de Oxum, aiê-iê-o
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Água da cachoeira, aiê-iê-o
Força da cachoeira, aiê-iê-o
Água cristalina, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio passa na mata, aiê-iê-o
Na pedra uma cascata, aiê-iê-o
Oxóssi e Xangô, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Um vento na campina, aiê-iê-o
O rio corta a campina, aiê-iê-o
Iansã e Ogum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio encontra o mar, aiê-iê-o
Nos braços de Iemanjá, aiê-iê-o
Mãe de Oxalá, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê.


 16.


Arerê... arerê mamãe Oxum
Arerê mamãe Oxum! Arerê Oxumaré


 17.


Com sua saia bordada de ouro
E o seu saiote todo rendado
Auê oh minha mãe Oxum auê
Os anjos do céu dizem amém.


 18.


Caiu uma estrela dentro desse Congá
Era uma estrela azul
Era uma estrela bendita
Do manto sagrado da mamãe Oxum


 19.


A Lua vem surgindo
Por detrás da cachoeira
Arerê mamãe Oxum... Arerê Oxumaré


 20.


Oxum linda morena
Pra você eu vou girar
O teu canto de sereia
Agora vai me encantar
Se você inda não sabe
Quem é este Orixá
É Oxum a mãe do ouro
Rainha deste Congá


 21.


Oxum e mamãe Yemanjá
És a rainha do céu, és a rainha do mar
Oxum vem acender os candeeiros
Iluminar nosso terreiro
E a seus filhos abençoar


 22.


Mamãe Oxum, mamãe Oxum
Mamãe Oxum, Nanã
Me leva pras águas claras
Eu quero ver a sereia cantar
Eu quero ver os caboclinhos da areia
Trabalhando pra mãe Yemanjá


 23.


Mamãe Oxum, mamãe Oxum lá do infinito
Ai vem ouvir, ai vem ouvir o nosso pranto
Nós te adoramos com amor e com carinho
Na esperança de sentir o vosso manto
Mamãe Oxum, que vem de Aruanda
Com o divino espírito santo
Vem salvar filhos de Umbanda


 24.


Estrela D’Alva, estrela que brilha
É a mamãe Oxum
É a mamãe Oxum que ilumina
Ilumina a terra, ilumina o mar
Estrela matutina que ilumina esse Congá


 25.


Eu fui na cachoeira chorando
Levava comigo uma dor
Ela surgiu dentre as águas
Olhando me disse assim
“Não chores meu filho querido
Pois sempre ao seu lado estarei”
Ela me deu uma rosa
E entre as flores desapareceu
Arerê! Arerê!
Arerê mamãe Oxum olha eu


 26.


Salve a Estrela Guia
Salve o Cruzeiro do Sul
Salve nossa Mãe Santíssima
E o manto sagrado de Mamãe Oxum

27.


Nas águas serenas da lagoa
Uma estrela apareceu
E foi como num sonho
A estrela desapareceu
Eu seu lugar eu vi
A deusa das águas aparecer
Formou-se arco-íris
Eu gritei para ele me valer
Oxum, Oxumaré venha me socorrer


28.


Oxum, teu nome eu trago
Na palma de minha mão
Oh! Oxum, teu filho roga
De ti muita proteção


 29.


Eu vi, eu vi Nanã, eu vi Oxum na beira do rio
As aves cantam ao romper da Aurora
É Mamãe Oxum que vai chegar agora


 30.


Foi na beira do rio aonde Oxum chorou
Chora iêiêiêô, choram os filhos seus


Subida de Oxum


 1.


Mamãe Oxum
Salve a banda da senhora
Mamãe Oxum
Aiêiê já vai embora


 2.


O rio que te trouxe
É quem te leva pro mar
Auê, auê, auê seu canzuá


 3.


E vai, vai, vai
E vai beirando o rio
E vai mamãe Oxum
Para todo mal levar



Pontos de yansã







 PONTOS DE IANSÃ

1-
Eparrei na Aruanda
A nossa mãe é Iansã
Gira deixa a gira, girar
Gira deixa a gira, girar
Oh deixa a gira, girar
Saravá Iansã
Meu Pai Xangô e Iemanjá
Eh oh, deixa a gira, girar


2-
A Iansã é rainha de Umbanda
Mais ela é dona do seu Jacutá
Oh Eparrei, Eparrei, Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Segura o terreiro
Que eu quero ver


3-
Chora na macumba Iansã
Chora na macumba Iansã
Estava na beira da praia
Iansã chorou, chorou, chorou


4-
Oh Santa Barbara de Nagô ela é
Oh Santa Barbara Nagô é, ela é
Santa Barbara é moça linda, ela é
Oh moça dos cabelos loiros, ela é


5-
Santa Barbara virgem
Dos cabelos loiros
Mora na pedreira
Na terra do ouro


6-
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra


7-
Oh minha Santa Barbara
Kaô, Kaô
Oh meu São Jerônimo
Kaô, Kaô


8-
Eu sai a procurar
Um fundamento ninguém veio a saber
Oi abre a porta venha receber
A Iansã, Santa Barbara de Nagô


9-
Estava numa ladeira
Sem poder descer
Oh Santa Barbara virgem
Venha nos-vale


10-
Iansã tem um leque de pena
Pra abanar em dia de calor
Iansã mora nas pedreiras
Eu quero vê meu Pai Xangô




11-
Iansã Orixá de Umbanda
Rainha do nosso congá
Saravá Iansã lá na Aruanda, Eparrei!
Eparrei Iansã venceu demanda
Iansã, saravou pra Xangô
No céu, onde se coroou
E lá nas matas leão bradou
Saravá Iansã
Saravá Xangô


12-
Oiá é moça rica,
Ela é filha de Xangô
Iansã chegou na Umbanda
O seu reino saravou


13-
Iansã, Iansã
Segura seu Erere, Iansã
Oh Iansã, oh Iansã
Segura seu Erere


14-
Oh venha me valer, Senhor
Santa Barbara está chamando e Xangô
Vá dizer a Santa Barbara
Pro vento continuar
Tenho pena mãe de Deus,
Eu vou para o congá
Eu vou para o congá



15-
Oh Eparrei minha mãe de Aruanda
Mais ela é dona do seu Jacutá

E re re re
E re re rá
Minha mãe de Aruanda
Tem mironga lá no mar


16-
Minha Santa Barbara
Que linda coroa
Pelo amor de Deus,
Santa Barbara não me deixe a toa


17-
Aê dim dim
Aê dim dá
E a matamba de Aruê
E a matamba de Aruá


18-
Olha a matamba eta deme
Olha a matamba eta deme

Caboclo é da morunganga eta deme
Oh Iansã olha a matamba eta deme


19-
Raio de luz clarão no céu
É ventania que vem lá
A noite inteira vento vem e vai
Rodopiando a bailar
Com a espada erguida ao luar
Surge a guerreira
É Iansã varrendo os males
É Iansã oh mãe valei-me
Levai nesses ventos os nossos tormentos
Levai minha dor
E quando sessar a tempestade
E eu vislumbrar um novo amanhã
Explode em meu peito um brado Eparrei
Oh mãe Iansã
Põe no tacho azeite pra ferver  de Oiá
Põe meio tempero desse acarajé
Que possuir coragem pra seguir viajem
Filhos que tem fé


20-
Oh Oiá me chamou
Eu fui atender
Tava sentada Iansã
Na palha do dendê
Oh guerreio, guerreio relampejou
Oh voou cravo, voou rosa relampejou


21-
Ventou, mas que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


22-
Iansã é a dona do mundo
Dona do fogo, da faísca e do trovão
Eparrei Iansã na Aruanda
Santa Barbara com a espada na mão


23-
Ela é matamba
Ela é Oiá
Ela é Iansã
Desse Jacutá
Ela é matamba
Do cabelo loiro
Senhora dos ventos
Da espada de ouro


24-
Saravá Iansã do cabelo loiro
No mar tem água, na sua pedra tem ouro
Le, le le e
Le, le le á
Saravá Iansã que é rainha do mar


25-
Saravá deusa maior
Iansã é moça rica
Iansã deusa dos ventos
Saravá moça bonita
Iansã é minha mãe
Rainha do Jacutá
Vem gritado Eparrei
Roda a saia que eu quero ver
Filho de Umbanda não tem querer


26-
Ventou nas matas
Ventou nas pedreiras
Que vento forte nas cachoeiras
Não era Oxossi, nem é Xangô
Era Iansã com seu batacotô
Deusa dos ventos e do trovão
Oh minha mãe quero sua proteção


27-
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
Já trovejou relampejou
Cadê Oiá Xangô
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
O Cálice Bento ela segurou
Sua espada sagrada ela arriou
Eparrei Oiá, Eparrei Oiá


28-
Eparrei, Eparrei
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba
Iansã olha a matamba

A minha santa guerreira venha me valer
Oh me sinto num abismo não sei o que vou fazer
Em meio a escuridão veio um raio clarear
Me mostrando o caminho que eu possa passar
Eparrei, Eparrei
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba
Iansã olha a matamba
Peço que nesse caminho bons ventos possa soprar
Afastando as nuvens negras que querem me derrubar
Se nele encontrar espinhos em flores eu vou pisar
Pois sou filho de Iansã poderosa Iabá


29-
Iansã é rainha dos ventos
Deusa dos raios do corisco e trovão
Eparrei, Eparrei Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Ela vem na Umbanda visitar seu ilê
Bate paô iaô, bate paô
Bate paô iaô, pra Iabá bate paô


30-
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Um banho de ervas de Iansã eu vou tomar
De joelhos eu imploro minha deusa bela Oiá
Os meus caminhos eu preciso seguir
Eu chamo por Iansã para vir me conduzir
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Deusa dos ventos rainha do bambuzal
Santa do acarajé livrai-nos de todo mal
Seus filhos pedem em nome de Oxalá
Oiá Iansã guerreira não deixa seus filhos tombar


31-
Sinda, sinda cóké
Vai na Angola gira
Samba lêlê, oh, quirombó
Santa Barbara do Jacutá


32-
Iansã chegou no reino
Chegou com chuva e com vento
Ela é dona de Jacutá veio saravá
Os filhos do congá


33-
Oh Iansã se ela é minha mãe
Se ela é minha mãe
Ah eu quero ver
Oi saravá Ogum Megê
Oi Iansã Eparrei Eparrei


34-
Eu vi Iansã e Xangô
Estavam sentados em cima da pedra
Estavam rezando por todos os seus filhos
Saravá Iansã e Xangô


35-
Numa bela noite eu caminhava
Sozinho pedindo proteção
Deu um relâmpago no céu
O céu clareou
Me ajoelhei e Iansã me abençoou


36-
Iansã rainha dos astros
Iansã é moça de imbera
Iansã é adelina
Iansã também é Oiá e Obá


37-
O ronco da pedreira e a trovoada
Ecoou lá na mata
Ecoou lá na serra
Todo o povo de Iansã
Todo o povo de Xangô
Chegou cá na Terra
Chegou para a guerra


38-
Oi Iansã de cabelos loiros
De espada na mão
Traz Ogum Megê
Como companheiro
E na calunga
Ela vem firmar


39-
Quando ela passa
Iansã vem cheia de graça
Com sua espada na mão
Minha mãe guerreira
Me ajuda a toda hora
Minha mãe guerreira
Me ajuda a vida inteira


40-
Ela é minha mãe guerreira
De cabelos loiros ela vem
Com trovoada e muito vento
Espada na mão
Ela vem, para guerrear
Ela é Iansã
E Iansã guerreira
Ela vem, para guerrear


41-
Corre vento
Trovoada tá no espaço
Tempestade não é brincadeira
Saravá Iansã guerreira


42-
Loira muito formosa ela é
Domina o vento e o trovão
Iansã guerreira
Não treme não


43
Iansã vem
Ela vem beirando o mar
Ela vem com trovoada
Ela vem com muito vento
Ela vem lá de Aruanda
Com a espada na mão
Ela vem trazendo vento


44-
Eparrei mamãe
Eparrei Iansã
Dona dos Eguns,
Mamãe vem girar,
Com Ogum Megê
Ela vem cruzando,
É no cruzeiro Mamãe, mamãe vai firmando,
Ela vem com o vento,
Ela vem com a água
Mamãe Iansã!
Veio saravá


45-
Saravá Iansã
Minha mãe querida
Com sua espada na mão
Ela vem trabalhar,
Saravá Pai Xangô,
Saravá Iansã
Trovoada roncou
Mamãe vem saravá


46-
Eu vi essa menina
Saravando no congá
Salve seu leque de pena
Rainha do Jacutá
Iansã é muito linda
Mais que linda que ela é
Iansã esta no terreiro
vem trazendo seu axé


47-
Moça rica com sua espada
Sua coroa é cravejada de brilhantes
Quimbanda, auê! Quimbanda auê


48-
Oh mamãe ela vem de Aruanda
Ela vem com chuva e com vento
Na terra ela vem firma


49-
Eram duas ventarolas
Duas ventarolas
Que voavam sobre o mar
Uma era Iansã Eparrei!
A outra era Iemanjá Odociaba


50-
Oh Iansã menina
Dos cabelos loiros,
Ela está sentada
Na mina de ouro.


51-
Ventou mais que ventania
Ventou mais que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


52-
Ela é minha mãe guerreira
Com seu cabelo cor de ouro
Com sua espada na mão
Ela é Iansã guerreira
Que chegou nesse congá


53-
Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas


Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas
Okê banda Odé
Okê banda Odé
Saravá a coroa de Iansã
Que ilumina nossa fé
Iansã senhora da banda
É a rainha do seu congá
Salve Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


54-
Espia o que vem pelo céu
Olha o que vem pelo mar
Ela é nossa mãe Iansã
Ela é a rainha desse congá
Iansã cruzou na linha de Xangô
Lá na mata leão bradou
Saravá Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


55-
Eu vi Santa Barbara e Xangô-ô
A trovoada roncou lá no mar
Olha a mujinga de congo ê, ê, ê
Olha a mujinga de congo ah, á, á


56-
Eu vi Santa Barbara e Xangô
Sentados em cima da pedra
Olha seus filhos que vão pra guerra
Olha seus filhos que vão pra guerra


57-
Iansã o seu leque é de ouro
Vem do céu, Oxalá quem mandou
Pra salvar os seus filhos Iansã
Na hora da agonia e da dor


58-
Oh Nanã
Nanã Buruquê
Iansã moça rica
Vem me socorrer


59-
Minha Santa Barbara crioula auê
Minha virgem santa
Quem manda e desmanda
É Deus


60-
Minha Santa Barbara venha me valer
Meus inimigos tão querendo me vencer
Não vence não porque Deus não quer
Minha Santa Barbara é a rainha de guiné


61- PONTO DE SUBIDA


Oh minha Santa Barbara
É hora
Filhos de Umbanda, mamãe
Sempre aqui choram






Pontos de Yemanjá.







Pontos de Yemanjá


 1.
Yemanjá é a rainha do mar 4x
Salve o povo de Aruanda
Salve meu Pai Oxalá
Salve Oxóssi, salve os guias
Salve Ogum Beira Mar
Yemanjá
Yemanjá é a rainha do mar 4x
Vai ter festa na Aruanda
Vai ter reza no Cantuá
Vai ter gira a noite inteira
E muitas flores no mar
Yemanjá


 2.
Eu fiz um pedido à mamãe Sereia
A Yemanjá, para nunca mais penar
Foi na areia, numa noite linda
Na areia branca do mar
Oh lua clara no céu
Iluminou seu divino manto, Sereia.
Oh rainha do mar, Sereia.
Oh mamãe Yemanjá, Sereia.
Oh rainha do mar, Sereia.


 3.
Mãe d’água, rainha das ondas Sereia do mar
Mãe d’água, seu canto é bonito
Quando faz chuá
Êh, Yemanjá
Rainha das ondas, sereia do mar
Como é lindo o canto de Yemanjá
Sempre faz o pescador chorar
Quem escuta a mãe d’água cantar
Vai com ela pro fundo do mar


 4.
Eu vou à praia grande, eu vou pro mar
Levar botões de rosas à Yemanjá
Eu vou à praia, vou riscar ponto na areia
Vou pedir à Mãe Sereia
Todas as forças do mar
Que nos proteja
Com seu manto inteiro branco
Que nos cubra com os encantos
Que tem as ondas do mar


 5.
Quem quiser viver sobre a terra
Quem quiser viver sobre o mar
Do mar salve as sereias
Salve as ondinas do mar
Ruê, ruê, ruê, ruá, ruá, ruá, Yemanjá


 6.
Saia do mar, linda sereia
Saia do mar, venha brincar na areia
Saia do mar, sereia bela
Saia do mar, venha brincar com ela


 7.
Salve as conchinhas de prata
Salve quem aqui está
Salve a Mãe Sereia
Rainha, Mãe Yemanjá.

 
  8.
Eu fui na beira da praia
Pra ver o balanço do mar
Eu vi um retrato na areia
Me lembrei da sereia
Comecei a chamar
Oh Janaína vem ver
Oh Janaína vem cá
Receber suas flores
Que venho lhe ofertar

 
 9.
Vamos saravar mãe Yemanjá
Vamos todos juntos jogar flores no mar
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar minha mãe sereia
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar, é nas águas, é nas areias
Vamos saravar mãe Yemanjá
Vamos todos juntos jogar flores no mar
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar minha sereia
Papai risca ponto nas pedras
Mamãe risca ponto na areia


10.
O que é que me deram para levar
Pra dona Janaína no fundo do mar?
Frasco de cheiro, laço de fita
Pra dona Janaína que é muito bonita


 11.
A onda do mar rolou
Saravá a rainha do mar
Saravá minha mãe Yemanjá
Mamãe Yemanjá

 
 12.
Filha de Yemanjá, toda de azul
Filha de Yemanjá, de corpo azul


 13.
Yemanjá é sereia do fundo do mar
Yemanjá, Yemanjá
Trabalha na areia junto com Beira-Mar
Ogum-yê, Ôdoiá
Rainha sereia, minha mãe Yemanjá


 14.
Retira a jangada do mar
Mãe d’água mandou avisar
Que hoje não pode pescar
Pois hoje tem festa no mar
Ê Ê Ê Ê Ê Ê Yemanjá
Ela é, ela é a rainha do mar
Traz pente traz espelho Ô Ô Ô Ô
Pra ela se enfeitar Ô Ô Ô Ô
Traz flores traz perfume e enfeita todo mar
 15.
A lua branca traz o mar
Para lhe enfeitar
Ela quer amor, ela quer a paz
Ela é harmonia em todo lugar
Filha de Yemanjá, Odocia
Filha de Yemanjá, vamos saravar
Ela é alegria aonde vai
No seu coração ela traz a paz
A lua branca traz o mar
Para lhe enfeitar

 
 16.
E vem, vem, vem e vem beirando o mar
E vem a mãe Sereia para todo o mal levar
Chegou, chegou, chegou a mãe sereia
Para todo o mal levar
E foi , foi, foi e foi beirando o mar
E foi a Mãe Sereia para todo o mal levar


 17.
Eu sou filha de Yabá
Yabá é minha mãe
A rainha do tesouro
Oh doce Yabá no fundo do mar 3x


 
 18.
Yemanjá sobá, baba ebô
Baba ebô Yemanjá, baba ebô


 19.
Yemanjá, sereia bonita, rainha do mar
Sereia bonita, rainha do mar, Yemanjá
Como é lindo o canto de Yemanjá
Ela faz o pescador chorar
Quem escuta a mãe d’água cantar
Vai com ela pro fundo do mar 20.
A estrela brilhou lá no alto mar
Quem vem nos salvar é nossa mãe Yemanjá


 21.
Botei meu barco n’água para navegar
Pedi licença à primeira embarcação de Yemanjá
Yemanjá, ô Yemanjá,
Rainha das águas é Yemanjá

22.
Yemanjá, Yemanjá, Yemanjá
Venha me ajudar, Odoiá
Vem nas ondas do mar


 23.
Sou filho do mar, das ondas do mar
Da espuma do mar, sou filho do mar
Minha mãe Yemanjá, Yemanjá minha mãe
Rainha ela é do mar


 24.
Yemanjá coroou é de arariou
É de doce malembe é de arariou


 25.
Yemanjá ô
Iô cindô rê rê Yemanjá


 26.
Uma estrela lá no céu brilhou
E o clarão refletiu no mar
Era uma estrela guia
Que refletia o lindo manto de Yemanjá
Yemanjá, Yemanjá, Yemanjá.
Se nessas águas eu pudesse navegar
Eu traria um pedacinho do seu manto
E essa luz que brilha em seu olhar


 27.
Com uma dúzia de velas,
Numa noite tão linda
Eu fui para o mar, rezando e chorando...
Fazer meus pedidos para Yemanjá
Ô Yemanjá, venha me ajudar
Ô mãe Oxum, venha me salvar
Sou peregrino trazendo flores
Frutas e velas pra mãe Yemanjá


 28.
Ajoelhei-me na beira da praia
Pra pedir proteção a minha mãe Yemanjá
A água que me batia, Yemanjá respondia
Filho vou te ajudar.


 29.
Yemanjá, Yemanjá.
Sou pescador, moro nas ondas do mar...
Também sou filho de Yemanjá
Quero morrer no mar
Nos doces braços de Yemanjá


 30.
Quem vem vindo na crista da onda
É sereia, rainha do mar
Quem vem vindo na crista da onda
É sereia, mamãe Yemanjá
Vem senhora das águas do mar
Abençoe esse nosso Congá


31.
Oh, como é lindo as flores brancas de Yemanjá
Chegou a hora
Vindes com Deus e Nossa Senhora Yemanjá
Um buquê de rosas brancas, ê ê
Vou levar pra Yemanjá, ê á


 32.
A minha mãe é mãe de mesa
É a rainha do mar
Pede a Deus a proteção
Para seus filhos salvar


 33.
Yemanjá, Yemanjá,
No fundo do mar tem areia
Areia do fundo do mar
Em cima do mar tem as ondas
Ondas que vão me levar
Num barco enfeitado de flores
Pra ouvir a sereia cantar


 34.
Mãe, mãe, mãe
Por que é que tu vives no fundo do mar?
Eu sou a mãe sereia, rainha de Oxalá
Eu venho trazer forças
Para os meus filhos salvar


 35.
Brilhou, brilhou, brilhou, brilhou no mar
O manto da nossa mãe Yemanjá
Brilhou, brilhou no mar
E agora vai brilhar nesse Congá


 36.
Como está tão lindo o altar
Com as flores de nossa mãe Yemanjá
Salve a caridade pura
Salve a sereia do mar


 37.
Sereia, sereia, como ela nada no mar
Se minha mãe é sereia, oh sereia


 38.
Se as ondas do mar são verdes
Me leva pro fundo do mar
Sereia, sereia...
Sereia é a mãe Guiomar


 39.
Em cima de uma pedra
Em cima da pedra, outra pedra
Embaixo da pedra tem areia
Quem manda no mar sereia

40.
Como ela nada no mar
Com as ondas bem fundas
Como ela nada no mar


 41.
A sereia canta, os peixinhos nadam
Levando o barco de Yemanjá
Ê ê ê á


 42.
Sereia, sereia, minha rainha do mar
Todo o mal de seus filhos, sereia
Leva para o fundo do mar


 43.
Minha mãe é sereia, rainha do mar
Oh sereia tá no mar
Sereia tá no mar, sereia tá no mar


 44.
Sereia, sereia
Olha a sereia que nada no mar
Ela é dona do reinar


 45.
É vem, é vem, é vem, e vem beirando o mar
E vem a mãe sereia, chegou beirando o mar
Chegou, chegou, chegou, chegou a mãe sereia
Pra nos auxiliar
Baixou, baixou, baixou, beirando o mar
Baixou a mãe sereia pra todo o mal levar



 46.
Minha jangada de vela
Corre um vasto do mar
De dia o vento é na terra
De noite o vento é no mar
Remai! Remai!
Nossa Senhora da Luz
Mãe do povo do mar
Levai a vossa barquinha
Pra Jesus adorar
Remai! Remai!

 47.
Veio navegando pelas ondas do mar
Para saravar no recinto de Yemanjá
Viva mamãe Oxum, viva a sereia do mar


 48.
No clarear de uma manhã
Eu tive um sonho tão bonito
Sonhei que as águas de Yemanjá
Me transportavam ao infinito
De suas águas generosas
As suas mãos me estendeu
E na carícia das marolas
A minha alma adormeceu


 49.
Que caminho de espinho
Que caminho de areia
Saravá mãe Yemanjá
Nossa Senhora das Candeias


 50.
Ela é uma flor nos jardins do Senhor
Ela é uma Rosa, uma rosa em botão
Ela é toda a pureza, ela é toda ternura
Ela é todo Amor, ela é Senhora da Conceição

51.
Adormeceu, sob o amparo da mãe d’água
Sentindo o amor que não se esgota
Dessa fonte que é Deus, Yemanjá,
Doce Yemanjá
Sou pequenino grão de areia
Na imensidão desse seu mar
É a tua luz que me clareia
O caminho e o trabalho
Que Oxalá me concedeu
E é por isso que, serena,
A minha alma adormeceu


 52.
Quando as ondas brancas vem rolar na areia
Eu sinto saudades da minha mãe sereia
E quando na Umbanda
Eu canto pra Yemanjá
Eu sinto saudades das águas rolando o mar
Odoiá minha mãe Yemanjá
Odoiá sereia do mar.


 53.
A Rainha das Ondas é tão bela
Como bela nos campos é a flor
Salve Ogum Beira Mar, seu guerreiro
Ela é a Rainha do Amor
Salve, salve Yemanjá no terreiro
Salve os campos do seu jacutá
Salve Ogum Beira Mar, seu guerreiro
Ela é a Rainha do Mar


 54.
Ela vem beirando o mar
Oi, ela vem berando a areia
Saravá a mamãe Yemanjá
Saravá a sua aldeia


Subida


 1.
A onda do mar rolou 4x
Os filhos de Yemanjá
A onda do mar levou


 2.
A marola do mar vai levando
Yemanjá é quem vai navegando
A marola do mar vai levando
E seus filhos ela vai deixando


 3.
A onda que te trouxe
É que te leva para o mar
Auê, auê, auê Yemanjá
Vai com a onda vai
Vai com a onda vem
Vai com a onda vai
Que com a onda eu vou também








Pontos Cantados de Nanã buruquê








1.


Atraca, atraca
Que aí vem na onda, é Nanã
É Nanã, é Oxum,
É quem vem saravar, ei ah
É Nanã, é Oxum,
É a sereia do mar, ei ah


 2.


São flores, Nanã, são flores
São flores, Nanã Burukê
São flores, Nanã, são flores,
Do seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
É ele quem vem nos valer
É ele, Nanã, é meu Pai,
É seu filho Abaluaê


 3.


O mar roncava, entre as pedras se batia
Ao gemido da mãe d’água,
A sereia respondia
São flores, são flores...
São flores, Nanã Buruquê
São flores, são flores


 4.


Minha mãe é Nanã
É o Orixá mais velho do céu
Nanã, oh Nanã Buruquê
Firma seu filhos, agora eu quero ver
Senhora Santana
Dai-nos vossa proteção
Valei-nos avó de Aruanda
Valei-nos com sua benção
Com seu manto consagrado
Com sua estrela bendita
Valei-nos senhora Nanã
Livrai-nos das horas aflitas


 5.


Saravá Nanã, oi Nanã Buruquê
A sua saia é roxa
O seu telhado é de sapê.


 6.


Nanã, oh minha mãe Nanã
Protege os seus filhos
Segure o meu Congá
Eu sou de Jurema
E eu quero trabalhar


 7.


Nanã vem das neves,
Ela vem das ondas do mar
Saravá Oxumaré
Saravá a sereia do mar
Saravá Nanã Buruquê
Saluba


 8.


Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Bangu, Bangulê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã auê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Que eu vi Nanã Buruquê
Pergunte à sua canhanha
Se eu vi Nanã, se eu vi Nanã Buruquê


 9.


Senhora Santana, mãe de misericórdia
Eu vou pedir a ela
Pra ela pedir a Deus
Oh, minha mãe, rogai por mim


 10.


Nanã é mãe dos Orixás
Está na terra e na cachoeira e está no mar
Eu vou pedir à boa Nanã
Que abençoe seus filhos e seu Ogã


 11.


Oh Nanã, cadê Oxum
Oxum tá nas ondas do mar
Ela é dona do reinar
Salve Oxum


 12.

 
Oi nas ondas do mar eu vi Nanã
Oi Nanã Buruquê
Oi nas ondas do mar


 13.


Oh Yemanjá, oh Yemanjá
Que linda sereia nadando
Areia nas águas do mar
Vai dizer pra Santana
Que toda semana eu rezo pra ela
Em seu louvor
É Nanã Buruquê


 14.


Nas cachoeiras de Nanã Buruquê
Só se lava a cabeça do filho de Umbanda
Quando é pra valer
Mas se você não é, então não vai lá
Porque Nanã Buruquê, meu filho
Pode não gostar


 15.


Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Oxossi
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Xangô
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Ogum
Continua.......para todas as linhas



Pontos de Oxossi







Bota fogo na mata,
Chama, chama que ele vem
Ele vem de Aruanda,
Chama, chama que ele vem

 2.

Quem tem santo tem caboclo
Agora que eu quero ver
Se o caboclo é confirmado
No Terreiro vai descer

 3.

Quem é o cavaleiro
Que vem de Aruanda
É Oxóssi em seu cavalo
Com seu chapéu de banda
Quem é este cacique,
Glorioso e guerreiro
Vem montado em seu cavalo,
Vem descer neste terreiro
Vem de Aruanda, auê
Vem de Aruanda, auá
Ele é filho do verde, ele é filho da mata
Saravá, Nsa. Senhora, a sua flecha mata
Vem de Aruanda, auê
Vem de Aruanda, auá.
 
 4.

Caboclo não tem caminho pra caminhar
Caminha por cima das folhas
Por baixo das folhas, em todo lugar
Okê, Caboclo

 5.

Vestimenta de caboclo é samambaia
É samambaia, é samambaia
Saia caboclo, não me atrapalha
Saia do meio da samambaia
 6.

Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador
Ouvi meu Pai assobiar, ele mandou chamar
Vem de Aruanda, ê
Vem de Aruanda, á

 7.

Oh Oh Oh Oh. oh oh..Oh Oh Oh Oh ohoh
Oxossi gritou, Ogum ouviu
Um guerreiro mandou
O filho da lei
Ogum ou Oxóssi, Oxóssi ou Ogum
De um lado a espada, o bodoque na mão
Caboclo de Oxóssi a flecha atirou
Oxalá atendeu e a flecha guiou...

 8.

Caboclo venceu demanda
Para o povo de Umbanda
Na ponta de sua flecha
Quando veio de Aruanda
Venceu, caboclo venceu
Do fundo da mata virgem
Oxalá gritou
Esse filho é meu 3x

 9.

A coral é sua cinta
A jibóia é sua laça
Quizoa, quizoa, quizoa ê
Caboclo mora na mata
 10.

Caboclo baixou na terra, é caboclo
Levantou poeira, é caboclo, baixou na terra

 11.

Oxóssi mora na raiz da gameleira
Ogum lá na Aruanda
Pai Xangô, lá na pedreira

 12.

Oxóssi mora no tronco da amendoeira
Ogum mora na lua e Xangô lá na pedreira

 13.

Estava chovendo e relampejando
Mas mesmo assim o céu estava azul
Firma seu ponto na folhas da Jurema
Que Oxóssi é dono do aracajú

 14.

Oxóssi é rei no céu, Oxóssi é rei na terra
Ele não desce do céu sem coroa
E sem a sua missão cá na terra

 15.

Viva Oxóssi ê, meu São Sebastião
Oxóssi é caboclo morador lá do sertão
Viva Oxóssi, viva São Sebastião
Viva todos os caboclos,
Morador lá do sertão

 16.

Em forma, em forma
Em forma Oxóssi Sete Ondas
No recinto de Umbanda ele é de lei
Viva Oxóssi, ele é de lei
Sete Ondas reluziu quando Oxóssi surgiu

 17.

O Seu Oxóssi mora lá nas matas
Onde pia a cobra, lá na Jurema
Seu capacete é de penas de ema
Ele é Oxóssi, capangueiro da Jurema

 18.

Oxóssi é cassutê de Umbanda
É na Aruanda! É na Aruanda auê

 19.

Atira, atira, eu vai atirar!
No rei bamba eu vai atirar!
Veado no mato é corredor
Oxóssi na mata é caçador

 20.

É Zambi quem governa o mundo
É Zambi quem vem governar
É Zambi que governa a estrela
Que clareia Oxóssi lá no Juremá
Okê! Okê! Okê!
Okê! , meus caboclos, okê!

 21.

Oh viva São Sebastião
Nos caminhos que passou
Salvar filhos de Umbanda
Jesus Cristo é quem mandou
Oh viva São Sebastião

 22.

Xangô na pedreira bradou
Ogum lá na lua confirmou oh Juremá
Oxóssi na mata é caçador

 23.

Oh ele é capitão na marambaia 3x
Oh, ele é Seu Oxóssi na urucaia

 24.

E o veado figiu e Oxóssi chegou na Bahia
Segura o ponto, mamãe sereia Oh Ganga

 25.

Oxóssi não há Tatá Nuarou oh
É babá é barebou
Oxóssi, vossos filhos ele salvou
É babá é barebou

 26.

Eu já cansei de pedir, senhor
Uma choupana pra eu poder morar
Ele me disse com firmeza
Precisa ordem de nosso pai Oxalá

 27.

Oxóssi vem, vem chegando de Aruanda
Oxóssi vem, vem salvar filhos de Umbanda

 28.

Naquela estrada de areia,
Aonde a lua clareou
Onde os caboclos pararam
Para ver a procissão de São Sebastião
Okê, okê caboclo
Meu pai Oxóssi é São Sebastião

 29.

Oxóssi assobiou lá no Humaitá
Ogum venceu demanda
Companheiro de Oxalá

 30.

Estava na minha praia,
vi a sereia cantando
As ondas do mar chorando,
Yemanjá, Yemanjá
Sou Beira-Mar, Beira-Mar
Deixa a sereia cantar
Não deixa as ondas chorar

 31.

O vento na mata zuniu
Folha seca balançou
Saravá Oxóssi, nossa banda saravá
Ele vem com Deus nosso senhor

 32.

Oxóssi assobiou na mata
Ogum bradou no Humaitá
Filhos de Umbanda louvaram
Saravá, Oxóssi, saravá

 33.

Fez barulho na cachoeira,
Sobre a pedra ela rolou
Com sua flecha certeira
É Oxóssi que chegou

 34.

Oxóssi quando vem lá de Aruanda
Trazendo forças pra seus filhos de Umbanda
Ele é caboclo, ele é flecheiro atirador
Na Aruanda todo Oxóssi é caçador

 35.

Oxóssi mora na lua
Só vem ao mundo para clarear
Queria ver um Oxóssi
Para com ele eu falar

 36.

Caboclo não tem caminho pra caminhar
Caminha por cima da folha
Por baixo da folha
Por todo lugar
Okê, caboclo
Caboclo não tem caminho pra caminhar
Seu caminho está aberto, caboclo pode passar
Ele vai girar e vai girar
Caboclo filho de Umbanda
Filho de Oxóssi e Oxalá
Quando a lua surgir, ele vai gira

 37.

Oxóssi na mata é rei
Oxóssi na mata é
Que passa pelos caminhos
Sem deixar marca no pé
Caboclo não desacata
Caboclo sabem quem é
Quem anda dentro da mata
Sem deixar marca no pé
Oxóssi na mata é rei
Oxóssi na mata é rei
Quem passa pelos caminhos
Sem deixar marca no pé
Ele tem flecha e bodoque
Ele tem lança e cocar
Na mata está o seu reino
E na mata reinará

 38.

Oxóssi ê ê, Oxóssi ê á
Oxóssi é rei das matas
Onde canta o sabiá
Eu vou pedir licença para Oxóssi
Para saravar nas matas da Jurema
Saravá pai Xangô lá na pedreira
Firma seu ponto, mãe Oxum, na cachoeira


 39.

Como é bonito o pisar dos caboclos
Andando na mata
No rastro um do outro
Salve os caboclos, salve Iemanjá
Salve a sereia, rainha do mar


 40.
Ai não mexa na espada de Ogum
Ai não mexa no penacho de Oxóssi
Ai não mexa no machado de Xangô
Oxóssi na mata é caçador

 41.

Eu vim da mata
Ó que mata é a sua?
É de lá e é de cá
É onde pia a cobra, onde canta o sabiá
Eu vim da mata, sou da tribo do Cajá
Vim trazer minha falange
Pra todos descarregar

 42.

Auê. auê meus caboclos, auê 4x
Caboclo mora na mata
Na beira da Sapucaia
Caboclo come folha
Se veste de samambaia
Auê, meus caboclos, auê 4x
Salve Cabocla Jupira
Salve Cabocla Jurema
Saravá seu Sete Flechas
Saravá, seu Tira Teima

 43.

Naquela mata tTem sete coqueiros
São sete cobras todas a piar
Mas eles são
Todos os caboclos da Umbanda
Sua mironga lá no Juremá

 44.

Caboclo vem da Aruanda
Caboclo vem trabalhar
Caboclo tem sete penas
Amarradas com caruá

 45.

Se és caboclo, se és guerreiro
Se és filho de Umbanda
Pega a pemba, risca o ponto
E vem trabalhar

 46.

Oxóssi é o rei da mata,
Seu reino é o Juremá
Oxóssi firma ponto por ordem de Oxalá
E quando o sol desponta
Passarinhos a cantar
Saúdam meu Pai Oxóssi
E o reino de Juremá
 47.

Soltei a coral no mato
Pra caçar meus inimigos
A coral foi e voltou
Ninguém quer brigar comigo

 48.

Os caboclos desceram lá do alto da serra
E traziam no peito uma cobra coral
Mas hoje é dia de alegria
No terreiro de Umbanda
Saravá meus Caboclos de ronda

 49.

Vento que vem
Oi que vem das matas
Olhas as matas quebrando
E os Caboclos chegando

 50.

Ajoelha caboclo, tu não é judeu
Tu foi batizado pela lei de Deus
Padrinho e Madrinha
Foi Deus quem te deu
Meu Ananá, meu Ananá

 51.

Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol, enxugou, enxugou
E as matas se abriram toda em flor

 52.

Mangueira, mangueira
Mangueira de Umbanda
Folhas por folhas Umbanda
Lá no mato tem Umbanda
Vamos cruzar para salvar
Filhos de Umbanda com seu patuá

 53.

É lá na Jurema que o caboclo luta
E vence demanda com Oxossi seu rei
Com o arco e a flecha e o canto de guerra
Atira-se a luta e sai vencedor
De joelhos em terra o chefe da tribo
Agradece a vitória a Jesus Redentor

 54.

Eu vim da mata, o que mata é a sua
É de lá do Oricá, aonde pia a cobra
Aonde canta o sabiá
Eu vim da mata
Sou da tribo do Guajá
Eu vim trazer minha falange
Para vir descarregar

 55.

Caboclo da Mata Virgem
Plantou raiz nasceu flor

 56.

Eu deu um tiro, meu pai, na sapucaia
Não há caboclo que não ouça
E aqui não caia

 57.

Okê caboclo, vem ver a sua aldeia
(Nome) vem ver a sua aldeia
Todos os caboclos vêm ver a sua aldeia

 58.

Oxossi gira, ele gira na macaia
Gira, gira no meu terreiro
Gira, gira na minha banda
 
 59.

No centro da mata eu vi
Dois nomes gravados num toco de pau
De uma lado o Seu Rompe Mato
No outro o Seu Cobra Coral
No centro da mata eu vi
Seu Rompe Mato falava na
língua dos Guaranis


 60.

Auê, auê, caboclo
Auê, auê, eu quero ver
Auê, auê, caboclo
Trabalha que eu quero ver

 61.

Ele é caboclo, ele é Juremeiro
Que na Alvorada tem penas carijós
Bateia, oi bateia
Bateia, meu caboclos na aldeia
Bateia, oi bateia
Bateia com o vento na areia
Bateia, meu caboclos bateia
Os caboclos na aldeia e a Sereia na areia

Demanda

 1.

Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxóssi
Onde eu passava o meu dia
Ai não fui eu Oxóssi
Que puderam lhe fazer
Foi amarrar de pé e mão
Amarrado num tronco de árvore
Ai como um cão, cão de verão
Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxóssi
Ai foi São Jorge quem mandou
Ai não fui eu Oxóssi
E depois de tudo isso
As sete flechas ele alcançou
São Jorge gritou na Aruanda
Foi seu irmão quem te amarrou

 2.

Rei caçador, rei caçador
Rei caçador na beira do caminho
Oi não me mate esta coral na estrada
Ela abandonou sua choupana, caçador
Foi no romper da madrugada

 3.

Rei caçador, rei caçador
Rei caçador na beira do caminho
Oi não me mate esta coral na estrada
Ela já venceu sua demanda, caçador
Foi no romper da madrugada
Que a folha da mangueira ainda não caiu

 4.

O meu São Sebastião
Fostes preso e amarrado
Livrai-nos dos inimigos
Que nos traz acorrentado

 5.

Ele é caboclo, ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Quando eu vai firmar meu ponto
Bumba na calunga
Eu vai firmar é lá na Angola
Bumba na calunga

 Subida

 1.

A sua mata é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus, Caboclos, adeus flecheiros
Eles vão embora
E vão beirando o rio azul

 2.

Caboclo pega a sua flecha
Pega o seu bodoque o galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá lhe chama para sua banda
 
 3.

Na aldeia de Juremá
O Caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá
Curimbembê, curimbembá
Sete Flechas, um grande Orixá

Caboclas

Eu vi chover, eu vi relampear
Mas mesmo assim o céu estava azul
Firma seu ponto nas folhas da Jurema
Que Oxóssi reina de norte a sul

 






Pontos de xangô







Pedra rolou Xangô
Lá na pedreira
Segura a pedra meu Pai
Na cachoeira
Tenho o meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Firma seu ponto meu Pai
Pai de cabeça chegou
=================
Xangô, ele rei da pedreira
Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda
Xangô ele é o nosso Pai
E filhos de Xangô
Bambeia mas não cai
================
Quem rola a pedra na pedreira é Xangô
Quem rola a pedra na pedreira é Xangô
Viva a coroa de Zambi
Viva o meu Pai é Xangô Agodô
E aqui neste reino ele está
=============
Estava sentado na pedra
Esperando meu Pai Xangô
Xangô na Aruanda
Xangô na quimbanda
Xangô na linha das almas
Com Ogum venceu demanda
===========
Segura a pedra Xangô
Não deixa a pedra rolar
Pega no livro e na pena
Para a justiça firmar
=============
Eram seis horas
Quando o sino tocou
Na Marambaia
Cidade da Jurema
Eram dez horas
Quando o galo cantou
Com licença de Zambi
Saravá Pai Xangô
==============
Na pedreira da mata virgem
Aonde mora meu Pai Xangô
Água minou, Nanã Borocô
Pedra rolou, saravá Pai Xangô
===============
Quem de lê, quem de lê Xangô
Ele filho da cobra coral
Olha preto está trabalhando
Olha branco não está olhando
================
Ô Gino olha a sua banda
Ô Gino olha o seu gongá
Aonde o rouxinol cantava
Na pedra onde Xangô morava
Ele Gino da cobra coral
Ele Gino da cobra coral
Ele Gino da cobra coral
Kaô
=============
Que pedreira tão alta
Que nem limo criou
Oh não me quebra pedra
Que a morada é de Xangô
================
Seu Ariri, Ariri, Ariri
Seu Ariri ele é o Rei da Mata Virgem
Aonde o sabiá cantava
Na pedra onde Xangô morava

Quando a lua aparece
=============
Leão na mata roncou
A passarada estremece
Olha a coral que piou, piou, piou
Olha a coral piou
Salve o povo de Ganga ô
Chegou seu Rei de Umbanda
Saravá nosso Pai Xangô
==============
(pólvora)

Lá no alto da pedreira
A faísca vem rolando
Agüenta a mão cabra de força
Que a faísca vem queimando
================
Minha mãe cadê Xangô
Xangô foi passear
Minha mãe cadê Ogum
Foi pra guerra guerrear
=============
Lá em cima daquela pedreira
Tem um lírio que é de Xangô
(bis)
Kaô, kaô, kaô, kabeci
============
Xangô meu Pai
Deixa essa pedreira aí
(bis)
Umbanda tá lhe chamando
Deixa essa pedreira aí
=============
Sua machado é de ouro, é de ouro
(bis)
Machadinha que corta mironga
É machadinha de Xangô
==========
Meu Pai Xangô
Olhai seus filhos
Que eu também sou filho seu
Kaô, Kabeci
Saravá gongá
(bis)
===============
Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai
Foi o Senhor mesmo quem disse
Filho de Umbanda não cai
==============
Tererê Xangô, ô tererê Xangô
Na calunga,
Segura filhos de Umbanda
Não deixa filhos cair
=============
Por de trás daquela serra
Tem uma linda cachoeira
(bis)
É onde mora o meu Pai Xangô
Que arrebentou sete pedreiras
===========
Xangô é dono da pedreira
Segura o meu destino até o fim
(bis)
Se algum dia eu perder
A fé no meu Senhor
Rolai essa pedreira sobre mim
Meu Pai Xangô
============
Oxossi é rei das matas
Xangô é da pedreira
Iansã da ventania
Mãe Oxum da cachoeira
Xangô, Xangô
Xangô, kaô
Kabeci
===========
O lelê kaô
O lelê kaô
O lelê é de vangolé
Lelê kaô
=========
O Ganga ô
A terra é da Jurema
O leão é lá das matas
A pedra é tão forte
O rei, é Xangô
===========
Xangô veio das virgens matas
Com seu bastão de prata
Para nos salvar
Xangô kaô
Xangô no reino é meu Senhor
=============
Dê deloucau
Dê deloucau auê
Xangô, olha Ogum de o dé
Olha Ogum de lê Xangô
Olha Ogum de o dé
Olha Ogum de lê
===========
Oh rei do mundo
Oh rei do mundo
Dizem que Xangô
Mandou girar
Mas é com fé

===============
Naquele tempo que Xangô recebia
Com sua pena de ouro
Xangô escrevia
============
Xangô está no céu
Ai não está não
Xangô está na Terra
Ai não está não
E ê ê ê ê
Segura Umbanda, macumba – auê
=============
Lá no reino de Badé
Lué, lué
Quem fala tem pouca fé
Lué, lué
Tem cheirinho de guiné
Lué, lué
Xangô no reino de fé
===========
Graças a Deus, meu Deus
Pelo dia de hoje
Louvado seja Deus
Meu Pai Xangô, muito obrigado
Que Deus nos dê muita luz em nossos caminhos
===========
Pedra rolou pra Xangô
Lá nas pedreiras
Afirma o ponto meu pai
Na cachoeira
Pedra rolou pra Xangô
Lá nas pedreiras
Afirma o ponto meu pai
Na cachoeira
Tenho meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Afirma o ponto meu pai
Pai de cabeça é Xangô
Tenho meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Afirma o ponto meu pai
Pai de cabeça chegou
==========
Quem rola as pedras na pedreira é Xangô
Quem rola as pedras na pedreira é Xangô
Giro na coroa de Zambi
Giro na coroa de Zambi
Giro na coroa de Zambi
é Xangô
Giro na coroa de Zambi
Girooo
Giro mas saravá meu pai Xangô
Quem é quem vence as demandas ?
Quem é o dono das Pedras ?
é Xangô
===========
Lá em cima daquelas pedreiras
Tem um livro que é de Xangô
Lá em cima daquelas pedreiras
Tem um livro que é de Xangô
Kaô, Kaô, Kaô cabeciem
===============
Xangô morreu de velho
Na pedra ele escreveu
- Justiça meu Pai , Justiça !
Ganhou quem mereceu
- Justiça meu Pai , Justiça !
Ganhou quem mereceu
=============
Xangô meu pai
deixa está pedreira aí
Xangô meu pai
deixa está pedreira aí
que umbanda tá lhe chamando
deixa está pedreira aí
que a umbanda tá lhe chamando
deixa está pedreira aí






PONTOS DE ABERTURA






PONTOS DE ABERTURA

HINO DE UMBANDA


Refletiu a luz divina
Com todo o seu esplendor
Vem do reino de Oxalá
Onde há paz e amor
Luz que refletiu na terra
Luz que refletiu no mar
Luz que veio de Aruanda
Para tudo iluminar
A Umbanda é paz e amor
É um mundo cheio de luz
É força que nos dá vida
E à grandeza nos conduz
Avante filhos de fé
Como a nossa lei não há
Levando ao mundo inteiro
A bandeira de Oxalá


DEFUMAÇÃO


Vamos incensar esta casa Que o dono dela chegou
Vamos incensar esta casa
Casa de meu pai Xangô
Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo
Jesus Cristo incensou aos filhos seus
Eu incenso, eu incenso esta casa
Fé em Xangô, Ogum e Oxalá
Estou incensando, estou defumando
A casa do Bom Jesus da Lapa
Corre gira pai Ogum (eles)
Filho quer se defumar (elas)
Umbanda tem fundamento (eles)
É preciso preparar (elas)
Cheira a incenso e alecrim (eles)
Cheira arruda e guiné (elas)
Umbanda tem fundamento (eles)
Defumai filhos de fé (elas)
Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Benjoim, alecrim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé, defuma.
Povo de Umbanda
Vem ver os irmãos seus
Defuma este ambiente
Nas auras de Deus
Povo de Umbanda,
Vem ver os irmãos seus
Defuma estes filhos,
Nas auras de Deus


 BATE A CABEÇA


Bate a cabeça filhos de Umbanda
Bate a cabeça filhos de fé
Pra você que é filho de pemba
Pra você que é filho de fé
Vamos, bate a sua cabeça
E peça a Deus o que quiser

 
 SAUDAÇÃO AO ANJO DA GUARDA


Lá no céu uma luz brilhou
Anjos do terreiro eu chamei
Oh Deus, oh Deus
Como brilha bonito
O Anjo que está em mim
Se Oxalá permitir, que venha meu anjo
Me guarde meu Anjo
Me abençoe meu Anjo
Meu Anjo da Guarda
Me guarde meu Anjo
Me abençoe meu Anjo
Meu Anjo de luz.

 
 PRECE DE ABERTURA


Oxalá meu pai
Tens pena de mim, tens dó
A volta do mundo é grande
O teu poder é maior.

 
 ABERTURA DA GIRA


Eu abro a nossa gira
Com Deus e Nossa Senhora
Eu abro a nossa gira
Sandorê, pemba de Angola
Gira, gira, gira dos caboclos,
Sem sua gira eu não posso trabalhar
Assim, assim na fé de Xangô meu pai,
Sem gira eu não posso trabalhar.
 
 
 SAUDAÇÃO à PEMBA E à TOALHA

 
Deus salve a pemba,
Também salve a toalha
Salve a coroa,
É de nosso Zambi, é o maior

 
 SAUDAÇÃO àS SETE LINHAS DE UMBANDA


Quando os caboclos
Trazem as folhas da Jurema
E os Pretos Velhos
Trazem arruda e guiné
Eles vêm trabalhar na lei de Umbanda
Tem licença de Aruanda
Pra salvar a quem tem fé
O sabiá canta alegre na palmeira
E Xangô lá na pedreira
Os seus filhos vem salvar,
Meu pai Ogum
Empunhando a sua espada
Manda um toque de alvorada
Toda a linha vai chegar

 
 SAUDAÇÃO àS CRIANÇAS
Quem vem lá, quem vem lá de tão longe
São os anjinhos que vêm trabalhar
Oi dai-nos forças
Pelo amor de Deus, meu Pai
Oi dai-nos forças aos trabalhos meus

 
 SALVE O PAI JOÃO

 
No clarão da noite, no romper do dia
Chama Pai João, chama Mãe Maria
Pra me defender da feitiçaria
Saravá o Pai João, saravá a Mãe Maria
Saravá povo de Umbanda
Salve a estrela guia


 SAUDAÇÃO A EXÚ SETE PORTEIRAS (7X)


Lá na porteira eu deixei meu sentinela
Eu deixei Sete Porteiras
Tomando conta da cancela

 
 SUBIDA DO PAI JOÃO


A sineta do céu bateu
Oxalá já diz é hora
Eu vou, eu vou, eu vou
Ficar com Deus e Nossa Senhora

 
 SAUDAÇÃO A SEU TRANCA RUAS
Exú, Exú Tranca Ruas,
Me abre o terreiro e me fecha a rua. 3x

 
 SAUDAÇÃO A EXÚ TRANCA GIRA
Seu Tranca Gira é rei lá na calunga

Sem este Exú não se pode fazer nada
7 velas encruzadas
Em cima daquela tumba
Saravá Seu Tranca Gira
Salve o povo da calunga 3x

 
 SALVE OGUM DE RONDA

 
Quem está de ronda é São Jorge
Meu Pai me diz aonde é
Quem está de ronda é São Jorge
Salvai os filhos de fé
Rondai, rondai oh São Jorge
Meu Pai me diz aonde é
Rondai, rondai oh São Jorge
Jesus, Maria e José
Olha Ogum está de ronda
Quem está chamando é São Miguel
Éu, éu, éu, na linha de Umbanda
Quem está chamando é São Miguel


 SAUDAÇÃO A OGUM BEIRA MAR


Beira Mar auê Beira Mar
Ogum já jurou bandeira
Nos campos do Humaitá
Ogum já venceu demanda
Vamos todos saravar
Beira Mar auê Beira Mar
Eu estava na minha gira
Eu estava no meu Congá
Eu estava na minha gira
Vamos todos saravar
Beira Mar auê Beira Mar


 LOUVAÇÃO A XANGÔ


Quando a lua apareceu,
Leão da mata roncou,
A passarada estremeceu,
Foi a Coral que piou, piou, piou
Foi a Coral que piou
Salve o povo de Congá
Aí vem nosso Rei de Umbanda
Saravá nosso Pai Xangô.


 XANGÔ


Xangô, Xangô, meu Pai Xangô
Kaô, kabecile, obá, Xangô
Saravá Xangô 3x
Xangô ô ô ô ô, meu Pai, Xangô
Xangô mora na pedreira
Quem mandou relampejar
Kaô, kabecile, obá, Xangô
Saravá Xangô 3x


 CHAMADA DE SEU SETE CACHOEIRAS
Ele vem de longe
Da cidade da Jurema
Ele é Sete Cachoeiras
E vem com ordem suprema


Vibração


 1. XANGÕ
É Xangô o rei de lá da pedreira
É Oxum, rainha da cachoeira
Xangô é rei, Xangô é rei Orixá
Escreve lei pros filhos de Oxalá


 2. OXALÁ


Oxalá seus filhos lhe pedem auxílio
Vinde a eles ajudar
Derramai vossos olhos piedosos
A estes filhos de fé


 3. OGUM


Nesta casa de guerreiro Ogum
Vim de longe pra rezar Ogum
Rogo a Deus pelos doentes Ogum
Na fé de Obatalá Ogum
Ogum salve a casa santa Ogum
Os presentes e ausentes Ogum
Salve nossas esperanças Ogum
Salve os velhos e crianças Ogum
Nego velho ensinou Ogum
Na cartilha de Aruanda Ogum
E Ogum não esqueceu Ogum
Como vencer as demandas Ogum
A tristeza foi embora Ogum
Na espada de um guerreiro Ogum
E a luz do romper da aurora Ogum
Vai brilhar neste terreiro Ogum


 4. YEMANJÁ


Hoje é dia de Nossa Senhora
De nossa mãe Yemanjá,
Calunga e, e, e, e, e, e,
Calunga a, a, a, a, a, a,
Brilham as estrelas no céu
Brincam os peixinhos no mar,
Calunga e, e, e, e, e, e,
Calunga a, a, a, a, a, a


 5. OXUM


Aieiê, Mamãe Oxum
Aieiê, vem nos ajudar
Aieiê, Mamãe Oxum
Das cachoeiras de Oxalá
Aieiê, Mamãe Oxum,
Dê-me água pra beber
Tenho sede de esperança
Tenho sede de aprender


 6. OXÓSSI


Eu corri terra, eu corri mar,
Até que eu cheguei na minha raiz
Ora viva Oxóssi na mata
Que a folha da mangueira ainda não caiu


 7. IANSÃ


Eram duas ventarolas, duas ventarolas
Que ventavam o mar
Se a minha mãe é Iansã Eparrei
Agora que eu quero ver Eparrei


 8. NANÃ BURUQUÊ


São flores, Nanã, são flores
São flores, Nanã Burukê
São flores, Nanã, são flores,
Do seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
É ele quem vem nos valer
É ele, Nanã, é meu Pai,
É seu filho Abaluaê


 9. DESCARREGO DOS ORIXÁS


Ogum bateu na terra
Num raio de Xangô
Toda a poeira que sobrou
Oxum pra Aruanda levou, levou, levou
Licença de Oxóssi ela ganhou
Na onda de Yemanjá,
Iansã pro barravento de Oxalá
Tudo levou, levou, levou.


10. DESCARREGO DAS SETE LINHAS


Descarrega, descarrega
Todo o mal que aqui está
Leva, leva, leva
Tudo pro fundo do mar.


 11. SUBIDA DOS CABOCLOS


 A.
Já volteei lá na pedreira
E Xangô disse que sim
Quem tem santo tem Caboclo
Tá na hora de subir


 B.
Xangô já vai, já vai pra Aruanda
Sua benção meu, proteção pra nossa banda


 C.
Caboclo, pega a sua flecha
Pega o seu bodoque, o galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá lhe chama para sua banda


 SUBIDA DO CABOCLO SETE CACHOEIRAS


Xangô de ouro e ouro ô
Xangô me coroou
Filhos de pemba, a Umbanda chora
É Xangô que já vai embora
A Umbanda gira, gira, girê
A Umbanda gira, gira, gira, girá

   







Pontos de Preto velho






PONTOS DE PRETO VELHO



1-PAI ANTÔNIO

Dá licença Pai Antônio Que eu não vim lhe visitar
Eu estou muito doente Vim pra você me curar
Se a doença for feitiço Bulalá em seu congá
Se a doença For de Deus ai
Pai Antônio vai curar
Coitado de Pai Antônio
Preto Velho curador
Foi parar na detenção ai
Por não ter um defensor Pai Antônio é quimbanda, é curandor
Pai Antônio é quimbanda, é curandor É pai de mesa, é curandor
É pai de mesa, é curandor

2- PAI CIPRIANO

Bate tambor na Umbanda
Pra ver meu velho chegar
Ele é Pai Cipriano, ele é pai Cipriano
Mensageiro de Oxalá.

3-PAI CIPRIANO

Cipriano quimbandeiro, chorou no cativeiro
Hoje chora de alegria seu rosario de Maria
Chora, chora, saravando Angola (bis)

4-PAI CIPRIANO

Ele é Pai Cipriano, ele é Pai Cipriano
É um velho mandingueiro
Não tem medo de macumba,
não tem medo de quiumba
É um velho feiticeiro
Com a sua pemba na mão ela desafia
Com seu cachimbo na boca ele assobia

5-PAI CIPRIANO

Feitiço, mandinga, quebranto só ele sabe rezar
Sua bengala e seu cachimbo servem para trabalhar
Pai Cipriano das almas é um velho mandingueiro
Quando chega na Umbanda
Encruza todo o terreiro,
Ele é velho rezador com seu patuá de valia
Por Deus e Nossa Senhora, nos tira da agonia (bis)

6-PAI CIPRIANO

No cantinho de Pai Cipriano o caminho é da paz (bis)
Arrasto o toco, pega o toco e bota lá
Saravá Pai Cipriano que chegou nesse conga (bis)
Ele vai firmar, meu pai, ele vai firmar
Os quatro cantos desta casa
Com Ogum para guardar (bis)

7- PAI CIPRIANO

Segura com fé na mão de Cipriano
Pra colher flores ou espinhos retirar,
Ele nos traz a luz divina de Aruanda
O brilho da estrela guia a benção de Oxalá
Se o caminho é de paz, Cipriano é amor
Segura com fé na mão do meu vovô

8- MARIA CONGA

Todo dia era dia de choro e de muita dor
Mesmo assim uma escrava chegava de bom humor
Quem chorava passava a sorrir
Quem caia ficava de pé
Ela era a esperança o amor e a fé
Na passagem de um mundo pro outro seu povo sentiu
E aquela doçura e alegria não mais existiu
Ela disse que ia voltar precisando pode lhe chamar
Pra Aruanda o tambor pode tocar
Conga, Vó Maria Conga
Que saudades de você
Preta velha feiticeira rainha do Cateretê

9- VOVÓ ANA

Ela é vovó Anna, ela é do cruzeiro (bis)
Ela vem sarava, ela vem curiar nesse terreiro (bis)
Ela é de Nanã, é de Boruquê (bis)
Ela vem sarava, ela vem curiar pra ajudar você (bis)


10- VOVÓ ANA

Vovó Anna vem da praia no barquinho de Iemanjá
Ela vem firmar seu ponto pela fé de Oxalá
Oi tem areia oi, oi tem areia
na barra de sua saia tem areia. (bis)


11- PAI MANÉ

O senhor do Bonfim mandou, preto velho na banda
Ele vem da Bahia com seu rosário e seu patuá,
Ele vem trabalhar pra você (bis)
Pai Mané na banda agora é que eu quero ver.

12-CAMBINDA

Arriou na linha das almas
É Cambinda de fé oi babá (bis)
Velha feiticeira lá da Guiné,
Vem de muito longe pra curar filhos de fé. (bis)

13-PAI MIGUEL
Com sua balança que pesa
O bem o e mal que o filho faz (bis)
Ele é Pai Miguel, ele é Pai Miguel
Ele é Pai Miguel das Almas (bis)
Balança, como pesa a balança,
Balança como vai pesar (bis)
Com o amor de Xangô e a justiça na mão
Pai Miguel vem na umbanda salvar.


14- MARIA CONGA

Maria Conga, com suas folhas de guiné
Seu galhinho de arruda, o seu vence demandas,
Deixa o manacá em flor (bis)
Vem lá das matas, trabalhar com muito amor
Nesta Umbanda querida vem prestar a caridade
Para a Glória do Senhor (bis)

15-TIA MARIA

Liberdade ainda que tardia
assim rezava na senzala Tia Maria (bis)
Salve o triângulo divino salve o seu ponto riscado
Saravá Minas Gerais
Tia Maria de Minas chorando em oração
pedia a Zambi o fim da escravidão

16- PAI JOAQUIM

Chorar, chorar chorei
Cantar, cantar, cantei (bis)
Pai Joaquim senta no toco
filho de pemba não bambeia
procurei nos quatro cantos só pra ver se tem areia (bis)

17- PAI MANÉ

Pai Mané, é de Angola é (4x)
Ele vem de longe caminhando de mansinho
Pra ajudar seus filhos que procuram seu carinho (bis)

18-PAI BENGUELA

Vem das costas da Africa,
Pai Benguela vem trabalhar,
Vem das costas da Africa
No barquinho de Iemanjá (bis)
Vem firmar seu ponto na areia de Oxalá
Para sarava os seus filhos no conga (bis)

19-VOVÓ JOANA

Vem, vem, vem, quem vem no redemoinho (bis)
É vovó Joana que vem pitando seu cachimbo (bis)
Vem defumar os filinhos atendendo a Iemanjá
Tirando toda mandinga, levando pro fundo do mar (bis)

20-PONTO DE PRETO VELHO

Eu vi velho do rio sentado na pedra fria,
com o seu rosário rezando Ave Maria (bis)
Que susto eu tive, quando avistei
Aquele velho sábio me apaixonei (bis)


21-PAI FABRÍCIO

Meu Pai Fabrício, na Umbanda é curador
Vem pro terreiro abençoar nosso conga
Oi viva as almas viva a Deus viva a meu Pai,
Quem caminha com esse velho só balança mas não cai (bis)

22-PONTO DE PRETO VELHO

Meu Santo Antônio pequenino
Olha esse mundo como está
Quem me abraçava antigamente
Hoje quer me apunhalar
Olha seu cordão preto,
Meu Santo Antônio
Eu também sou filho seu
Afastai meus inimigos,
Meu Santo Antônio
Pelo santo amor de Deus

23-PONTO DE PRETA VELHA

Ah! Vovó das almas, não me deixe andar sozinho
Toma conta dos inimigos, abre os meus caminhos
Se eu sou filho de Omulú, meu Pai, Meu Pai é Santo
Santo do Meu Axé, Santo do meu encanto

24-CAMBINA

Cambina mamanhê, Cambina Mamãenhã
Oi segura a Cambina que eu quero ver
Filhos de Umbanda não tem querer

25-VOVÓ CAMBINDA

Vovó Cambinda tem sua guia,
Trabalha de noite e reza de dia.
Vovó Cambinda quer encruzá,
Ponto de pemba no meu “congá”

26-CAMBINDA

Agô pro Povo d’Angola,
Agô pro Povo de Mina,
Saravá as Santas Almas,
Agô pra Vovó Cambinda. (bis)

27-PONTO DE PRETA VELHA

Preta Velha que vem d’Aruanda,
Saravando atabaque e congá. (bis)
Oi Saravando seus filhos,
Na fé do Pai Oxalá. (bis)

28-PONTO DE PRETO VELHO

Eu adorei as almas, eu adorei
Eu adorei as almas
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas
Almas, de PAI MANÉ, eu adorei
Almas, de MARIA CONGA, eu adorei
Eu adorei as almas, eu adorei
Eu adorei as almas
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas
Almas, de VOVÓ CAMBINDA, eu adorei
Almas, de VÓ GUILHERMINA, eu adorei
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas

29-VÓ CATARINA

Saudai essa estrela de Jesus
Ela guiou e aos seus filhos deu a mão
No terreiro de umbanda ela é a luz
Ela curou com sua vibração
A sua força vem lá do cruzeiro
A simplicidade é o que me fascina
A lágrima representa o cativeiro
Anjo de Deus, salve a velha Catarina (bis)

30-VÓ CATARINA

Oi daí-lhes forças Jesus de Nazaré
Oi daí-lhes forças para vir trabalhar (bis)
Mas dizem que a umbanda tem mironga
Se tem mironga Catarina tem congá

31-VÓ CATARINA

Ela traz a sua rosa branca
E também traz a cruz de oxalá
Ela traz a sua rosa branca
E também traz a cruz de oxalá
Salve a velha catarina, salve a velha catarina
Que chegou neste congá
Salve a velha Catarina, salve a velha Catarina
Que chegou p´ra trabalhar

32- PONTO DE PRETO VELHO

Lá vem vovó
Descendo a serra com sua sacola
É com seu patuá
É com seu rosário
Ela vem de angola
Eu quero ver vovó
Eu quero ver
Eu quero ver
Se filho de pemba tem querer (bis)

33-PAI JOAQUIM

Pai Joaquim ê ê, Pai Joaquim ê á
Pai Joaquim veio de angola
Pai Joaquim vem de angola, angolá

34- PONTO DE PRETO VELHO

Arriou na linha de congo
É congo, é congo aruê
Quem trabalha na linha de congo
Agora que eu quero ver

35-PONTO DE PRETO VELHO

Eu vi num terreiro de umbanda
Um velho a trabalhar
Ele trabalha com a pemba
Mas quem manda na pemba é oxalá

36-PONTO DE PRETO VELHO

Os quindins, os quindins,
Os quindins, ô mujongo
Olha lá no mar
Olha lá no mar, ô mujongo
Olha mujomgo no mar
Sua terra é muito longe, ô mujongo
Ninguém pode ir lá
Ninguém pode ir lá, ô mujongo
Olha mujongo no mar

37-PONTO DE PRETO VELHO

Vovô não quer
Casca de coco no terreiro (bis)
P´ra não lembrar do tempo do cativeiro (bis)

38-PONTO DE PRETA VELHA

Vovó tem sete saias
Na última saia tem mironga
Vovó vem da bahia
P´ra salvar filho de umbanda
Com seu patuá e figa de guiné
Vovó vem da bahia
P´ra salvar filho de fé

39-PONTO DE PRETO VELHO

Eu vi a mata estalando
Meu filho vá ver quem é
É a falange do congo
Que vem queimando guiné,

40-PONTO DE PRETO VELHO

Cadê a sua pemba
Cadê a sua guia
Sua terra é muito longe
Seu congá é na bahia (bis)

41-MARIA CONGA

Que baiana é aquela
Que vende na feira acarajé
E no seu balaio
Ela traz arruda ela traz guiné
Ela traz guiné é è
Ela traz guiné é é
Maria conga vem salvar filhos de fé

42-PONTO DE PRETA VELHA

Tia Maria Tia Mariana
Amarra a saia com a palha da cana
Se a palha da cana arrebenta
Preta velha você não se engana
Quê querê quê quê
Preta velha é de bom parecer

43-MARIA REDONDA

Filho se você precisar
É só pensar na vovó
Que ela vem te ajudar (bis)
É numa estrada longa, meu filho
Que você vai andar
Numa casinha branca, meu filho
A vovó está lá
Sentada num banquinho oco, meu filho
Com rosário na mão
Pensa na vovó Maria Redonda fazendo oração

44-PRETO VELHO

Eu já plantei café de meia
Eu já plantei canavial
Café de meia não dá lucro, sinhá dona
Canavial cachaça dá (bis)

45-CAMBINDA

Amarra o touro cambinda
Na porteira do mourão
O touro é bravo, cambinda
Amarra no portão

46-MARIA CONGA

Maria Conga!
O que é que você quer? (bis)
Quero pemba, quero guia,
Quero folha de guiné. (bis)

47-PONTO DE PRETO VELHO

Se não fosse as minhas almas
Meu cruzeiro se queimava (bis)
Ai ai ai meu cruzeiro se queimava (bis)
Se não fosse Pai Mané,
Meu cruzeiro se queimava
Se não fosse Maria Conga,
Meu cruzeiro se queimava
Se não fosse Guilhermina,
Meu cruzeiro se queimava
Se não fosse Vó Catarina,
Meu cruzeiro se queimava
Se não fosse Vovó Cambinda,
Meu cruzeiro se queimava
Ai ai ai meu cruzeiro se queimava (bis)

48-PONTO DE PRETA VELHA

Um galhinho de arruda
A vovó me deu
Um galhinho de arruda
Pra me proteger
Eu agradeço a essa linda Preta Velha
Um galhinho de arruda
Ela me ofereceu
Eu agradeço a essa linda Preta Velha
Pois em suas orações
Ela nunca me esqueceu

49-PONTO DE PRETA VELHA

A fumaça do cachimbo da vovó
Sobe bem alto
Só não ver quem não quer
O cachimbo da vovó tem mironga
Na barra da saia, Na sola do pé

50-PONTO DE PRETO VELHO

Pisei na pemba
A pemba balanceou
O mundo estava torto
Santo Antônio endireitou

51-PONTO DE PRETO VELHO

Meu Santo Antônio pequenino
Corre Umbanda devagar
Meu Santo Antônio pequenino
Corre Umbanda sem parar

52-PONTO DE PRETO VELHO

O Santo é que está de ronda
O meu Santo Antônio Aruandá
Na Aruandê,na Aruandê, na Aruandá
Santo Antônio na linha de Umbanda
É Ogum,
É o meu protetor
Santo Antônio é quem é meu padrinho
Neste mundo de Nosso Senhor

53- -PONTO DE PRETO VELHO

Meu Pai Antonio pequenininho,
mas não me deixa andar sozinho (bis)
Arreia Pai Antonio Clareia Meus caminhos (bis)

54- PONTO DE PRETO VELHO

Meu cachimbo está no toco
Manda moleque buscar (bis)
No alto da derrubada
Meu cachimbo ficou lá (bis)
Que arruda tão bonita
Que Vovó mandou arrancar (bis)
Mas não chore meu netinho
Que Vovó manda plantar (bis)

55- -PONTO DE PRETO VELHO

Guilhermina cadê Catarina?
Foi lá no mato apanhar guiné
Diga a ela quando vier
Que suba as escadas
E não bata o pé

56- -PONTO DE PRETO VELHO

Nessa casa tem quatro cantos
Cada canto tem um santo
Pai e filho, Espirito Santo
Nessa casa tem quatro cantos
Zum zum zum

57- -PONTO DE PRETO VELHO

Olha só Jesus quem é
Eu rezo para santas almas
Inimigo cai e eu fico de pé

58- -PONTO DE PRETO VELHO

O preto por ser preto
Não merece ingratidão
O preto fica branco
Na outra encarnação
No tempo da escravidão
Como o senhor me batia
Eu chamava por Nossa Senhora, Meu Deus!
Como as pancadas doíam

59- VOVÓ CAMBINA

Cambina mamanhê
Cambina mamãenhã
Oi segura a Cambina que eu quero ver
Filhos de Umbanda não tem querer

60-CAMBINA

O Povo de Cambina
oi quando vem pra trabalhar
Todo o povo vem por terra
Cambinda vem pelo mar
Todo o povo vem por terra
Cambina vem pelo mar

61-REI CONGO

Rei Congo, Rei Congo
Cadê preto-velho?
Foi trabalhar na linha de Congo
É Congo, é Congo, é Congo
é de Congo, é de Congo aruêe
É Congo, é Congo, é Congo
Agora que eu quero ver...

62- PONTO DE PRETO VELHO

Tira o cipó do caminho, oi criança
Deixa a vovó atravessar
Eles vem chegando
São os preto velhos que vem trabalhar (bis)

63- -PONTO DE PRETO VELHO

Preto velho senta no toco
Faz o sinal da cruz
Pede proteção a Zambi
Para os filhos de Jesus
Cada conta do seu rosário
É um filho que ali está
Se não fosse os pretos velhos não sabia caminhar

64- PONTO DE PRETO VELHO

Preto velho nunca foi a cidade, oh cidade.
Fala na língua de zambi, oh cidade!
Preto velho nunca foi a cidade, oh cidade,
Fala na língua de zambi, oh cidade!

65-VOVÓ CAMBINDA

Pai Mané escreveu uma carta
Pra Vovó Cambinda ler
Não tinha papel nem tinta como é que ia fazer
Escreveu na areia (bis)
Ela é Cambinda firma ponto e não bambeia (bis)

66-PAI JOSÉ

Vó Cambinda, cadê Pai José
Está lá na roça colhendo café
Diz a ele que quando vier
Que suba a escada, não bata com pé

67-MARIA CONGA

Olhei pro céu vi uma estrela brilhando
Lá na pedreira eu vi pedra rolar
E os caboclos brincavam lá na aldeia
Uma sereia eu ouvi cantar no mar (bis)
E no seu canto ela me dizia
Que só queria ter asas para voar
Pra ir ao céu buscar a estrela que brilha
Maria conga enfeita nosso conga (bis)

68-PONTO DE PRETO VELHO

Que fumaça cheirosa vovó
Sai do seu cachimbo
Não sei se é arruda, vovó, ou manjericão
Só sei que essa fumaça vovó
Faz bem pro meu coração

69-PONTO DE PRETO VELHO

Eu andava perambulando
Sem ter nada pra comer
Eu pedi às Santas Almas para vir me socorrer
Foi as almas quem me ajudou, foi as almas que me ajudou
Meu divino Espírito Santo, viva a Deus, nosso Senhor.

70-PONTO DE PRETO VELHO

Pam, Pam, Pam
Bateram na porta do céu
Pam, Pam, Pam
São Pedro abril pra ver quem é
Mas eram as almas Santas benditas
Que se pesaram na balança de Miguel.

71- PONTO DE PRETO VELHO

Foi, foi Oxalá, que mandou eu pedir
Que mandou implorar
Que as Santas Almas viessem me ajudar
Que eu fosse na calunga de joelho a implorar.

72- PONTO DE PRETO VELHO

Santo Antonio de Pemba,
Segura a curimba, segura o conga
Eu sou filho de Pemba
Não posso cair, e não posso tombar
Oi, como caminhou, meu pai, mas como caminhou
Santo Antonio de Pemba como caminhou

73- MALAQUIAS

Valei-me meu São Benedito
Saravá a sua coroa
Saravá meu Senhor do Bonfim
Meu senhor Malaquias
Saravá todo povo da Bahia

74-PAI MANÉ

Ele é pai de cabeça,
É o chefe do nosso conga
O vento que balança as águas na Bahia
Deixa o Pai Mané aqui passar
Hoje é dia de festa no terreiro do meu pai,
Sarava Pai Mané que ele é o nosso pai
Embala eu babá, embala eu
Embala eu babá, embala eu
Embala eu babá, embala eu
Embala eu babá, embala eu

75- PONTO DE PRETO VELHO

Eu fui na Bahia fazer uma promessa ao Senhor do Bonfim
Eu seguirei a minha banda até o fim
Me ajuda me dê paz e saúde, ó Senhor do Bonfim

76-PAI MANÉ

Pai, Pai Mané, nunca nos abandone
Toma conta do seu terreiro, toma conta do seu conga
Foi com almas, com as almas que eu conheci a macumba
Com as almas que eu conheci .........

77-CAMBINDA

No terreiro tem uma velha
Que não pode mais andar
Ela vai fazer macumba até o dia clarear
Dandá vovò
Segura o toro cambinda amarra no moira
Meu santo Antonio é paquenino, abra a porta do céu
Cambinda velha estremeceu, mas não saiu do moira
Bahia ô áfrica vem cá vem nos ajudar
Força baiana, força áfrica força divina vem cá
O barquinho de São Salvador
Chegou na Bahia todo carregado
Trouxe cravo, trouxe rosa
E a Vovó Rita que vinha do lado
Filho de fé vai esperar, esperar vovó
Chora meu cativeiro, meu cativero, meu cativerá
Quando batia 6 horas preta velha batia tambor
Ela ia pra sua urucaia saravá pai oxosse sarava pai xango
Chora meu cativeiro, meu cativero, meu cativerá
No tempo da escravidão cozinhava pra ela só
Preta velha não quer que eu coma
Abóbora, maxixe, quiabo e giló
Abóbora, maxixe, quiabo e giló
Desata o nó
Do caminho dos seus filhos
Eu plantei mandioca
Formiga comeu
Plantei, plantei não planto mais
Preto velho cadê seu borna, digui, na cancela ficou lá
Ontem eu sonhei que estava na Bahia....
Baiana do candomblé........
Cadê a rosa, rosa baiana....
Vamos à praia dendê, quero
Sai de babado pimenta da costa colares e guias
Ai como é lindo teu olhar
Ai como é lindo teu caminhar
Eu digo adeus
Está chegando a hora
Preto Velho se despede
E já vai embora

78- PONTO DE PRETO VELHO

Ai vovó eu tenho medo
Ai vovó eu tenho medo
Que a fumaça do cachimbo
descubra o meu segredo
Que a fumaça do cachimbo
descubra o meu segredo

79-PAI JOAQUIM

Meu senhor da Senzala, meu Senhorzinho
Ele vem Cansado, Meu Pai Joaquim
Um grito de Liberdade Negro ecoou,
Quando Oxalá chamou,
Recebeu toda Paz, pela Humanidade
Hoje ele nos traz A Caridade
Luanda, Ôh! Luanda,
Como é tão lindo
Pai Joaquim em nossa Banda
Ôh! Luanda

80-CAMBINDA

Vó Cambinda vem de longe
De tão longe, cansada de caminhar
Ela vem devagarzinho Sinhazia,
Quase que não pode andar
Vó Cambinda vem de longe
De tão longe, Mas até que aqui chegou
O seu corpo está marcado, coitadinha
Do chicote do sinhô
Seu caminho era de espinho
Só de espinho
Mas agora é só de flor
Mas, quanta dor, quanta tristeza
Que a velha traz no coração
Quando ainda ela se lembra
Do tempo da escravidão
Oh Deus lhe salve a estrela guia
Nos tempos da salvação
Isabel a redentora
Pôs a luz na escuridão

81-PAI JULIÃO

Pai Julião é tão pequenininho
Ninguém sabe a força que esse velho tem

82- PONTO DE PRETO VELHO

Adorei as almas
As Almas me atenderam
Eram as santas almas lá do cruzeiro

83- PONTO DE PRETO VELHO

As almas já acenderam o candieiro
Êeh lá no fundo mar

84-PAI GUINÉ

É o vento que balança a folha ô Guiné
Êeh Pai Guiné, é o vento que balança a folha

85- PONTO DE PRETO VELHO

Preto na senzala bateu sua caixa deu “Viva Nhanhá”
Preto na senzala bateu sua caixa deu “Viva Nhônhô”
“Viva Nhanhá”! “Viva Nhônhô”!
Viva Nossa Senhora, o cativeiro já acabou

86-CAMBINDA

Ecoou, um canto vindo de longe, ecoou
Um lindo dia uma luz no céu brilho
Sob a Estrela Guia, iluminada chegou
A preta velha de Aruanda, luz divina
Recebeu de Oxalá o nome Vovó Cambinda

87- PONTO DE PRETO VELHO

Auê meu cativeiro
Olha meu cativeiro
Meu cativerá
Auê meu cativeiro
Meu cativeiro
Meu cativerá
Preto velho tava cansado
Ia pra senzala batia o tambor
Preto velho dava viva a iaiá
Dava viva à sinhá
Dava viva ao senhor

88- PONTO DE PRETO VELHO

Preto Velho trabalha sentado
Se for preciso trabalha em pé
Mandinga de preto velho
É galho de arruda e folha de guiné

89-TIA MARIA

Foi numa noite de lua
Que eu vi Tia Maria chegar
Ela estava tão serena
Sentada em seu congá
Lere lere
Ela vem nos saravá
Lere lere
Pra seus filhos abençoar

90-TIA MARIA

Quando o galo canta
As almas se levantam
E o mar recua
Os anjos do céu dizem amém
Tia Maria diz aleluia
Diz aleluia, diz aleluia
Tia Maria diz aleluia

91- PONTO DE PRETO VELHO

Galo cantou
E eu vi uma coral piar
Segura pemba, passa a mão na ferramenta
Pra salvar povo de Umbanda
E vamos trabalhar
Tira daqui, meus infio
Tira de lá
No congá olha a pemba de pai Oxalá

92-VOVÓ CAMBINDA

Vovó Cambinda mandou
Apanhar o seu foité
Ela quer um poquinho de vinho
Seu cachimbo com fumo, arruda e guiné
Eu pergunto à Vovó
É pra fazer mironga?
Eu pergunto à Vovó
É pra demandar ?
Quem pergunta quer saber
Eu não sei se a Vovó vai dizer






Pontos de Caboclos.







Pontos de Caboclos

1

Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador
Ouvi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
Vem de Aruanda auê
Todos os caboclos de Umbanda
Vem de Aruanda auê

Ô caçador na beira do caminho
Não me mate essa coral na estrada
Ela abandonou sua chopana caçador
Foi no romper da madrugada

Entrei na mata sem pedir licença
Para ver a força que a Jurema tem
ô juremê, ô juremá
ô dá licença pros meus caboclos passar

Arreia capangueiros
Capangueiros da Jurema
Arreia capangueiros
Capangueiros do Jurema

2

Okê Caboclo!
Seu tupi quando branda lá nas matas
É primavera, ô primavera
Ó como é belo as folhas rolando pelo chão
Ó como é lindo as flores desabrochando
Eu ouço o canto de Tupi
na canção de Guarani
Olorum, olorum a brilhar
uma flecha atirar
ele zoa, zoa e as folhas voam
parecem falar
Seu tupi quando branda lá nas matas
É primavera, ô primavera (2x)

3

É hora, é hora
É hora do calendário é hora
É hora do calendário,
É hora de Deus, amém
O Caboclo veio agora
O seu mano vem também
É hora, é hora
É hora do calendário é hora
É hora do calendário,
É hora de Deus, amém
Seu Montanha chegou agora
Seu Tupi veio também, é hora
É hora, é hora
É hora do calendário é hora
É hora do calendário,
É hora de Deus, amém
Seu Meio Lua chegou agora
Seu Mareião veio também, é hora
É hora, é hora
É hora do calendário é hora
É hora do calendário,
É hora de Deus, amém
Seu Folha Seca chegou agora
Seu Sete Folhas veio também, é hora

 4

Meu pai Oxóssi é quem disse
que na sua aldeia ainda falta caboclo
Pisa no rastro do outro
Oi Caboclo
Pisa no rastro do outro

5

A estrela lá no céu brilhou
E a mata estremeceu
Aonde anda o capangueiro da jurema
Que até agora não apareceu ?

6

Caboclo quando vem lá da jurema
Ele traz na cinta uma Cobra Coral
Se ele é caboclo
Se ele é atirador
Se ele é Oxóssi
Ele é o caçador

7

Vestimenta de caboclo
É samambaia é samambaia
É samambaia
Venha caboclo não se atrapalha
Saia do meio da samambaia

8

Ele é caboclo
Ele é juremeiro
E na alvorada tem penas carijó
Vadeia ô Vadeia ô
Vadeia meus caboclos na aldeia
Vadeia como o vento na areia
Vadeia meus caboclos vadeia
Os caboclos na aldeia
E a Sereia na areia

9

Olha a Macaia ah
Olha a Macaia ê
Saravá Oxóssi
Meu caboclo Saravá
Saravá toda a Macaia
Com licença de Oxalá
No seu terreiro seu ponto veio firmar
Saravá seu Tira Teima
Que ele veio trabalhar

No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema, filha de Tupi
Jurema, jurema, jurema
Ela é cabocla na Lei Suprema

10

Eu já vou me embora
Para minha aldeia
Eu já vou me embora camarada
Para Juremeira
Lá são sete estrelas
São sete os caminhos
Todos levam à Deus camarada
Nunca estou sozinho

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Um abraço dado de bom coração
é mais que uma benção, uma benção .

11

A sua terra é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus Umbanda
Que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul

12

A sua mata é longe...

 

 

13

Atravessei o mar a nado
Em cima de dois barris
Foi só pra ver a juremeira
E os caboclos do Brasil

14

Eu vi na margem do rio
Em linda manhã serena
Caboclo seu Pena Verde
Firmando ponto na areia
Galo cantou na serra
A mata estremeceu
Caboclo seu Pena Branca
na cachoeira apareceu
Ele é caboclo guerreiro que mora no rochedo
Somente cobra coral conhece dele o segredo

15

Caiu uma flecha na jurema
Veio serena e molhou
E depois veio o sol
Enxugou , enxugou
E a sua mata se abriu toda em flor

16

No céu azul
Eu vi uma estrela brilhar
No céu azul é a morada de Oxalá
O galo já cantou
Foi no romper da aurora
Seus cablocos trabalharam
Eles já vão embora

17

Olha a folha do coqueiro
Olha lá
Se meu caboclo foi embora
Eu vou buscar

18  - Arranca Toco

Seu Arranca Toco é de Aruanda
É di namô zambê
Quando ele vem lá de Aruanda
Auê auê

 

19 - Tupinambá

Tava na beira do rio
Sem poder atravessar
Chamei pelo caboclo
Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei, tornei chamar ê ah

20

Tupinambá é ganga na macaia
Tupinambá ê ê
Tupinambá
Tupinamba guerreiro de Oxóssi
Tupinambá ê ê
Tupinambá
Tupinambá não perde uma demanda
Tupinambá ê ê
Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá ê ê
Tupinambá
Só não apanha a folha da Jurema
Sem ordem suprema do pai Oxalá

21 - Folha Verde

Okê Caboclo!
Como é tão lindo
Assistir festa na mata
Ouvir o som da cascata
E o lindo canto do sabiá
Que noite linda, bela noite de luar
Foi no clarão da lua
Que eu vi Folha Verde chegar
A mata está em festa
Toda coberta de flor
Até os passarinhos cantam meu caboclo
Eles cantam em seu louvor
ô ô ô quanta beleza
ô ô ô quanto esplendor
Como é bom ter a certeza
Que seu Folha Verde é meu protetor

22 - Rompe Mato

É o rei, é o rei
É o rei do panaia
E da Jurema
Lá na Jurema
Rompe Mato é o rei

Hoje tem alegria no terreiro do meu pai
Saravá seu Rompe Mato
Que ele é chefe do congá

Naquela estrada de areia
Aonde a lua clareou
Todos os caboclos paravam
Para ver a procissão de São Sebastião
Okê Okê caboclo
Meu pai caboclo é São Sebastião

23 - Cobra Coral

A coral é sua cinta
A jibóia é sua laça
Que zoa que zoa que zoa aê
Caboclo mora na mata

24 - Caçador

Seu caçador na beira do caminho
Não me mate essa coral na estrada

Ela abandonou sua chopana caçador
Foi no romper da madrugada

25 - Caboclo Flecheiro

Bumba na calunga ele é caboclo ele é flecheiro
Bumba na calunga e amansador de feiticeiro
Bumba na calunga caboclo firma seu ponto
Bumba na calunga ô vai firmar lá de Angola

 

26 - Caboclo Guaracy

Auê caboclo da mata virgem
Seu pai um dia lhe perguntou
Ó Guaracy caboclo da Jurema
Que vai fazer em terra de pecador ?
Eu vou pisar na minha aldeia
Para ajudar filho que é merecedor

27

A mata estava escura
Veio o luar e clareou
Pai Guaracy aqui chegou
Pois ele é o rei dos caçadores
Mas ele é o rei
Ele é o rei , ele é o rei
Pai Guaracy na Umbanda
Ele é o rei

28

Pai Guaracy que nasceu nas matas
E se criou lá na travessia
Ele é caboclo é chefe coroado
E Zambi achou que ele merecia

 

29 - Caboclo Pena Branca

Um grito na mata ecoou
Foi seu Pena Branca que chegou
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar

30 - Caboclo Samambaia

Quanto tempo que eu não bambeio
Hoje eu vim pra trabalhar
Sou Caboclo Samambaia
Vim aqui pra trabalhar
Sou Caboclo Samambaia
Vim aqui pra saravá

31 - Caboclo Sete Flechas

Lê lerê lerê lerê lerê lê ah
Caboclo Sete Flechas no congá
Saravá seu Sete Flechas que ele é o rei da mata
A sua bodoque atira caboclo
A sua flecha mata

32

Ele atirou
Ele atirou e ninguém viu
Só Sete Flecha é quem sabe
Aonde a flecha caiu

33

Caboclos Sete Flechas nasceu
No jardim das Oliveiras
Trazia amarrado em sua cinta uma Coral
Ô Sucuri, Jibóia na aldeia
Ô Sucuri, Jibóia
Caboclo vem beirando o mar

34 - Caboclo Ubirajara

Estrela D'Alva é sua guia
Ubirajara é caboclo valente
Mora lá na mata
Lá na grota funda
Lá no fim do mundo

 

 

Caboclo Caçador da Mata

Sr. Caçador na beira do caminho  2x

Não me mate essa coral na estrada

Ela abandonou sua choupana Caçador

Foi no romper da madrugada  2x

              ********

Senhor Oxóssi a sua mata é linda

É linda como brilha o sol

Auê Caçador lá das matas

Auê Caçador das Auê

              *********

No centro da mata virgem, debaixo do arvoredo

Eu vi o Sr Caçador atirar sua flecha pra não errar

Zuou, zuou a sua flecha zuou  2x

                 *********

Caça, caça no canindé, inaê inaô  3x

Ele é o Caboclo Caçador

 

Caboclo da Pedra Preta

Caboclo da Pedra preta, ele gosta de bem-te-vi

Quem não gosta de Umbanda, o que vem fazer aqui?

Auê auê caboclo, agora que eu quero ver   2x

 

 

Caboclo Ubirajara

Ubirajara na Umbanda é um rei  2x

Ele é um rei, ele é um Táta    2x

Lá na mata sua flecha zua  2x

Zua quando sobe, quando desce ela mata  2x

Ele é um rei, ele é um Táta

             **********

 Com tanto pau no mato, eu não tenho guia

Caboclo Ubirajara onde está sua guia

Corta mironga, corta mironga

Corta língua de falador

No seu peito não há embaraço

Sr Ubirajara Peito de Aço

 

Caboclo Cobra-Coral

Eu atirei, eu atirei, eu atirei

Atirei na Juriti, acertei no Juremá

Salve Oxóssi, slave Ogum, salve Oxalá

Salve as cores do saiote do me Pai Cobra-Coral

 

Caboclo Pena Branca

Sr Pena Branca é o rei

Que nos astros mora

Venha ver seus filhos

Que tanto lhe adoram êh

             *********

 

Galo cantou na serra, a mata estremeceu  2x

Caboclo Sr pena Branca, na cachoeira apareceu  2x

Ele é Caboclo guerreiro que mora num rochedo

Somente Cobra-Coral conhece dele o segredo

                          ***************

Oxóssi é o rei das matas, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador

Eu vi meu pai assoviar, e eu já mandei chamar

É de Aruanda auê, é de Aruanda auê

Sr. Pena Branca é de Aruanda

Quem manda nas matas é Oxóssi, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador

Eu vi meu pai assoviar, e eu já mandei chamar

É de Aruanda auê, é de Aruanda auê

Sr. Pena Branca é de Aruanda

          ****************

Caboclo Flecheiro

Ele vem de tão longe, cansado de caminhar

Salve o Caboclo Flecheiro que vem saravá o congá

Pra chegar nesse terreiro, ele cortou tanto cipó

Atravessou a mata virgem, veio na fé do Pai maior

                        ***************

Ele é caboclo, ele é Flecheiro   2x

Oi tumba na calunga, ele é caçador e feiticeiro  2x

                  ****************

Caboclo 7 Flechas

Foi numa tarde serena, lá na mata da Jurema que eu vi o Caboclo bradar 2x

Kiô, kiô, kiô, kiô que era, Sua mata está em festa

Saravá Sr 7 Flechas, ele é o rei da floresta

Curimbembê, curimbembá Sr 7 Flechas Curimba é orixá  2x

Nasceu na mata de Oxóssi, na aldeia do Juremá

O Caboclo 7 Flechas, iluminado por Oxalá

Curimbembê, curimbembá Sr 7 Flechas Curimba é orixá  2x

Com 3 dias de nascido, a Jurema o encontrou

Deitado na folha seca e o Caboclo ela criou

Curimbembê, curimbembá Sr 7 Flechas Curimba é orixá  2x

                ******************

 Lê, lele, Lere lere lere lere lerá

Lê, lele, Caboclo 7 Flechas no congá

Saravá Sr 7 Flechas, ele é o Rei da Mata

Com seu bodoque atira caboclo

Sua flecha mata

 

Caboclo Lage Grande

Quando Sr Lage Grande Chegou nesse congá

E os caboclos vieram ajudar

Veio Ogum, veio Xangô, veio Yemanjá

E a Jurema para ajudar

E as estrelas clarearam a mata escura

E Oxalá abençoou, saravá todos os caboclos

Saravá Sr Lage Grande do congá

                  **************

Caboclo Pena Azul

Pena Azul é caboclo guerreiro, Yemanjá a rainha do mar  2x

De Jurema ele é companheiro, vem trazendo na cinta sua cobra-coral   2x

 

Caboclo Tupinambá

Tupi, Tupi, Tupi,

Tupi Tupinambá

Ele é chefe de terreiro

Ele é chefe de congá

         **********

Estava na Beira do rio sem poder atravessar

Chamei pelo Caboclo, caboclo Tupinambá

Tupinambá chamei, chamei tornei chamar

              *********

Caboclo Pena Verde

Eu vi na mergem do rio, em linda manhã serena  2x

O Caboclo Sr. Pena Verde riscando um ponto na areia  2x

 

Caboclo Gira Mundo

Salve o Caboclo Gira Mundo, aqui neste jacutá

Ele vem nos proteger com as forças de Ogum, com as Forças de Oxalá   2x

Tem mironga, mironga ê,

Tem mironga , mironga eá

Sr Gira Mundo, no terreiro é orixá

 

Caboclo Treme Terra

Quando ele veio da aldeia, ele bradou Kiô Kiô

É o Caboclo Treme Terra

Quando ele afirma seu ponto, meu pai

Oi ele não bambeia

 

Caboclo 7 Encruzilhadas

Eu venho da minha mata, eu venho pra trabalhar  2x

Eu chamo 7 Encruza, pra ele me ajudar  2x

 

Caboclo Sultão das Matas

Mas que Sultão é esse que pisa devagar?  2x

Sem o Sultão das Matas, ninguém  pode trabalhar    2x

 

Caboclo Sultão de Tapiruá

Sultão, sultão , sultão é de Tapiruá

Ele pega na raiz, pra filhos de Deus curar

 

Caboclo Mata Virgem

Caboclo da Mata Virgem, da mata serrada lá da Juremá  2x

Quem manda na mata é Oxóssi, quem manda no céu é Oxalá   2x

O Okê Caboclo, quero ver girar, quero ver Caboclo na banda chegar   2x

 

Caboclo Pele Vermelha

Eu sou o Pele Vermelha

E trago duas bandeiras

Uma é a branca da paz

A outra é a vermelha guerreira

 

 

 

 

 

Cabocla Jurema

Eu entrei na mata pra apanhar guiné

E vi uma cabocla, perguntei quem é?

Ela me respondeu, meu nome não vou dizer

Sou dona das folhas, agora é que eu quero ver

         *****************

Que lindo capacete de penas

Tem a Cabocla Jurema

Ela é bonita como a flor do girassol

Le le le le le lá

         *************

Chegou Jurema, no terreiro ela baixou  2x

A cabocla vem sorrindo, demonstrando seu amor  2x

A Cabocla Jurema está protegendo este congá  2x

Ela veio de Aruanda pro terreiro saravá  2x

              **************

Ela vem de longe, de longe, sem vacilar

No capacete três penas e no braço uma cobra-coral

Ela é a Jurema, no seu juremá

Cabocla Primeira, Rainha do seu jacutá

               ****************

Jurê, o Juremê o Juremá

É a Cabocla de pena, filha de Tupinambá

É a Cabocla Jurema, filha de Tupinambá

Rainha da pontaria, jamais se viu ela errar

Jurema, Jureminha, Jureminha, Jurema

É a Cabocla de pena, filha de Tupinambá...

A lua lá no céu subiu, e a mata toda escureceu

Onde está a companheira da Jurema?

Que até agora não apareceu

 

Cabocla Jussara

Auê Jussara, dona Jussara como vai você?

Auê Jussara, eu vim de longe só para lhe ver auê auê

              ***********

Lua que clareia a Aruanda

Óh Lua que clareia a Umbanda

Clareia Cabocla Jussara

Clareia os terreiros de Umbanda

 

Cabocla Juraci

Cabocla Juraci o que vem fazer aqui?  2x

Eu não vim pra fazer nada, só vim pra proteger  2x

Você bebeu Jurema, você se embriagou  2x

E na força da Jurema, você se levantou   2x

 

Oxóssi

Eu vi chover, eu vi relampear

Mas mesmo assim o céu estava azul

Sandorê pemba na folha da Jurema

Oxóssi reina de norte a sul

           **********






Pontos de Baianos







 PONTOS DE BAIANOS
1- PONTO DE BAIANOS


Bahia, oh África
Venha nos ajudar
Força baiana
Força africana
Força Divina
Vem cá, vem cá


2-
Tem areia oh, tem areia
Tem areia oh, tem areia
Tem areia no fundo do mar
Tem areia
Lá nas matas tem mironga
Eu quero vê
Lá nas matas tem um coco
Nesse coco tem dendê



3-
Se ele é baiano
Agora que eu quero vê
Dançar catira
No azeite de dendê
Eu quero vê
Os baianos de Aruanda
Trabalhando na umbanda
Pra quimbanda não vencer



4-
Quando eu cheguei da Bahia
E a estrada eu não vi
Cada encruza que eu passava
Uma vela eu acendi



5-
Oh na Bahia tem
Tem dendê
Oh na Bahia tem
Baiano trabalha bem



6-
Na Bahia tem um coco
Este coco tem dendê
Vem nega comer coco
Vê se come esse coco
Que esse coco é bom de comer



7-
Tava no mato, tava no mato
Tava bem escondidinho
Tava no mato, tava no mato
No dendê abaixadinho



8- PONTO DO BAIANO SEVERINO

Mas olha eu camará
Camarada meu
Sou Severino
Que chegou aqui agora
Candomblé bato no keto
Umbanda bato na angola



9-
Oi na Bahia corre água sem chover
Nos todos somos baianos
Agora que eu quero vê
Oi na Bahia tem gente que sabe lê
Também tem uns dois baianos
Que desmancha canjerê



10-
Baiano que vem da Bahia
Vem beirando a beira mar
Põem a conga no sereno
Oi deixa a conga serena
Aue baiano
Baiano que balanceia
Aue baiano
Na serra da mandingueira



11-
Oi vamos baianada
Pisar no catimbó
Pra amarrar os inimigos
Na pontinha do cipó



12-
Oh meu Senhor do Bonfim
Valei-me São Salvador
Vamos sarava minha gente
Que o povo da Bahia chegou
Bahia, Bahia, Bahia de São Salvador
Quem nunca foi a Bahia
Peça a Deus nosso Senhor



13-
Baiana da sai rendada
Seu tabuleiro tem axé
A baiana ta requebrado
Como dança no candomblé
Oh, Bahia
Bahia de nosso Senhor do Bonfim
Oh, Bahia
Terra de São Salvador



14-
Na Bahia tem
Vou mandar buscar
Lampião de vidro, oh sinhá dona
Para clarear



15- PONTO DO BAIANO SEVERINO

Estrela Dalva
Estrela matutina
Oh luz divina
Venha nos salvar
Seu Jesus Cristo venha nos salvar
Vou saudar seu Severino
A falange de Oxalá


16-
Ele é da Bahia
Esse baiano vale ouro
Ele é da Bahia
Salve o seu chapéu de couro


17-
Tava na estação
Quando o trem chegou
Cheio de baiana
De São Salvador


18-
É na Bahia que tem baiano
É na Bahia que tem azeite de dendê
Baiano, baiano
Estou lhe chamando
Pra você me defender


19-
Baiano é mau
Como surucucu, o ganga
Não mecha com ele, o ganga
Baiano zanga


20-
Ele veio da Bahia
Ele vem pra sarava
Ela veio da Bahia
Ele veio trabalhar
Veio cheia de mandingas
Veio sarava o congá






PONTOS DE BOIADEIROS







 PONTOS DE BOIADEIROS

1- PONTO DE BOIADEIRO

Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi tanta água que seu boi nadou
Foi tanta água que seu boi bebeu
Seu boiadeiro
Foi tanta água que seu boi nadou


2-
Mas ele veio pelo rio de contas
Vem caminhando pela aquela rua
Olha que beleza
Seu boiadeiro no clarão da lua

3-
Boa noite meus senhores
Boa noite meus senhores
Daí licença para um cavaleiro
Daí-me licença para um cavaleiro
Eu moro em mata serrada
Eu moro em mata serrada
O meu nome é caboclo vaqueiro
Boa noite meus senhores
Boa noite meus senhores
Daí licença para um cavaleiro
Daí-me licença para um cavaleiro
Deus nos salve casa santa
Deus nos salve casa santa
Onde Deus fez a morada
Onde Deus fez a morada
Boa noite meus senhores
Boa noite meus senhores
Daí licença para um cavaleiro
Daí-me licença para um cavaleiro
Onde mora os cálices bento
Onde mora os cálices bento
E a hóstia consagrada
E a hóstia consagrada

4-
Cadê minha corda
De lança meu boi
O meu boi fugiu
Eu não sei pra onde foi

5-
Toma lá vaqueiro
Toma jaleco de couro
Toma jaleco de couro
Na porteira do curral

6-
Na minha boiada me falta boi
Oi me falta um ou me falta dois
Na minha boiada me falta boi
Oi me falta dois ou me falta três

7-
Tava longe, tava longe
Tava longe dessa terra
Tava longe, tava longe
Tava longe tava em guerra

8-
Zai, zai, zai boa noite meus senhores
Zai, zai, zai boa noite e venham cá
Zai, zai, zai eu me chamo boiadeiro
Zai, zai, zai não nego meu natural

9-
Oh lá nas matas
Lá da Jurema
Oh lá nas matas
Lá da Jurema
É uma lei severa
É uma lei sem pena

10-
Em cima do meu lajedo
Eu bebi água no gravata
Sou boiadeiro
Eu bebi água no gravata
Sou gentileiro
Eu bebi água no gravata

11-
De manha cedo na capela bate o sino
Seu boiadeiro veio aqui para rezar
Trabalhador não tem noite não tem hora
Galo canto ta pronto pra trabalhar

12-
A menina do sobrado
Mandou me chamar, pois sou criado
Eu mandei dizer a ela
Estou vaquejando o meu gado
Olô boiadeiro
Eu gosto do samba arrochado

13-
Folha por folha
Na mangueira tem
Minha guiada
E, e, a

14-
Abalei minha roseira
Para tirar do caminho
Na aldeia de boiadeiro
Não se pisa em espinho

15-
São sete anos
São sete noites
Que eu andava na juremeira

16-
Com meu chapéu de couro
Com Deus abençoado
Ao chegar peço licença
Pra entrar no seu reinado

17-
Pedrinha miudinha
Pedrinha de Aruanda eh
Lajedo tão grande
Tão grande de Aruanda eh

18-
Oh meu lajedo é muito grande
De pedrinha miúda
De pedrinha miúda
Oh de pedrinha graúda

19-
Estrela Dalva é minha guia
Que ilumina sem para
Ilumina a mata virgem
Cidade do jurema

20-
De lá vem vindo
De lá vem só
De lá trazendo
As forças maior

21-
E lá no mato
Tem um boiadeiro
Ele é bonito e formoso
Como o raio do sol

22-
E como vai camarada
Eu vou indo
Eu venho aqui
Na tocada do sino

23-
A abelha que faz o meu
Também faz o são cura
Caboclo pega a sua flecha
Não deixa outro toma
E, e, e, e,
Guerreiro joga as flechas para o ar

24-
Mais um adeus
Aleluia adeus
Vou pra jurema
Quem vai se embora sou eu
Eu já vou, já vou
Eu já vou pra lá
Tupã pai me chama
Eu já vou a retirar

25-
E quem vem lá
É dois dois de ouro
Quem vem lá boiadeiro sou eu
A cancela do meio bateu
Sou eu, boiadeiro sou eu
Boiadeiro, boiadeiro
Sua boiada esparramada
Boiadeiro chama seu guia
E vai ver sua boiada

26-
Sou brasileiro, sou brasileiro
Sou brasileiro imperador
Sou brasileiro
O que, que eu sou
Eu sou brasileiro
Brasileiro imperador
Eu sou brasileiro
Brasileiro o que, que eu sou

27-
Oh lapa
Oh lapa de bom Jesus
Oh lapa terra sagrada
Boiadeiro é que nos conduz

28-
Sinhazinha já me vou
Galo cantou na serra
Salvei ioiô
Salvei sinhá
Bate o dia estrada a fora
Peço a Ogum pra me ajudar

29-
Água no pé da gruta
Na gruta da santa cruz
Seu boiadeiro é hora, é hora
Sua guiada é de Jesus

30-
To no caminho
Boiadeiro toca o sino
Ele é menino
Mais já sabe trabalha
Seu moço toca a guiada
Seu boiadeiro bom Jesus do Maria

31-
E com o laço de couro fino
Capote de pele quente
Seu vaquejada já ta saindo
Sua boiada partiu na frente

32-
Bóia boiadeiro
Boiadeiro bóia
Se eu contar minha vida
Boiadeiro chora
 
33-
Cadê seu boiadeiro
Aonde ele ta
Ele ta fechando o corpo
Para trabalha
Range muito gado
Cura muita gente
Ele é Zé boiadeiro
Que cabra valente

34-
É hora, é hora
Galo cantou é hora é hora
Seu boiadeiro já vai embora
Com Deus e nossa Senhora

35-
E boi, e boi, e boi
Eu vou buscar meu laço
Eu perdi minha boiada
Na virada do compasso
Eu fui boiadeiro
Eu fui sim sinhô
Mais perdi tudo o que eu tinha
Por causa de um grande amor

36-
Não toque nesse boi
Que esse boi é cruzado
Ele é de boiadeiro
Caboclo valente de peito afiado
Se você precisar
Boiadeiro esta aqui
Mais não toque no boi
Que a ponta da chibata pode lhe ferir

37-
Salve boiadeiro
Salve a boiada
Salve a virgem Maria
Salve esta morada
Salve a luz Divina
Um rei lá na chapada
Salve a Santa Cruz
Salve a virgem Imaculada


38-

Ele é caboclo ele é Flecheiro
Bumba na calunga
É caçador de feiticeiro
Bumba na calunga
ele vai firma seu ponto
Bumba na calunga
Oi firma aqui e lá na Angola
Bumba na calunga

39-

Sou boiadeiro da serra
Eu vim buscar minha boiada (bis)
Na mão direita meu laço
Na esquerda minha guiada
Não deixo meu boi fugir
Eu vou cantando na estrada
Laia laia lalauê (bis)

40-

Seu boiadeiro olha que linda boiada (bis)
Está faltando um, está faltando um,
Pra completar a boiada (bis)
Ô ô ô ô ô ô ô ô ô ô ô (bis)
Lá vem seu boiadeiro
Tocando a sua boiada (bis)
41-

Chetruê, Chetruá
Minha corda é de laçar
Chetruê, Chetruá
Meu boi fugiu mandei buscar
42-

Vem, boiadeiro vem, gira seu laço na mão,
Seu boiadeiro toca boi, toca boiada,
De dia de madrugada ele é o rei lá do sertão,
Chapéu de couro, ele toca seu berrante,
Ele faz sua zuada nas bandas do Chapadão, seu boiadeiro

43-

Na instância de boiadeiro,
Eu bebi água de gravatá. (bis)
Eu bebi água de gravatá,
Seu boiadeiro,
Eu bebi água de gravatá. (bis)

44-

Bandeira Branca trago do Pai Forte,
Trago no peito uma Estrela brilhante,
Deus lhe salve tua Casa Santa.
E salve tua espada de guerreiro
Estrela D’Alva quem guiou meus passos,
Foi quem me trouxe neste terreiro,

45-

Atravessei o mar o mar à nado
Por cima de dois barris eu vinha ver a Juremeira
E os caboclos do Brasil

46-

Eu vim de Minas trazendo minha boiada,
Na beira da estrada eu parei pra descansar,
Boiadeiro, ê, boiadeiro há
Boiada boa como a de Minas não há.

47-

Ele é carreiro da Estação da Leopoldina,
Vinha carreando boi lá pro estado de Minas
48-

Quem samba fica quem não samba vai embora
Eu vou chamar seu boiadeiro que vai começar o samba agora...

49-

Boiadeiro joga o laço pra laçar seu Boi Tatá,
Se o cavalo é puro-sangue, o cavaleiro nem se fala...
Chetruê, chetruá

50-

Eu tenho meu chapéu de couro
Eu tenho a minha guiada
Eu tenho o meu lenço vermelho
para tocar a minha vaquejada
51-

Cadê seu Boiadeiro aonde ele tá,
Ele tá fechando o corpo
Para trabalhar
Tange muito gado, cura muita gente
Ele é João Mineiro que cabra valente.






PONTO DAS CRIANÇAS






 PONTOS DA LINHA DAS CRIANÇAS
1- PONTO DAS CRIANÇAS


Papai me manda um balão
Com todas as crianças
Que tem lá no céu
Tem doce Papai
Tem doce Papai
Tem doce lá no meu jardim

2- PONTO DAS CRIANÇAS


Voa, voa, Andorinha,
Voa, voa, bem ligeiro,
Traga Joãzinho e Cosminho,
Para brincar no terreiro. (bis)
Passando na cachoeira,
Me traga a Mariazinha,
Passando lá pela praia,
Me traga linda Rosinha.
Voa, voa Andorinha,
Voa, voa, e vai buscar,
As crianças para a Umbanda,
A festa vai começar.
Voa, voa, Andorinha,
Voa, voa, bem ligeiro,
Traga Joãzinho e Cosminho,
Para brincar no terreiro. (bis)
Tem bolo, bola e cocada,
Tem sodinha e guaraná,
Hoje é um grande dia,
Vamos todos festejar.

3- PONTO DAS CRIANÇAS

1 2 3 4 5 6 eu quero ver criança
Na cabeça de vocês

4- ROSINHA

Rosinha da praia quando chegar
Vai firmar ponto no congá
Com as bênçãos de Iemanjá
Rosinha da praia quando chega
Também gosta de brincar
Ela brinca com as conchinhas
Fazendo casinha com a areia do mar

5- PONTO DAS CRIANÇAS

Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Tem doce papai, tem doce papai
Tem doce lá no jardim

6- ROSINHA

Rosinha da Praia
Como vem beirando o mar
Como vem beirando mar,
Mas como vem beirando o mar

7- PONTO DAS CRIANÇAS

Vai começar a brincadeira, é uma grande festa
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde está a Rosinha, está na cachoeira
Onde está o Trovão, mora na pedreira
Onde está o Folhinha, está na mata a caçar
Onde está o Pedrinho que eu não vejo chegar
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde está o Lazinho, com vovô a rezar
Onde está o Paulinho, foi conchinhas catar
Onde está a Aninha, no campo a passear
Onde está Mariazinha que eu não vejo chegar
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde estão os eres que eu não vejo chegar
Onde estão os eres venham logo brincar
Tira, tira o pé do chão

8- PONTO DAS CRIANÇAS

Cosme e Damião, Damião cadê Doum
Doum foi passear no cavalo de ogum (bis)
Dois dois sereia do mar
Dois dois meu pai Oxalá (bis)

9- PONTO DAS CRIANÇAS

Bahia é que é terra de dois
É terra de dois irmãos (bis)
Governador da Bahia
É Cosme e São Damião (bis)

10- PONTO DAS CRIANÇAS

A estrela e a lua eram duas irmãs
Cosme e Damião também são dois irmãos
Oxalá e Ogum guiam nossos passos
São os filhos de Umbanda que balançam, mas não cai

11- PEDRINHO

Pedrinho, Pedrinho,
Mensageiro de xangô
Pedrinho, Pedrinho,
A ibeijada é paz e amor (bis)

12- PONTO DAS CRIANÇAS

Hoje tem alegria
Hoje tem alegria
Hoje tem alegria
No Terreiro de Umbanda
Hoje tem alegria

13- MARIAZINHA

Lá no céu tem três estrelas
Todas as três em carreirinha (bis)
Uma é Cosme e Damião
A outra é Mariazinha (bis)

14- PONTO DAS CRIANÇAS

Estrelinha que brilha no céu (bis)
É a estrelinha que brilha no mar
Estrelinha que brilha na umbanda (bis)
É a estrelinha de mãe Iemanjá

15- MARIANA

Mariana conta um
Mariana conta um
É um, é um, é um, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana
Mariana conta dois
Mariana conta dois
É dois, é um, é dois, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana
Mariana conta três
Mariana conta três
É três, é dois, é um, é dois, é três, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana...

16- PONTO DAS CRIANÇAS

A ibeijada já chegou
Vai querer, vai querer (bis)
Vai querer, vai tomar guaraná
E depois ela vai brincar

17- PONTO DAS CRIANÇAS

Pula corda esquindo lê lê
Pula corda esquindo lá lá
Quem não sabe pular corda
Não sabe sapatear (bis)

18- MARIAZINHA

Mariazinha da beira da praia
Como é que sacode a saia?
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia

19- MARIAZINHA

Mariazinha nasceu na beira do rio
Na beira do rio lá no Jurema
Aonde a lua brilha clareia a campina
Clareia a mata
Pra Ibejada brincar

20- PONTO DAS CRIANÇAS

Ele é pequinininho
Mora no fundo do mar
Sua madrinha é Sereia
Seu padrinho é Beira Mar
No fundo do mar tem areia
Seu padrinho é Beira Mar
Sua madrinha é Sereia

21- PONTO DAS CRIANÇAS

Fui no jardim colher as rosas
A vovózinha deu-me a rosa mais formosa
Cosme e Damião, ôoooh Doun
Crispim, Crispiniano
São os filhos de Ogum
Cosme e Damião, ôoooh Doun
Crispim, Crispiniano
São os filhos de Ogum

22- JUQUINHA

Juquinha da beira da praia
Como é se que abana o boné?
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné

23- PONTO DAS CRIANÇAS

Catarina você tem um congá que uma beleza
O terreiro enfeitado
Muitos doces sobre a mesa

24- MARIAZINHA

No jardim do céu brincam as crianças
Quando elas vem na terra traz amor e esperança!
Venham crianças, nos ajudar!
A criança é uma flor e merece o nosso amor
Pai oxalá que as abençoe!
Sempre resta uma esperança quando chega uma criança!
Venham crianças, venham brincar!
Fecha roda Mariazinha vamos todos cantar!
Zum zum zum chupa chupeta Doum!
Mas veja que belezinha a saia da Mariazinha! (2x)

25- PONTO DAS CRIANÇAS

Os Anjos lá no céu cantavam,
Estrela Dalva clareou
Os Anjos lá no céu cantavam,
Estrela Dalva clareou
Sarava Cosme e Damião,
Neste Terreiro Oxalá lhe abençoou
Sarava Cosme e Damião,
Neste Terreiro Oxalá lhe abençoou

26- PONTO DAS CRIANÇAS

Eu quero doce, eu quero bala,
Eu quero mel pra passar na sua cara

27- PONTO DAS CRIANÇAS

Quando a lua brilha no céu, clareia Umbanda
Clareia Ibeijada que vem lá de Aruanda

28- PONTO DAS CRIANÇAS

Tem bala de côco e peteca,
Deixa Ibejada brincar
Tem bala de côco e peteca,
Deixa Ibejada brincar
Hoje é dia de festa,
Ibeijada vem sarava

29- PONTO DAS CRIANÇAS

Doum é amigo leal,
Sem Doum eu não posso ficar
Doum é amigo leal,
Sem Doum eu não posso ficar
Vadeia Cosme, não me leva no chão,
Vadeia Cosme, cadê Damião
Vadeia Cosme, não me leva no chão,
Vadeia Cosme, cadê Damião

30- PONTO DAS CRIANÇAS

Cai, cai, sereno, vai meu destino
Me leva agora,
Para brincar com os meninos
Vou pedir licença à Zamby
E ao Sagrado Coração
Vamos todos bater palmas
Pra São Cosme e Damião

31- PONTO DAS CRIANÇAS

Titia me deu cocada,
tio me deu guaraná
Titia me deu cocada,
tio me deu guaraná
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Mamãe me deu caruru,
eu comi caruru de mamãe

32- PONTO DAS CRIANÇAS

Vamos brincar de roda
Cosme, Damião e Doum
Eles vem montados no cavalo de Ogum
Vem trazendo rosas pra Mamãe Oxum

33- PONTO DAS CRIANÇAS

Na Bahia tem um côco,
côco que faz a cocada
Côco que faz o manjar,
para dar para Ibejada
Doum, Doum, Doum, Doum,
Cosme e Damião
Doum, Doum, Doum,
brinca sentado no chão

34- PONTO DAS CRIANÇAS

Filho de Fé estava doente,
filho de Fé estava chorando
Filho de Fé viu Ibejada,
filho de Fé já está cantando

35- PONTO DAS CRIANÇAS

Ibejada está de Ronda,
São Jorge de prontidão
Salve o povo de Aruanda,
Salve Cosme e Damião





Pontos de Exu







 PONTOS DE EXU


1- EXU DAS 7 ENCRUZILHADAS

Era meia noite
Quando o malvado chegou
Corre gira, corre gira
Vai chegar a madrugada
Salve exu, salve exu
Das 7 Encruzilhadas


2- EXU DAS 7 ENCRUZILHADAS

Odara morador da encruzilhada
Firma seu ponto com sete facas cruzadas
Filho de umbanda pede com fé
Pra seu 7 Encruzilhadas
Que ele dá o que você quer



3- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Lua cheia iluminou
Na coroa de Oxalá
Vem chegando é madrugada
O seu 7 a curiar
Vou curiar, vou curiar
Exu seu 7
Na coroa de Oxalá


4- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Exu quando chega no reino
Mais todo mundo quer saber seu nome
Mais ele é seu 7 Encruzilhadas
Ele pula de banda, ele pula de lado


5- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Oh sete, oh sete
O sete Encruzilhadas
Toma conta e presta conta
No romper da madrugada



6- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Oh meu senhor das armas
Disse que eu não valho nada
Olha lá que ele é exu
Rei das 7 Encruzilhadas



7- EXU PORTEIRA

Portão de ferro
Cadeado de madeira
Exu toma conta
Exu presta conta
Seu exu fecha nossa porteira



8- EXU 7 PORTEIRAS

Na estrada tem um ganga
Ganga não leva carreira
Quando a demanda é grande
Chama por Sete Porteira



9- EXU TRANCA RUA DAS ALMAS

Viva as almas
Salve a coroa e a fé
Salve exu das almas
Ele é Tranca Rua de fé



10- EXU TRANCA RUA DAS ALMAS

É ele quem segura a nossa banda
É ele quem segura este congá
Por isso vamos cantar e bater palmas
Seu Tranca Rua das Almas
Vamos homenagear
Ena, ena é mojiba, é mojuba
Ena, ena é mojiba, é mojuba
E no calor das nossas palmas
Seu Tranca Rua das almas
Vamos homenagear




11- EXU TRANCA RUA DAS ALMAS

De capa e cartola caminha na madrugada
Andarilho da estrada sempre combatendo o mal
Seu Tranca Rua é amigo e camarada
Dando forte gargalhada me livra de todo mal
Laroiê exu é mojuba
Melhor que Tranca Rua das Almas não há
Sete marafos coloquei na encruzilhada
Sete velas e charuto também levei um padê
A meia noite chamei por seu Tranca Rua
Ouvi forte gargalhada ele veio me valer
Laroiê exu é mojuba
Melhor que Tranca Rua das Almas não há
Faço um pedido no meio da encruzilhada
A Tranca Rua das Almas antes do galo cantar
Se o galo canta é sinal que ta na hora
Firma gira meu ogã que Tranca Ruas vai embora
Laroiê exu é mojuba
Melhor que Tranca Rua das Almas não há



12- EXU TRANCA RUA DAS ALMAS

Vocês tão vendo esse moço
Que no cruzeiro ele esta
Ele é o exu Tranca Rua
Filho das almas também
Preste a ele uma grande homenagem
Quando por ele passar
Ele é o exu Tranca Rua
Filho das almas também
Tome cuidado não vá se enganar
Reúna os caminhos ele poderá passar



13- EXU TRANCA RUA DAS ALMAS

Tem coroa formosa
É sua força firmada
Saravá, saravá
Saravá seu Tranca Rua das Almas
Ele é homem seguro
Ele é homem respeitado
É na quimbanda
Um quimbandeiro consagrado




14.- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Salve exu rei da encruzilhada
Numa banda sem exu
Não se pode fazer nada
Em cima daquela mesa
Tem sete facas cruzadas
Salve tranca ruas
Salve sete encruzilhadas

15- EXU 7 ENCRUZILHADAS

Ogum mandou louvar exu,
Laroiê, laroiê, laroiê, laroiê
Ele é um tatá na calunga
Ele é bamba na encruza.
Laroiê, laroiê, laroiê, laroiê
Ele é meu amigo
É Sete Encruzilhadas
Laroiê, laroiê, laroiê, laroiê…

16- EXU TRANCA RUA

As curas de seu tranca ruas
São de uma beleza rara
Seu tranca ruas começa
Onde a medicina pára
É um fato consumado
Que ninguém mais ignora
Para o senhor tranca ruas
O câncer virou catapora

17- EXU TRANCA RUA

Sete, sete, sete
Sete favores eu pedi
Sete, sete, sete
Todos sete eu recebi
O primeiro pedi paz,
O segundo alegria
O terceiro igualdade,
O quarto a sabedoria
O quinto pedi saúde,
O sexto a prosperidade
O sétimo que eu fosse umbandista de verdade
Ele é seu Tranca ruas reina na encruzilhada
Gira na minha coroa sem ele eu não sou nada
Um exu iluminado com sete fontes de luz
Tem seu nome consagrado quem consagrou foi Jesus

18- EXU TRANCA RUA

Ó luar, ó luar (ó luar)
Mas ele é o dono da rua (ô luar)
Quem cometeu as suas faltas
Peça perdão a tranca ruas
Tanto sangue derramado
Espalhado pelo chão
Quem cometeu as suas faltas
Peça perdão a tranca ruas

19- EXU TRANCA RUA

Ele é filho do Sol,
Ele é neto da Lua
Quem cometeu as suas faltas
Peça perdão à Tranca Rua

20- EXU TRANCA RUA

Seu Tranca ruas, deu uma tesoura
Pra cortar língua de falador




21- EXU TRANCA RUA

Deu um clarão na encruzilhada
E do clarão surgiu uma gargalhada
Não era o Sol, não era a lua
O que brilhava era o mestre Tranca Ruas

22- EXU TRANCA RUA

Eu amei alguém, mas este alguém
Já não ama ninguém (bis)
Eu amei o sol, eu amei a lua,
Na encruzilhada eu amei seu Tranca Ruas (bis)
 
23- EXU TRANCA RUA

Seu Tranca Ruas
Que nasceu na rua
Se criou na rua
E na rua morreu
Seu Tranca Ruas
Seu Tranca Ruas
Seu Tranca Ruas
Ainda é dono da rua

24- EXU TRANCA RUA

Ele é Capitão da encruzilhada, ele é
Ele é ordenança de Ogum
Sua coroa quem lhe deu
Foi Santo Antonio
Sua divisa quem lhe deu Foi Omulu
Oi salve o céu
Salve o sol e Salve a lua
Saravá seu Tranca Ruas
Que corre gira no meio da rua
Ele ainda é mojubá (bis)
Saravá seu Tranca Rua
Que corre gira no meio da rua

25- EXU TRANCA RUA

Era madrugada
e o luar clareava toda rua
Um moço rico tão gabozo caminhava
Com sorriso me olhava
tinha fogo em seu olhar
Mas ele é meu amigo de fé
Meu exu camarada
O seu axé está na rua
o seu nome é Tranca Ruas
ele é o rei da encruzilhada

26- EXU TRANCA RUA

Batam palmas pra ele
O rei da festa chegou
Com sua capa e cartola
Na lei da umbanda Tranca Ruas ele é doutor
Vou demonstrar o meu carinho, gratidão com fervor
Batendo palmas pra ele seu Tranca Ruas ele é meu protetor
Laroiê exu

27- EXU TRANCA RUA

Seu Tranca Ruas é uma beleza
Eu nunca vi um exu assim
Seu Tranca Ruas é uma beleza
Ele é madeira que não dá cupim!

28-EXU MARABÔ
Marabô, ieê, Marabô ia, (bis)
Cadê Marabô, (3x)
Marabô ia

29- EXU MARABÔ

Seu Marabô, Seu Marabô
Ninguém deveria morrer,
Sem conhecer a razão
Com a força de um palmo de terra
Para jogar Seu Marabô no chão

30- EXU MARABÔ

Seu Marabô, ele é pequenininho
Mas pra mim ele grande demais
Todos pedidos que eu faço Marabô
Ele me satisfaz




31- EXU MARABÔ

No portão do cemitério
Eu vi um moleque lá
Pulava de cova em cova
Procurando onde morar
Que moleque é aquele
É seu marabô

32- EXU MARABÔ

Seu Marabô me cubra com sua capa,
Quem tem sua capa escapa,
A sua capa é um manto de caridade,
Sua capa cobre tudo, só não cobre a falsidade

 33-PONTO DE EXU

Ó luar, ó luar (ó luar)
Todos são filhos da Lua
Oi saravá as Pomba giras
Seu Marabô e Tranca Ruas

34- PONTO DE EXU

Soltei meu pombo lá nas matas
Foi na pedreira e não pousou
Mas foi pousar na encruzilhada
E exu saravou
Mas foi pousar na encruzilhada
E pombagira saravou
Mas ela vai girar auê

35- PONTO DE EXU

Ê qua, qua, qua
Que linda risada
Que exu vai dar
Que linda risada
Que exu vai dar
De qua, qua, qua

36- PONTO DE EXU

Tava curiando na encruza
Quando a banda me chamou
Exu na encruza aí
No terreiro ele é doutor
Exu vence demanda
Exu é curado

37- PONTO DE EXU

O sino da igrejinha
Faz Belém blem blom (bis)
Deu meia noite o galo já cantou
Todos exus/As pomba giras são donos da gira (bis)
Oi corre gira que Ogum mandou

38- PONTO DE EXU

Santo Antonio de batalha
Faz de mim trabalhador (bis)
Corre gira a Padilha
A Mulambo e Marabô (bis)

39- PONTO DE EXU

O garfo de exu é firme
A capa de exu me rodeia
Passei pela encruzilhada
Exu não bambeia

40- PONTO DE EXU

Santo Antonio pequenino
Botou fogo no paiol ô ganga
Exu pisa no toco de um galho só (2x)
O galho balança, exu não cai
Ô ganga



41- PONTO DE EXU

Serra a madeira e serra o pau
Se serra o pau serra o tronco também
Me dá licença
A encruzilhada o cemitério
E a figueira também

42- PONTO DE EXU

Cemitério é praça linda
Ninguém quer lá passear
Catacumba é casa branca
Casa de exu morar

43- PONTO DE EXU

Exu que tem duas cabeças
Ele olha sua banda com fé
Uma é satanás no inferno
A outra é de Jesus Nazaré

44- PONTO DE EXU

Exu caninana
Quem te mandou, caninana
Foi a Maria Padilha (caninana)
Foi seu marabô (caninana)
Foi Maria Mulambo (caninana)
Foi quem me chamou (caninana)

45- PONTO DE EXU

Quando o galo canta
As almas se levantam
E o mar ecoa
Os anjos do céu dizem amém
E o pobre lavrador diz aleluia
Diz aleluia, diz aleluia
Seu Marabô, diz aleluia (bis)
Diz aleluia diz aleluia
Dona Mulambo diz aleluia

46 PONTO DE EXU

Sete porteiras,
Sete encruzilhadas
Exu é da banda cruzada
Auê é banda cruzada

47- PONTO DE EXU

Na beirada do caminho
Este congá tem segurança
Na porteira tem vigia
Meia noite o galo canta

48- PONTO DE EXU

Exu fez uma casa, sem porteira e sem janela
Exu fez uma casa, sem porteira e sem janela
Ainda não achou, morador pra morar nela

49- PONTO DE EXU

A sua casa não tem parede,
não tem janela e não tem nada
Aonde é, aonde é que exu mora?
Exu mora na encruzilhada.

50- PONTO DE EXU

Ogum exu pede licença pra seu povo ele arriar
Mas ele é o exu guerreiro
Vem trazendo força pra esse terreiro



51- EXU VELUDO

Salve o sol, salve a lua
Na encruzilhada
Posso com tudo
Porque eu sou exu veludo

52- EXU CAVEIRA

Portão de Ferro
Cadeado de madeira (bis)
Na porta do cemitério
Onde mora exu caveira (bis)

53- EXU MEIA NOITE

Exu da meia noite,
Exu da madrugada
Uma banda sem Exu
não se pode fazer nada

54- EXU CAVEIRA

Eu vi homem sentado
Embaixo da amendoeira (bis)
Era osso só,
era Exu Caveira (bis)

55- EXU CAVEIRA

Ê Caveira
Afirma a ponto na folha da bananeira
Quando o galo canta é madrugada
Foi Exú na encruzilhada, batizado no dendê
Rezo uma oração de trás pra frente
firmo o ponto, a chama ardente, aquece Exú  ah laroiê
eu ouço a gargalhada de Tranca rua
O Caveira é o enviado, dos quatro cantos da rua,
é ele quem comanda o cemitério
catacumba tem mistério, seu feitiço tem axé,
Ê Caveira
Afirma seu ponto na folha da bananeira
E na calunga quando ele aparece,
Credo em cruz eu rezo prece pra o Exu dono da rua
Sinto a força desse momento
E firmo meus pensamentos nos quatro cantos da rua
E peço a ele que me proteja onde quer que eu esteja
Nessa longa caminhada
pois eu confio em sua ajuda verdadeira
Ele é o Seu Caveira, senhor da encruzilhada
Ê Caveira
firma seu ponto na folha da bananeira

56- JOÃO CAVEIRA

Ê puerê, ê puerá
Ê puerê, ê puerá
Em baixo da bananeira
só João Caveira

57- EXU 7 CATATUMBAS

Eu passei no cemitério
às onze horas do dia
Os homens davam boa noite
As mulheres davam bom dia
Zum zum zum o cemitério tremia
Zum zum zum sete catacumbas sorria (bis)

58- JOÃO CAVEIRA

Aonde vai corcunda
com tanta carreira
No portão do cemitério
vai chamar João Caveira

59- EXU TOQUINHO


Já deu meia noite meus irmãos
às 12 horas já bateu,
mas alevanta quem está sentado meus irmãos
para saudar Exu Toquinho

60- EXU VELUDO


Ê Veludo,
seu cabrito deu um berro
Entortou cerca de arame,
Estourou portão de ferro



61- EXU TIRIRI

Eu vi exu dando gargalhada,
Com tridente na mão e sua capa bordada
Ele é Exú Tiriri
Morador lá da calunga,
Vai firma seu ponto aqui (2x)


62- EXU TIRIRI

Ele é seu Tiriri mora na calunga
Se quiser falar com ele corre sete catacumba
Ele trabalha com o sol, trabalha com a lua, exú
Ele trabalha com o tempo, trabalha com o vento, exú

63- EXU DO LODO

Quando chega a madrugada
Exú do Lodo na Umbanda chega
Ele vem do cemitério
Vai sair a lua cheia
Quando chega a madrugada
Exú do Lodo na Umbanda chega
Ele vem do cemitério
Vai sair a lua cheia
Exú do Lodo é meu compadre na Umbanda
Exú do Lodo vem alegrar a nossa banda



PONTOS DE POMBA GIRA







 PONTOS DE POMBA GIRA
1- POMBA GIRA CIGANA

Vinha caminhando a pé,
Para ver se encontrava,
A minha Cigana de fé!
Ela parou e leu minha mão,
E disse a mais pura verdade!
Eu só queria saber onde mora,
A Pomba gira Cigana!

2- PONTO DE POMBA GIRA

Arreda homem, que aí vem mulher (bis)
Ela é a Pomba gira
Rainha de quem tem fé
Seu Tranca Rua vem na frente
Pra dizer quem ela é
Ela é a Pomba gira
Rainha de quem tem fé

3- POMBA GIRA CIGANA

Bem que eu lhe avisei
Que você não jogasse
Essa cartada comigo
Você parou no valete
E eu parei na dama
Amigo você não me engana
Eu sou pomba gira cigana


4- PONTO DE POMBA GIRA

Foi uma rosa que eu plantei na encruzilhada
Foi uma rosa que eu plantei no meu jardim
Maria Mulambo, Maria mulher
Maria Padilha rainha de quem tem fé

5- POMBA GIRA CIGANA

Ganhei uma barraca velha
Foi a Cigana Quem me deu (bis)
O que é meu É da Cigana
O que é dela Não é meu
Ciganinha puerê, puerá.

6- PONTO DE POMBA GIRA

É uma casa de pombo (bis)
É de pomba gira
Auê auê auê auá (bis)


7- PONTO DE POMBA GIRA

Corre, corre encruzilhada
A pomba Gira já chegou (bis)
Da porteira ou da calunga virá
Do lado de Marabô (bis)

8- POMBA GIRA CIGANA


Ela é ciganinha
da sandália de pau.
Quando ela chega no reino,
Traz o bem e leva o mal

9- POMBA GIRA CIGANA

Ciganinha, Ciganinha
da sandália de prata.
Com um pandeiro na mão
E o baralho na outra a ciganinha desacata

10- MARIA PADILHA

Deu meia noite
A lua se escondeu
Foi lá na encruzilhada
Ouvi uma gargalhada
E a Padilha apareceu
Alaruê, alaruê, alaruê
É mojubá, é mojubá, é mojubá
Ela é Odara
quem tem é em pomba gira
É só pedir que ela dá

11- PONTO DE POMBA GIRA

Eu caminhava pela alta madrugada
Sob o clarão da lua
Ouvi uma gargalhada
Linda morena formosa
Me diga quem você é,
Tu és a dona da rosa, és Pombagira de fé
Pode abrir qualquer gira
Pode chegar quem quiser
És Pombagira de umbanda
Só não te conhece quem não quer

12- MARIA PADILHA

Dizem que Pombagira é uma rosa
É uma rosa que nasceu no meio do espinho
Maria Padilha, rosa sem espinho
segue os meus passos ilumina os meus caminhos

13- PONTO DE POMBA GIRA

Deu uma ventania (ô ganga)
No alto da serra
É a pombo gira (ô ganga)
Que vem girar na Terra

14- MARIA PADILHA

Abre a roda (bis)
Deixa a Maria Padilha trabalhar
Quando ela vem,
Ela tem peito de aço, (bis)
E o coração de um sabiá

15- MARIA PADILHA

Foi Iansã quem te deu força
Rainha de quem tem fé
Vamos saravá (bis)
Maria Padilha que mulher (bis)

16- MARIA MULAMBO

Olha a sai dela Olelê
É Mulambo só
Sua saia tem sete metros
Sete metros é farrapo só

17- MARIA MULAMBO

Olha Maria, caminhando na calçada
Ela gira dia e noite até alta madrugada
Quem não conhece sua ponteira e seu cigarro
Sua rosa e seu marafo que bebia a cada passo
Ela caminha sobre o fogo se quiser
Ela abre qualquer gira
Pra salvar filhos de fé
É a Maria, entre as Marias
E seu passo lá vai bambo
Olha a Maria Mulambo

18- PONTO DE POMBA GIRA

A Pombagira no alto de uma ladeira
Ela pulava em cima de uma fogueira (bis)
Ela pulava, dava uma gargalhada
Amarrava os inimigos na barra da sua saia (bis)

19- MARIA PADILHA

A sua catacumba tem mistério,
Mas, ela é a Rainha do Cemitério!
Mas, ela é loira, dos olhos azuis,
Maria Padilha, Filha de seu Omolu!

20- PONTO DE POMBA GIRA


Pombagira ganhou garrafa de marafo
E levou na capela pro padre benzer
Entregou pro sacristão
Na batina do padre tem dendê
Tem dendê (bis)

21- RAINHA DAS 7 ENCRUZILHADAS

Sua Coroa é de Ferro,
Sua Capa é Encarnada
Saravá Exus e pombagira!
Rainha das Sete Encruzilhada!

22- MARIA PADILHA

Padilha ó Padilha ó
A pedra do seu anel
Brilha mais do que o sol (bis)
Com sua saia, sua rosa no cabelo,
Como é bonito ver a Padilha no terreiro (bis)

23- POMBA GIRA CIGANA

Quem nesse mundo nunca ouviu dizer
Quem nesse mundo nunca ouviu falar
De uma cigana que mora naquela estrada
Ela tem sua morada sob o clarão do luar
Cigana da estrada força poderosa
Me dê proteção e axé ciganinha formosa

24- CIGANA ROSA

Quando ouvi pela primeira vez aquela gargalhada
Achei uma coisa tão linda senti uma força cigana
Olhando no meio da roda
Estava lá uma cigana formosa,
Ela é cigana o... cigana rosa...

25- MARIA MULAMBO

Maria Mulambo
Ela mereceu ganhar
Ganhar o que ganhou
Foram sete rosas na calunga
Sete marafos
E uma saia de cetim
E como tudo isso não bastasse
Ela ganhou uma coroa de atotô
Atotô meu pai atotô meu senhor
Maria Mulambo mereceu o que ganhou

26- MARIA MULAMBO

Mulambo rainha da encruza
A deusa encantada
Tem no seu conga a segurança
Ela tem sua história marcada
Caminhou num tapete de flores
E nem sequer se importou
Ela deixou
Os seus súditos chorando
E foi viver
No mundo da perdição
Ela é rainha, ela é mulher (bis)
Pedacinho de mulambo
É para quem tem fé

27- MARIA PADILHA DAS ALMAS

Choveu, choveu,
Só lá na calunga é que não choveu,
É que a Padilha Cruzeiro das Almas
Presta conta pra Deus

28- PONTO DE POMBA GIRA

De vermelho e preto
Vestindo a noite um mistério traz
De colar de ouro brinco dourado a promessa faz
Você pode ir você pode vir
Peça o que quiser
Mas cuidado amigo ela é bonita ela é mulher (bis)
E no canto da rua rodando rodando, rodando está
Ela é moça bonita girando girando, girando lá
Oi girando lá ô lê lê
Oi girando lá ô lá lá

29- MARIA PADILHA

Maria Padilha
Você é a flor perfeita
Que vem dentro desta seita
Para aqueles que tem fé...
Tú és a Rosa que perfuma a Umbanda
Vencedora de demandas,
Com amor e muito axé...
Maria Padilha não me deixe andar sozinho,
Põe a rosa sem espinhos
Nos caminhos aonde eu passar...
Ô pombo gire, ô pombo gira
Faça um tapete de rosas para que eu possa caminhar.

30- MARIA MULAMBO

Nasceu no cruzeiro das almas,
Uma roseira que já deu flor,
Entre elas uma rosa
Que em uma linda mulher se transformou
Praticando sua caridade com muito amor
Exalando harmonia como o perfume da flor
Ela é moça bonita
Ela é faceira e formosa
Mulambo da encruza é a mais bela das rosas

31- PONTO DE POMBA GIRA

Vinha caminhando pela rua
Quando uma moça bonita eu vi
Com sua sandália de prata sua saia dourada
Ela sorriu para mim
Eu perguntei a ela, onde fica a sua morada
Ela respondeu pra mim assim
Moro numa estrada sem fim
Moro numa estrada sem fim

32- MARIA MULAMBO

Mulambo, soberana da estrada
Rainha da encruzilhada
E também de quem tem fé,
Suprema é uma mulher de negro
Alegria do terreiro seu feitiço tem axé
Mas ela é ela é, ela é
Mulambo da encruza
Minha amiga de fé

33- MARIA MULAMBO

Mas que caminho tão escuro
Que vem passando aquela moça (bis)
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso (bis)
Mas a pomba gira é a tatá molambo
Mas ela é a pomba gira é a tatá molambo
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso

34- PONTO DE POMBA GIRA

Pombo Gira
Se tu és uma rosa
Que floresceu sob um monte de espinhos
Ô pombo gira abre os meus caminhos

35- ROSA NEGRA

É negra, soberana e poderosa
É a mais linda das rosas que encanta o jardim
La na encruza é luz que nos dá caminho
Nunca nos deixa sozinho
Sempre pronta para nos ajudar
É rica de energia e de beleza
É fonte de alegria aonde houver tristeza
Sua missão é praticar a caridade
Demonstrando lealdade trabalhando para o bem
Ajudando a quem precisa e a quem não precisa também
Mas se você não acredita um dia há de acreditar
Quando passar pela calunga e Rosa Negra estiver lá
Ri qua qua, ri qua qua,
é a pombo gira Rosa Negra na calunga a gargalhar
Ri qua qua, ri qua qua, é pombo gira Rosa Negra
Ena ena mojubá

36- POMBA GIRA CIGANA

Ó Ciganinha, eu preciso de você.
Ó Ciganinha, eu preciso de você.
Vamos jogar o jogo da amarelinha,
Se eu perder, você me ganha
Se eu ganhar, você é minha

37- FIGUEIRA

Foi em uma estrada velha, na subida de uma serra
Numa noite de luar (de luar, de luar)
pomba gira da Figueira, Moça bela e faceira
Dava o seu gargalhar
Ela é mojubá, Ela é mojubá, Ela é mojubá

38- MARIA PADILHA

Moça me dá um cigarro do seu pra fumar
Porque dinheiro
Eu não tenho prá comprar
Vivo sozinho, vivo na solidão
Maria Padilha me dê sua proteção
Ô moça, ô moça, ô moça
Me ajude com a sua força

39- MARIA PADILHA

Cemitério é praça linda
Que eu não quero passear (bis)
Lá tem sete catacumbas,
a Padilha mora lá
Mora lá, mora lá
a Padilha mora lá


40- PONTO DE POMBA GIRA

Era meia-noite,
Lá na calunga a Pomba gira apareceu,
Iluminada pela lua,
Com a sua pele nua um sorriso ela deu (bis)
Mas ela é, ela é, ela é pomba gira das Rosas
Misteriosa mulher...

41- MARIA MULAMBO

Quando tu vens chegando na Umbanda
Trazendo paz, energia e amor
Com tua fama, teu empenho e teu carinho
Vens chegando de mansinho do lado de Marabô
Mulambo da encruza que veio nos ver
Seu axé é poderoso e veio pra nos valer
Vem enfeitada e seu vestido não tem cores
Lá da encruza vem tirar a nossa dor
Ela nos cura e purifica nossa alma
Dá uma gargalhada e deixa saúde e amor
Mulambo da encruza que veio nos ver
Seu axé é poderoso e veio pra nos valer

42- CIGANA DA PRAIA

Noite tão linda,
Céu estrelado misterioso luar
Ondas que avançam pra areia
Beijando os pés da cigana a bailar
Com seu vestido rodado e uma rosa na mão
Linda cigana peço a sua proteção
Trazendo paz e alegria, cheiro de rosas no ar
Filha do vento vem saudar força do mar
Como gira na areia ô, como gira na areia
A Cigana da Praia bailando pra Mãe Sereia
Como gira na areia ô, como gira na areia
A Cigana da Praia bailando pra Mãe Sereia

43- MARIA MULAMBO

Joga flores no caminho,
não me deixa andar sozinho,
nesse mundo de meu Deus.. (2x)
Você que é uma rainha,
mais deixou tudo o que tinha,
pra viver com os plebeus… (2x)
Linda, formosa e vaidosa,
traz no cabelo uma rosa,
que alguém lhe ofereceu,
Morena, quem me contou foi um jogo,
você é Maria de José,
mas para nós tú és Molambo
hô abre a roda, deixa ela dançar,
ela é Maria Molambo aqui e em qualquer lugar (2x)

44- ROSA VERMELHA

Procurei sim!
Dias e noites sem fim.
Procurei Rosa Vermelha e encontrei nesse jardim.(2x)
Procurei por uma Rosa.
A mais bela e formosa.
E encontrei Rosa Vermelha.
divina e maravilhosa.
Num jardim de lindas flores.
Encontrei linda mulher.
Rosa Vermelha Encantada.
Linda Rosa ela é!

45- ROSA VERMELHA

Ela vem caminhando no cruzeiro
Ela vem dançando vestida de vermelho
Ela é a pomba gira, ela é rosa de amor
Eu caminhava só e triste no cruzeiro
E uma moça de vermelho de repente apareceu
Com sete rosas, sua cabeça coroada
E sua saia rodada que dançando não se vê
Muito bonita eu achei muito formosa
Quando chega a noite aflora o perfume de mulher
Mas, ela é Rosa Vermelha, Ela é uma linda flor
Ela é uma rosa cheia de amor (bis)
Rosa vermelha, rosa vermelha sagrada
Rosa vermelha a Pomba Gira das Sete encruzilhadas
Vive girando, rondando só pela rua
Rosa vermelha a Pomba Gira das Sete encruzilhadas
Bonita rosa, a encruzilhada, bonita rosa
Que vem dançando de madrugada

46- MARIA PADILHA

Sua gargalhada ecoa na madrugada
Maria Padilha não é cinzas ela é brasa,
Com sol ou lua louvamos com fé
Maria Padilha está pro que der e vier
Não mexa com a Padilha brincadeira ela não é
Transforma espinho em rosas se fores merecedor
Na barra da sua saia ninguém nunca encostou
Labareda de fogo queima, É o aviso que ela dá
Quem quer caminhos floridos com ela não vai brincar


47- MARIA PADILHA

Maria Padilha
Estou Cantando Em Seu Louvor,
Na Barra Da Sua Saia
Corre água E Nasce Flor

48- MARIA PADILHA

Umbanda sua rainha chegou
umbanda mais uma estrela brilhou (bis)
o salve, salve a Pomba Gira
que veio da encruzilhada
para alegra nossa gira,
o salve seu ponteiro de aço
salve a sua tesoura que
corta todo embaraço

49- MARIA PADILHA

Quem viu o sol se esconder
Quem viu a Lua brilhar
Quem viu o espinho da rosa
Também vai ver Maria Padilha chegar (bis)
Os seus olhos são verdes
Sua cor é mulata
Seus cabelos são negros
E a sandália é de prata
Numa mão tem perfume
Na outra tem a flor
Para Umbanda querida
Maria Padilha traz paz e amor








Pai joao de Angola
Ogum vencedor de demanda

Os trabalhos desenvolvidos
Quem somos
constituição da república
Fundamentos. da Umbanda
cartão de visitas
Pontos Cantados
Orações.
Oxum
As Pombas Giras
Maria Padilha
Altar na Umbanda.
Comida de santo
Cosme e Damião
Gira de Umbanda
Homenagem a Zé pilintra.
Xangô o rei da Justiça
Banhos de descarrego.
Simpatias Diversas
Guias contas e colares.
Defumações
Batismo na Umbanda
Conselhos de preto velhos
Escrava Anastácia.
Marinheiros na Umbanda.
Pai benedito.
Homenagem a Tranca Rua
Baiano zé do Coco.
Descarrego de Polvora.
Ciganos na Umbanda.
Sara Kali.
Preto velho na Umbanda.
Cabocla jurema.
Omulu/ Obaluaiê.
Altar virtual.
Mãe Maria Conga.
Boiadeiros na Umbanda.
Altar Virtual de exu.
O que è Caridade?
Caboclo boiadeiro.
Ser Médium.
Caboclos na Umbanda.
Como acontece a Gira.
Conduta moral
Anjo da Quarda.
Curiosidades.
Intolerância Religiosa.
Mediunidade.
Corrente mediunica.
Orações 2
tronqueira
Casamento na Umbanda.
pontos cantados 2
Sincretismo religioso.
Caracteristicas dos filhos
Altar dos Preto-velhos.
Exu









Ao mestre com carinho

Oração a Pai João de Angola

Ogum

Oxum

Yansã

oracões

Xangô

Yemanjá

Oxossi

Oxalá

Oxumarê

Preto-velhos

Caboclos

Boaideiros na Umbanda

Baianos na Umbanda

Marinheiros

Pomba Gira

Maria Padilha

Oração de exu

Banhos de descarregos

Pontos Riscados de Exu

História de Rei Congo

Maria Redonda

Pontos Cantados diversos

Pontos Cantados Orixás

Galeria de Videos

Mensagem do Sr. Zé Pilintra

Pai José da Guiné

Exu Capa Preta

Exu 7 encruzilhadas

Exu Morcego

Mensagem de Pai joão de Angola

Histórias de Vovó Luiza

Atribuição dos Preto-velhos

Ogum Rompe Mato

Ogum Yara

A história de vovó Benedito

Oferenda de Oxum

Oferenda a Xangô

Oferenda de Ogum

Oferenda de oxossi

A Mediunidade, os orixás e os caboclos

Orações Diversas

Os filhos de Omulu

Mensagens de Natal

Porque os exus riem

Cigano Pablo

Cigana Esmeralda

Mensagem do Sr. Zé Pilintra

Pai José da Guiné

Exu Capa Preta

Exu 7 encruzilhadas

Exu Morcego

Mensagem de Pai joão de Angola

Histórias de Vovó Luiza

Atribuição dos Preto-velhos

Ogum Rompe Mato

Ogum Yara

A história de vovó Benedito

Oferenda de Oxum

Oferenda a Xangô

Oferenda de Ogum

Oferenda de oxossi

A Mediunidade, os orixás e os caboclos

Orações Diversas

Os filhos de Omulu

Mensagens de Natal

Altar virtual

Altar Virtual dos Orixás

Altar dos Preto-velhos

Altar de Nossa Senhora

Altar de ogum

Altar de Oxum

Altar de Exu

Porque os exus riem

Cigano Pablo

Cigana Esmeralda

Mensagem de Ogum

Mensagem de Ogum






Que Ogum te abênçoe hoje e sempre.
Agradecemos sua visita Volte sempre....

topo

 
                            
                            










Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.





  Site Map