Oxossi


Salve sr: Oxossi.

Okê Arô, Oxossi!



Atribuições

Oxossi é o caçador por excelência, mas sua busca visa o conhecimento. Logo, é o cientista e o doutrinador, que traz o alimento da fé e o saber aos espíritos fragilizados tanto nos aspectos da fé quanto do saber

religioso Orixá das matas, seu habitat é a mata fechada, rei da floresta e da caça, sendo caçador domina a fauna e a flora, gera progresso e riqueza ao homem, e a manutenção do sustento, garante a alimentação em abundância, o Orixá Oxossi está associado ao Orixá Ossaê, que é a divindade das folhas medicinais e ervas usadas nos rituais de Umbanda. Irmão de Ogum, habitualmente associa-se à figura de um caçador, passando a seus filhos algumas das principais características necessárias a essa atividade ao ar livre: concentração, atenção, determinação para atingir os objetivos e uma boa dose de paciência.

Oxossi na Umbanda

Oxóssi, na Umbanda é patrono da linha dos caboclos, uma das mais ativas da religião. No Candomblé brasileiro é um antepassado africano divinizado, filho de Yemanjá, protetor das matas, sincretizado com São Sebastião no Rio de Janeiro e São Jorge na Bahia. Diz o mito que Oxóssi era irmão de Omulu-Obaluayê e rei da cidade de Oyó, cidade da África sudanesa, de onde provém os povos nagô ( keto, ijexá e oyó) e mina-jeje.


Oxóssi é o caçador por excelência, mas sua busca visa o conhecimento. Logo, é o cientista e o doutrinador, que traz o alimento da fé e o saber aos espíritos fragilizados tanto nos aspectos da fé quanto do saber religioso.

O Orixá Oxóssi é tão conhecido que quase dispensa um comentário. Mas não podemos deixar de fazê-lo, pois falta o conhecimento superior que explica o campo de atuação das hierarquias deste Orixá regente do pólo positivo da linha do Conhecimento.

O fato é que o Trono do Conhecimento é uma divindade assentada na Coroa Divina, é uma individualização do Trono das Sete Encruzilhadas e em sua irradiação cria os dois pólos magnéticos da linha do Conhecimento. O Orixá Oxóssi rege o pólo positivo e a Orixá Obá rege o pólo negativo. Oxóssi forma com Obá a terceira linha de Umbanda Sagrada, que rege sobre o Conhecimento.

  1. Oxóssi irradia o conhecimento e Obá o concentra.
  2. Oxóssi estimula e Obá anula.
  3. Oxóssi vibra conhecimento e Obá absorve as irradiações desordenadas dos seres regidos pelos mistérios do Conhecimento.
  4. Oxóssi é vegetal e Obá é telúrica.
  5. Oxóssi é de magnetismo irradiante e Obá é de magnetismo absorvente.
  6. Oxóssi está nos vegetais e Obá está em sua raiz, como a terra fértil onde eles crescem e se multiplicam.
  7. Oxóssi é o raciocínio arguto e Obá é o racional concentrador.
  8. Oxóssi é a busca, é a procura, é a curiosidade, é o movimento contínuo na evolução dos seres na apresentação de novos conhecimentos, de novos horizontes, etc.

Simbolicamente representamos Oxóssi com sete setas, que são as sete buscas contínuas do ser.Oxóssi expande, irradia e impele os seres.

Segundo as lendas, participou também de algumas lutas, mas não da mesma maneira marcante que Ogum.
No dia-a-dia, encontramos o deus da caça no almoço, no jantar, enfim em todas as refeições, pois é ele que provê o alimento. Rege a lavoura, a agricultura, permitindo bom plantio e boa colheita para todos.
Segundo Pierre Verger, o culto a Oxossi é bastante difundido no Brasil mas praticamente esquecido na África. A hipótese do pesquisador francês é que Oxossi foi cultuado basicamente no Keto, onde chegou a receber o título de rei. Essa nação, porém foi praticamente destruída no século XIX pelas tropas do então rei do Daomé. Os filhos consagrados a Oxossi foram vendidos como escravos no Brasil, Antilhas e Cuba. Já no Brasil, o Orixá tem grande prestígio e força popular, além de um grande número de filhos.
O mito do caçador explica sua rápida aceitação no Brasil, pois identifica-se com diversos conceitos dos índios brasileiros sobre a mata ser região tipicamente povoada por espíritos de mortos, conceitos igualmente arraigados na Umbanda popular e nos Candomblés de Caboclo, um sincretismo entre os ritos africanos e os dos índios brasileiros, comuns no Norte do País.
Talvez seja por isso que, mesmo em cultos um pouco mais próximos dos ritos tradicionalistas africanos, alguns filhos de Oxossi o identifiquem não com um negro, como manda a tradição, mas com um Índio.
Oxossi é o que basta a si mesmo. A ele estiveram ligados alguns Orixás femininos, mas o maior destaque é para Oxum, com quem teria mantido um relacionamento instável, bem identificado no plano sexual, coisa importante tanto para a mãe da água doce como para o caçador, mas difícil no cotidiano, já que enquanto ela representa o luxo e a ostentação, ele é a austeridade e o despojamento. 

OXOSSI

Dia da semana: Quinta-feira.
Saudação: Okê aro!
Sincretismo: São Sebastião - Umbanda São Paulo e Rio de Janeiro - Candomblé São Jorge - comemorado no dia 20 de Janeiro.
Cores: Verde na Umbanda e no Candomblé.
Símbolos: O arco e a flecha de ferro fundido.
Onde recebe oferendas: Nas matas.
Principais oferendas: Velas, charutos, frutas, suas comidas e bebidas.
Bebida: Cerveja branca e suco de frutas.
Elemento: Terra.
Algumas ervas: Folha de guiné, peregum , alecrim do cruzamento, manjericão, samambaia, etc.
Animais: Cervo, lebre e outros animais da selva.
Comida: Fruta, inhame, mandioca.
Domínio: As matas.
Particularidade: Trabalha com cura e pajelança.
Características: Ágil, esperto, inteligente, calmo, responsável, sossegado, fiel e muito curioso.

Contemplar a figura de São Sebastião é, para os umbandistas, lembrar-se imediatamente de Oxossi. A razão está também no fato de ser a Umbanda uma religião que tem rituais de raízes indígenas. O arco e a flecha são instrumentos claramente indígenas e isto faz com que automaticamente a associação seja reita no mental dos homens.

Esta idéia não foi todavia em contraposição com o que a Ciência Divina pretendia ao instaurar a Umbanda nas terras brasileiras.

Oxossi é bastante cultuado no Brasil, ao contrário do que ocorre na Nigéria, onde teve origem seu culto. Porém, o culto a Oxossi foi difundido basicamente em Keto (terra dos panos vermelhos), e lá foi consagrado rei. No século XIX, devido ao

tráfico negreiro, a cidade de Keto foi praticamente destruída pelos ataques das tropas do rei Daomé. Os filhos consagrados a Oxossi foram vendidos como escravos no Brasil, Antilhas e Cuba.

Oxossi - O Rei das Matas

Este Orixá, provavelmente o mais conhecido entre os Umbandistas, é o representante das forças das matas. É Oxossi quem cuida das plantas e dos animais silvestres. Através do sincretismo ficou conhecido também como São Sebastião, o santo católico que teve o corpo perfurado por flechas. O sincretismo com o santo deve-se ao fato de que os símbolos de Oxossi são o arco e a flecha, por isto, seu dia de culto é o dia 20 de janeiro.

Esta alusão às matas e aos vegetais, é devido à natureza expansiva de Oxossi. É o Orixá responsável pela conhecimento e pelo raciocínio.

As matas estão para Oxossi, assim como os rios estão para Oxum, e as águas do mar estão para Yemanjá.

A maior parte dos caboclos trabalham atualmente sob a irradiação de Oxossi, e isto tem razão de ser. A Umbanda é uma religião nova e precisa da irradiação de Oxossi para que possa expandir e tornar-se conhecida pelos homens. Assim como as flechas e lanças usadas pelos índios guerreiros e caboclos são atiradas e direcionadas para a frente, da mesma forma a irradiação de Oxossi faz com que o conhecimento sobre as coisas se processem.

"O Conhecimento é uma qualidade de Deus e Oxossi é sua divindade unigênita, pois ele é em si mesmo, o Conhecimento Divino que ensina a todos a conhecerem a si mesmos a partir do conhecimento sobre nosso Divino Criador.

Olorum gerou em Si o conhecimento sobre tudo o que criou, e porque tem conhecimento sobre toda a Sua criação, então o conhecimento assumiu a condição de uma qualidade Sua, à qual Ele imantou como um dos mistérios da criação, já que gera em Si o conhecimento e é em Si onisciente ou conhecedor de tudo e de todos.

Portanto, Oxossi rege sobre o conhecimento e irradia o tempo todo a todos, porque é em Si mesmo o Conhecimento Divino ou a onisciência de Deus." (1)

"(...) Seu magnetismo expande as faculdades dos seres, aguça o raciocínio e os predispõe a buscar a gênese das coisas (o conhecimento sobre elas). Logo, Oxossi é o estimulador natural dessa busca incessante sobre nossa própria origem Divina. E quanto mais sabemos sobre ela, maior é o nosso respeito para com a criação e mais sólida é nossa fé em Deus, pois passamos a encontrá-Lo em nós mesmos.

Então Oxossi está tanto na Natureza como nos conhecimentos sobre a Criação, assim como está na fé, porque nos esclarece sobre nossa origem Divina e nos ensina a conhecermos Deus racionalmente.

Por sua natureza expansiva e seu grau de divindade guardiã dos mistérios da Natureza, Oxossi é descrito nas lendas como um orixá caçador e ligado às matas (os vegetais). Como divindade, ele é o estimulador da busca do conhecimento e guardião dos segredos medicinais das folhas. (...) Oxossi é interpretado como a divindade que atua nos seres aguçando o raciocínio, esclarecendo-os e expandindo as faculdades mentais ligadas ao aprendizado das coisas religiosas, estimulando-os a buscar Deus sem fanatismo ou emotividade, mas com conhecimento e fé." (1)

Oxossi, cujo nome significa Caçador Noturno é, segundo a crença africana, "filho de Iemanjá com Orunmilá. É a divinização da floresta, reina sobre o verde, sobre os animais selvagens, dos quais é considerado o dono e dos quais tem todas as virtudes e qualidades. Oxossi é sagaz como o leopardo, forte como o leão, leve como um pássaro, silencioso como um tigre, observador como a coruja, sabe se esconder como um tatu, é vaidoso como o pavão, corre como os coelhos, sobe em árvores como o macaco, conhece os animais profundamente e com eles partilha o conhecimento da Natureza.

Oxossi é o deus da caça, ligado às matas, irmão mais novo de Ogum. Também faz parte dos Orixás masculinos do panteão africano cujos princípios também são feitos de ferro."

"(...) Sua função é a de protetor dos caçadores, que passam grande parte do tempo em contato com Ossain, a divindade das ervas terapêuticas e litúrgicas, aprendendo com ele parte de seu poder." (2)

"A cada ano, apósa colheita, o rei de Ijexá saudava a abundância de alimentos com uma festa, oferecendo à população inhame, milho e côco. O rei comemorava com sua família e seus súditos; só as feiticeiras não eram convidadas. Furiosas com a desconsideração, enviaram à festa um pássaro gigante que pousou no teto do palácio, encobrindo-o e impedindo que a cerimônia fosse realizada.

O rei mandou chamar os melhores caçadores da cidade. O primeiro tinha vinte flechas. Ele lançou todas elas, mas nenhuma acertou o grande pássaro. Então o rei aborreceu-se, mas mandou-o embora.

Um segundo caçador apresentou-se, este com quarenta flechas; o fato repetiu-se novamente e o rei mandou prendê-lo.

Bem próximo dali vivia um jovem que costumava caçar à noite, antes do sol nascer; ele usava apenas uma flecha vermelha. O rei mandou chamá-lo para dar fim ao pássaro. Sabendo da punição imposta aos outros caçadores, a mãe do jovem caçador, temendo pela vida do filho, consultou um babalaô e os obis mostraram que, se fosse feita uma oferenda para as feiticeiras, ele teria sucesso.

Na entrega da oferenda, o caçador deveria dizer três vezes: que o peito do pássaro receba esta oferenda! E assim o fez, acertando o pássaro bem no peito. O povo então gritava: Oxó Wussi! (Oxó é Popular!), passando a ser conhecido por Oxossi." (3)

Oxossi, segundo a Crença Africana

Lendas Africanas

Oferendas

As oferendas para Oxossi devem ser entregues em matas fechadas, altas, preferencialmente pouco exploradas pelos homens, enfeitadas com fitas verdes, vermelhas ou brancas. Na Umbanda, as oferendas para Oxossi consistem basicamente de velas verdes ou brancas, acompanhadas de flores brancas ou vermelhas, vinho moscatel, mate e água de côco com mel.

Devem ser depositadas sobre um tecido de algodão verde ou diretamente sobre a relva. Charutos também são bastante ofertados a Oxossi, especificamente aos caboclos.

(1) - Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada, Rubens Saraceni - Editora Madras, 2005;

(2) - Revista Espiritual de Umbanda, n.10 - Editora Escala;

(3) - Site "Mundo dos Orixás".

centro pai joao de angola
Vai estrela tão brilhante, que ilumina este Conga

Vai estrela, vai buscar, com a permissão de Oxalá

Vai buscar, seu Sete Luas, pra na Umbanda trabalhar

Vai buscar, seu Sete Luas, vai estrela, vai buscar

 

Vai estrela tão brilhante, que ilumine este Conga

Vai estrela, vai buscar, com a permissão de Oxalá

Vai buscar, seu Jaguarê, pra na Umbanda trabalhar

Vai buscar, seu Jaguaré, vai estrela, vai buscar

 

Vai estrela tão brilhante, que ilumine este Conga

Vai estrela, vai buscar, com a permissão de Oxalá

Vai buscar, seu Folha Verde, pra na Umbanda trabalhar

Vai buscar, seu Folha Verde, vai estrela, vai buscar

 

Vai estrela tão brilhante......

 

 

Bota fogo na mata

Chama chama que ele vem

Ele é o rei de Umbanda

Chama chama que ele vem

 

 

ROMPE MATO

 

Eu sou o caboclo Rompe Mato

Demanda hei de vencer

Para o caboclo Rompe Mato

Não há demanda a perder

 

 

ROMPE MATO

 

Auê Rompe Mato

Auê Rompe Mato

Rompe Mato punha mate

Pra fazer seu jacutá

Rompe Mato punha mate

Pra fazer seu jacutá

Rompe Mato é caboclo

Brasileiro

Rompe Mato é chefe de terreiro

 

 

VENTANIA

 

Oi cadê Giramundo, oi pemba

Oi cadê Giramundo, oi pemba

Ta no terreiro, oi pemba

Com seus caboclos, oi pemba

Ta no terreiro, oi pemba

Com seus caboclos, oi pemba

Veado na mata é corredor

Cadê meu mano caçador

Cadê caboclo é nosso guia

 

 

A água com areia

Não pode demandar

A água vai embora

Areia fica no lugar

Zum, zum, zum, zum

Chegou seu Aymoré

Caboclo flecheiro

Pra salvar filhos de fé

 

 

PIQUIRI DA MATA VIRGEM

 

A lua brilha no céu

Toda mata clareou

É o cacique Piquiri

Que neste terreiro chegou

Ele é filho de Oxossi

Ele é chefe guerreiro

Quando chega no terreiro

É pros filhos ajudar

 

 

MORIMBATÁ

 

Na mata virgem ele é caboclo

É Morimbatá ele é caçador

Não há mata que ele não entre

Não há galho que ele não

quebre

Não há nenhum filho da terra

Que sua flecha não ajude

Caboclo Morimbatá

Caboclo Morimbatá

 

 

ITAMIRA

 

Itamira vem, vem de Aruanda

Para ajudar filhos de Umbanda

Ele tem, ele tem

Ele tem escudo

E traz espada de Ogum

 

 

TUPINAMBÁ

 

Tupinambá é ganga na macaia

Tupinambá ê ê Tupinambá

Tupinambá guerreiro de Oxossi

Tupinambá ê ê Tupinambá

 

 

JURUÁ

 

Ai se fosse as folhas da Jurema

Lá nas matas

O que seria do caboclo Juruá

Ai se fosse as folhas da Jurema

Lá nas matas

O que seria do caboclo Juruá

E a Jurema, Jurema, Jurema

E  a Jurema do caboclo Juruá

 

 

TUPY

 

Tupy, Tupy ele é um Orixá

Oi vem saudar sua falange

Do seu reino Saravá

Oi vem saudar sua falange

Do seu reino Sarava

 

 

CABOCLO ROXO

 

Caboclo Roxo é da cor morena

Filho de Oxossi

Caçador da Jurema

Ele jurou e torna jurar

Ele seguiu os conselhos

Que a Jurema veio dar

Ele jurou e torna jurar

Ele seguiu os conselhos

Que a Jurema veio dar

 

 

PIQUIRI DA JUREMA

 

Piquiri caçador da Jurema

Vem saravá seus irmãos

Vem com sua roupa de pena

Traz seu bodoque na mão

 

 

JAGUAREMA

 

Sou cabocla Jaguarema

Filha de Oxalá

Vim saudar minha Jaguarema

E o meu pai Tupinambá

 

 

MATA VIRGEM

 

São todos índios

São todos guerreiros

Salve os guerreiros de Oxalá e

Iemanjá

São todos índios

São todos guerreiros

Salve os guerreiros de Oxalá e

Iemanjá

E a lua brilhou lá nas matas

Foi a Mata Virgem que me chamou

E a montanha desmoronou

Foi Mata Virgem que me salvou

 

 

UBIRAJARA

 

Mironga, corta mironga

Corta língua de falador

Quando eu chego

Não há embaraço

Chegou Ubirajara

De peito de aço

 

 

ESTRELA DE OURO

 

Estrela de ouro

Ele vem de Guajupe

Ele vem de Aruanda

Pra salvar seus filhos de fé

Ele vem de Aruanda ue

Ele vem de Aruanda ua

 

 

PEDRA NEGRA

 

Senhor Pedra Negra

Ogum te chamou

Pra vir trabalhar

Na linha de Umbanda

Vencendo demanda

Saudando Oxalá

Salve Oxalá

Salve Ogum guerreiro

Salve todos os filhos

Aqui no terreiro

 

Ogum mandou Pedra Negra

Trabalhar com sua gente

Pedra Negra vai chegando

Com a estrela do oriente

Salve Senhor Pedra Negra

Salve Ogum, salve Oxalá

Salve o povo do oriente

Pedra Negra vai chegar

Saravá, Pedra Negra já chegou

Sarava, Pedra Negra já chegou

 

 

UBIRATÃ

 

A espada de Ogum Beira Mar

Vibrou nas ondas que a maré

levou

A espada de Ogum Beira Mar

Vibrou nas ondas que a maré

levou

Ubiratã, Ubiratã é que chegou

Com toda a sua fé

Coragem e amor

Ubiratã, Ubiratã é que chegou

Com toda a sua fé

Coragem e amor

 

 

SETE FLECHAS

 

Na mata virgem o sabiá cantou

Estrela no céu brilhou

Oi saravá seu Sete Flechas

Oi paramba

Ele é o rei do caçador

E ele é o rei do Jurema

Saravá seu Sete Flechas

Ele é o dono do Congá

E, e, e, a

Ogum já jurou bandeira

Nos campos de Humaitá

 

 

FOLHA VERDE

 

Os rios de Oxum são muito largos

Lagoas da Iara matam a sede

Saravá esse terreiro de Umbanda

Saravá meu bom caboclo

Folha Verde

 

 

ARARIBÓIA

 

As cachoeiras vibram

Nas belezas das florestas

As cachoeiras vibram

Nas belezas das florestas

Araribóia Oxóssi,

Araribóia Oxóssi,

Sua flecha dourada

Recoberta de penas

Ele confirma na mata

A falange Jurema

 

 

PENA DOURADA

 

Pena Dourada chegou no terreiro de Iemanjá

Venham todos filharadas

Ao guerreiro saravá

Pena Dourada chegou no terreiro de Iemanjá

Venham todos filharadas

Ao guerreiro saravá

Como o sol brilha nas matas

Também brilham suas penas

Pra saudar filhos de Ogum

De Oxossi, da Jurema

Pra saudar filhos de Ogum

De Oxossi, da Jurema

 

 

CABOCLO MATA VIRGEM

(chamada)

 

Seu Mata Virgem que chegou

de Aruanda

Trazendo pemba

Pra salvar filhos de Umbanda

Ele é caboclo

Ele é guerreiro

É caçador

Mas na demanda

Mata Virgem é vencedor

 

 

ROMPE SERRA

 

Que caboclo é este

Que vem baixando na terra

Mas ele é caboclo

Rompe Serra

Vem da Mata Virgem

Ele vem trabalhar

Neste terreiro

Neste Conga

 

 

CABOCLO PENA BRANCA

 

No céu de Oxalá uma estrela

Estrela de raro esplendor

A lua enterneceu-se ao vê-la

E a terra em prata tornou

 

A cascata na verde floresta

Seu véu água prata deixou

Por entre a pujança da mata

Foi seu Pena Branca quem

chegou

 

Ele é nosso Chefe e veio nos

trazer a paz

A esperança, a fé e a sua força

audaz

 

Com ele aprendemos a ser

lutadores

Com ele podemos sair vencedores

 

Resplandece a aurora nesta

tenda de luz

Nós seus filhos cobertos de um

céu com uma cruz

 

Salve seu Pena Branca Salve

Salve seu Pena Branca Salve

 

O rio murmurando cantigas

Com ele um barco formou

E as nossas saudades antigas

Nas suas doces águas levou

 

O povo da mata cantando

Seu canto de amor e de paz

O seu Pena Branca saudando

A fé, a coragem ele nos traz

 

Cada orvalho uma gota uma cor

Na singela beleza da flor

O verde da flor é esperança

A prece um hino de amor

Há benção de luz sobre as

matas

Que o luar envolveu, abraçou

Oxossi permitiu o caminho

Por onde seu Pena Branca

Chegou

 

 

PENA BRANCA

 

Seu Pena Branca

Puxa corimba

Sua banda mandou chamar

Ajuda seu Pena Branca

Pra todo o mal

Dos seus levar

 

Estava na mata

Estava trabalhando

Seu Pena Branca

Passou me chamando

Seu Pena Branca

Passou me chamando

Egô, Egô,

Onde é que mora

Eu moro na mata

De Nossa Senhora

E ele vem

Ele vem trabalhar

Ele é Pena Branca

Da tribo Guará

 

 

CABOCLO JAGUARÉ

 

Uma estrela brilhou no céu

Meu Deus diga quem é

Uma estrela brilhou no céu

Meu Deus diga quem é

Saravá terreiro de Umbanda

Saravá caboclo Jaguaré

Saravá terreiro de Umbanda

Saravá caboclo Jaguaré

 

 

TUPINAMBÁ

 

Estava na minha mata

Corimando com meus adornos

Caçando com minha flecha

Quando vieram me chamar

Se ele é Tupi

Ele é Tupinambá

Se ele é Tupi

Ele é Tupinambá

 

 

CABOCLO GUARANI

 

Eu sou índio, índio, índio

Índio Guarani

Trago a minha falange

De paz, de amor e amor

Para os filhos de Umbanda

Chegar aos pés de Oxalá

Eu sou índio, índio, índio

Índio Guarani

Saravá Ogum

Saravá Oxossi

E saravá meu pai Oxalá

 

 

CABOCLO GUARACY

 

Salve a falange do Caboclo

Guaracy

Deus do céu permita

Que ele chegue até aqui

Salve Jupá, Itatiaia e Poti

Salve Blaôo e viva Guaracy

Salve o sol

Salve as estrelas e o cruzeiro

Salve Guaracy

Que chegou neste terreiro

 

 

AYMORÉ

 

A água com areia não pode

demandar

A água vai embora

Areia fica no lugar

Zum, zum, zum, zum

Chegou o Aymoré

Caboclo flecheiro

Pra salvar filhos de fé

Zum, zum, zum, zum

Chegou o Aymoré

Caboclo flecheiro

Pra salvar filhos de fé

 

 

AYMORÉ

 

Caboclo Aymoré

Da falange dos Tupinambás

Vem vencer demanda

De todo filho que tem fé

Caboclo Aymoré

Traz as forças de Iemanjá

Traz as forças de Oxóssi

E do seu Pai Tupinambá

 

A.M.E.M  15/05/99 Alzira

 

 

Ele é caboclo, ele é flecheiro

Bumba na calunga

É caçador de feiticeiro

Bumba na calunga

Quando firma seu ponto

Bumba na calunga

Eco responde lá na mata

Bumba na calunga

 

 

Ele é caboclo praieiro

Ele vem trabalhar

Ele vem no terreiro

Ele vem no Iemanjá

Salve as forças do vento

Salve as forças do mar

E salve a Mãe Sereia

Que vem trabalhar

E salve a Mãe Sereia

Que vem trabalhar

 

 

CABOCLO UBIRATÃ

 

Se a espada

De Ogum Beira Mar vibrou

Nas ondas que a maré levou

Se a espada

De Ogum Beira Mar vibrou

Nas ondas que a maré levou

Ubiratã, Ubiratã,

Foi quem chegou

Com toda a sua fé

Coragem e amor

Ubiratã, Ubiratã,

Foi quem chegou

Com toda a sua fé


Sete caboclos, sete flecheiros, sete lanceiros

Firmam seu ponto na cachoeira

Que os caboclos vão descer

Firmam seu ponto, sarava meu pai Xangô

Quem manda lá na mata é Oxossi Caçador

 

 

Caboclo deixou as campinas

Oxóssi na mata mandou lhe chamar

Caboclo deixou as campinas

Oxóssi na mata mandou lhe chamar

Quero ver os caboclos descer

Quero ver os guerreiros apear

Quero ver os caboclos descer

Quero ver os guerreiros apear

 

 

Saravá, savará, saravá este filho de pemba

Que é filho de fé no Congá

Saravá, saravá, savará meu pai de cabeça

Não deixa o terreiro tomba

Luaaaa oi Lua

Ilumina o terreiro que o pai de cabeça chegou

 

 

SETE FLECHAS

 

E, e, á

Caboclo Sete Flechas no Congá

E, e, á

Caboclo Sete Flechas no Congá

Saravá seu Sete Flechas

Ele é o rei da Mata

E a sua bodoca atira

Oi paramba

Sua flecha mata

 

 

ITAGUÁ

 

Firmando o ponto

Ele vem na ronda

Da Mata Virgem

Ele vem trabalhar

Na mata ele é caboclo

Ele é vigia

No terreiro ele vem

Pro mal levar

Firma o ponto, filhos de

Umbanda

Firma o ponto do Caboclo

Itaguá

Firma o ponto que ele vem da

Aruanda

No terreiro ele vem pra trabalhar

Oba ruê, oba rua

Caboclo Itaguá já chegou neste

Conga

 

 

TUPINAMBÁ

 

Tupinambá, Tupinambá

Chefe guerreiro

Tupinambá, Tupinambá

Está no terreiro

 

Batuque no terreiro

É Tupinambá

Se é chefe guerreiro

É Tupinambá

Oi flecha, flecha, flecha

Para todo mal levar

 

 

TUPINAMBÁ

Tupinambá, Tupinambá

Chefe guerreiro

Tupinambá, Tupinambá

Está no terreiro

 

Tupinambá, Tupinambá

Filho de Umbanda

Tupinambá, Tupinambá

Vence demanda

 

 

JURUÍ

 

Juruí tem duas flechas

Juruí vai buscar

Oxossi nas matas

Juruí vai chegar

 

 

CABOCLO ROXO

 

Que lindo capacete de penas

Que tem a cabocla Jurema

Que lindo capacete de penas

Que tem a cabocla Jurema

Vai lhe dar

Caboclo Roxo

Da pele morena

É o senhor Oxossi

Caçador lá da Jurema

 

 

ARRANCA TOCO

 

Caboclo Arranca Toco

És minha luz, és minha guia

Ele é Oxossi filho da Virgem Maria

Ele é luz que ilumina o escuro

Tudo é divino

E o terreiro está seguro

Ele é a luz que ilumina o meu Congá

Ele chegou e o terreiro clareou

 

 

PENA VERDE

 

Quem manda na mata é Oxossi

Oxossi é caçador

Oxossi é caçador

Eu vi meu pai assobiar

Ele mandou chamar

Ele mandou chamar

É na Aruanda, é

É na Aruanda, é

Seu Pena Verde de Umbanda

É na Aruanda, é

 

 

CABOCLO GUARACI

 

Tupã é o meu rei

Oxossi é rei também

Sou filha de Jurema

E de Tupy

Sou filha de Tupã

Cabocla Guaracira

Sou filha de Jurema

E de Tupy

Sou filha de Tupã

Cabocla Guaracira

 

 

JUNCO VERDE

 

Vem junco verde

Vem no terreiro

Das terras de Jurema

Seus filhos vem salvar

Salve o sol

Salve a lua

Salve Oxossi também

Salve o caboclo

Índio guerreiro

Salve Junco Verde

Que está no terreiro

Salve Junco Verde

Que está no terreiro

 

 

ARAGUARI

 

Bambaruque na cangira de

Xangô

Ogum Megê mandou seus filhos

girar

Bambaruque na cangira de

Xangô

Ogum Megê mandou seus filhos

girar

Filho de Umbanda gira, gira no

terreiro

Araguari atirou sua flecha no

Congá

Filho de Umbanda gira, gira no

terreiro

Araguari atirou sua flecha no

Congá

Arue-arue-arue-aruá

Brilhou o sol, rompeu a lua

Bambaruê-bambaruá

Estrela de Ogum brilhou no

Congá

Caboclo Araguari sua fé vem

firmar

Caboclo Araguari sua fé vem

Firmar

 

 

GINO

 

Gino, vem ver sua banda

Gino, vem nesse Congá

O sol e a lua brilhavam

Aonde, Xangô morava

Salve os filhos da cobra coral

Salve os filhos da cobra coral

Salve os filhos da cobra coral

Cao, ô

 

 

CABOCLO PENA AZUL

 

A sua flecha

Quem lhe deu foi Oxóssi

A sua lança

Quem lhe deu foi Ogum

E a estrela que brilha

Em seu capacete

Veio do manto de mãe Oxum

Saravá Ogum, Saravá Oxossi

Quem vai chegar da Aruanda

É o caboclo Pena Azul

 

 

JUNCO VERDE

 

Caboclo quando chega do Reino

Todo mundo quer saber seu nome

Ele vem, Saravá

É seu cacique Junco Verde

Que veio trabalhar

 

 

PIQUIRI DA JUREMA

 

Piquiri caçador da Jurema

Vem Saravá seus irmãos

Vem com a roupa de pena

Traz seu bodoque na mão

 

 

PENA ROXA

 

Caboclo da Pena Roxa

Onde é que você mora

Eu moro nas matas

Meu pai é Oxalá

 

 

CABOCLO MATA VIRGEM

 

Vem de Aruanda Orixá da mata

Com sua flecha de prata

Defender o seu Congá

Traz de Aruanda o clarão da aurora

A benção de Nossa Senhora

E o amor de Oxalá

Quem é que vem

Pra trabalhar

Quem é que vem

Pra trabalhar

É o caboclo Mata Virgem

Defender deste Congá

 

 

PENA BRANCA

 

Vem o caboclo

Vem Pena Branca

Vem trabalhar

Vem dar esperanças

És caboclo da fé, esperança

Da luz vibrante

Da força branca

 

 

PENA BRANCA

 

Saravá seu Pena Branca

Saravá seu Abacé

Traz a flecha e seu bodoque

Pra defender filhos de fé

Ele vem de Aruanda

Trabalhar neste abacá

Saravá seu Pena Branca

Um guerreiro Oxalá

 

 

PENA BRANCA

 

Seu grito na mata escoou

Foi seu Pena Branca que

chegou

Seu grito na mata escoou

Foi seu Pena Branca que

chegou

Com sua flecha

Com seu cocar

Seu Pena Branca vem nos

Ajudar

 

 

PENA BRANCA

 

Estava na mata

Estava trabalhando

Estava na mata

Estava trabalhando

Seu Pena Branca

Passou me chamando

Seu Pena Branca

Passou me chamando

Egô, Egô,

Onde é que mora

Eu moro na mata

De Nossa Senhora

E ele vem

Ele vem trabalhar

Ele é Pena Branca

Da tribo Guará

 

 

FOLHA VERDE

 

Folhas verdes da palmeira

Como brilham no luar

Folhas verdes da palmeira

Como brilham no luar

Folha Verde é caçador

Caçador de Jurema

 

 

FOLHA VERDE

 

Temporal passou na mata

Meu Deus, mas que ventania

Temporal passou na mata

Meu Deus, mas que ventania

Era o caboclo Folha Verde

Que bradava ao romper do dia

Era o caboclo Folha Verde

Que bradava ao romper do dia

 

 

CABOCLA JACIRA

 

Na fonte da água cristalina

Uma bela cabocla se mira

Na fonte da água cristalina

Uma bela cabocla se mira

Dos cabelos correm pérolas

douradas

Tá na gira a Cabocla Jacira

Dos cabelos correm pérolas

douradas

Tá na gira a Cabocla Jacira

 

 

JURUÊ SETE ESTRELAS

 

Deju de Jure

Deju de Juruá

São sete estrelas no céu

São sete luz a brilhar

São sete linhas do bem

São sete linhas do mal

São sete as linhas de Umbanda

Nas sete vem trabalhar

 

 

TUPY

 

Tupy, Tupy

 

Bom caçador

As terras da Jurema

Tupy chegou

Com suas sete flechas

Tupy trabalhou

 

 

CABOCLO JURUÁ

 

Aí se não fosse as folhas da

Jurema lá na mata

O que seria do caboclo Juruá

E a Jurema, Jurema, Jurema

E a Jurema do caboclo Juruá

 

 

LUA DA MATA

 

A lua no céu brilhou

Clareando a mata também

Em uma clareira de luz

Seu Lua da Mata avistou

Oxóssi saudando o luar

Buscando energia também

Dizendo à Lua da Mata

Amém está lhe chamando

Vem vem seu Lua da Mata

Pisar no nosso Congá

Trazer as forças de Oxóssi

E a luz de Pai Oxalá

 

A.M.E.M. 1999 Alzira

 

 

Caboclo do sol

Caboclo da lua

São irmãos gêmeos

Como o Cosme e Damião

Povo de Umbanda

Manda mas não vai

Filhos de Umbanda

Tomba mas não cai

 

 

Oh! Iara, é cabocla dos rios

Ela é Ogum, é orixá

Oh! Iara, é cabocla dos rios

Ela é Ogum, é orixá

Ogum Iara, Ogum Iara,

Vem seus filhos ajudar

Ogum Iara, Ogum Iara

 

 

As cachoeiras vibram

Na beleza das florestas

As cachoeiras vibram

Na beleza das florestas

Araribóia, Oxossi, Araribóia

Oxossi sua flecha dourada

Recoberta de penas

Ele confirma na mata

A falange Jurema

 

 

Eu sou Tupy, eu sou flecheiro

Sou curador, eu sou guerreiro

Sou Tupinambá

Com as forças de Oxossi

Venho trabalhar

Aqui neste terreiro, sou Tupinambá

Com as forças de Oxossi, venho firmar

Meu ponto neste terreiro

Sou Tupinambá

 

 

Quando a lua sair

Eu vou girar

Eu vou girar

Vai chegar Mata Virgem

Filho de Aruanda

Filho de Umbanda

E de Oxalá

 

 

Juruí tem duas flechas

Juruí vem buscar

Oxossi na mata

Juruí vai chegar

 

 

Ele é o rei

É o rei do Panaiá

Ele é o rei

É o rei do Panaiá

Ele é Oxossi Selva

Branca Panaiá

Vestido de penas

Que mora na Jurema

Ele é o rei

É o rei do Panaiá

Ele é o rei

É o rei do Painaiá

 

 

ITAGUACÊ MIRIM

 

Vem das águas grandes

Vem vem assim

Caboclo guerreiro

Itaguacê Mirim

 

Vem nos amparar

Trazendo muito amor

Com as forças de Iemanjá

Livrando-nos da dor

 

Vem semear a paz

A fé no coração

Ensine a nos buscar

A luz e o perdão

 

 

Sou da falange de Tupi Guarani

E neste terreiro eu vou trabalhar

Tupi, Tupi, filhos de fé

Ele vem ajudar

 

 

Tupi, Tupi, ele é um Orixá

Tupi, Tupi, ele é um Orixá

Oi vem saudar sua falange

No seu reino Saravá

 

 

A mata estava escura

Um anjo iluminou

No centro da Mata Virgem

Foi seu Oxóssi quem chegou

Ele é o rei, ele é o rei, ele é o rei

Ele é o rei, na Aruanda, ele é rei

 

 

PENA DOURADA

 

Na sua aldeia tem os seus caboblos

Na sua mata tem as cachoeiras

No seu saiote tem Pena Dourada

Seu capacete brilha na alvorada

 

 

Caboclo pena verde de Umbanda

Da mata virgem ele vai aqui chegar

Apanha a arma, atira a flecha na Aruanda

No terreiro ele vem pra trabalhar

Seu Pena Verde de Oxóssi é guerreiro

Seu ponto ele vai aqui firmar

Da Jurema ele é caboclo

Ele é flecheiro

No terreiro ele sabe governar
Coragem e amor

 

 

Ai se não fosse as folhas da Jurema lá nas matas

O que seria do caboclo Juruá

Ia, Jurema, Jurema, Jurema

Ia Jurema do caboclo Juruá

 
Centro Pai joao de angola

E Ogum vai, e Ogum vai

E ele vai pra suas bandas vai

E os passarinhos vão cantando

alegres

Lá na Mata Virgem onde mora

Seu pai

 

A sua mata é longe

Eles vão embora

E vão beirando o rio azul

Adeus caboclos, adeus terreiro

Eles vão embora

E vão beirando o rio azul

 

 

Troncos verdes de Jurema

Aonde o pai Oxóssi mora

Troncos verdes de Jurema

Aonde o pai Oxóssi mora

Aonde Jesus passou e disse amém

Nossos caboclos vão embora

Aonde Jesus passou e disse

amém

Nossos caboclos vão embora

 

 

Caboclo pega a sua flecha

Pega o seu bodoque

O galo já cantou

É Zambi que está lhe chamando

Já chegou a hora e Oxalá mandou

 

 

 

 

 

 

 

 

Adeus, Adeus

Adeus que eu já vou embora

Adeus, Adeus

Adeus que eu já vou embora

Caboclo mora tão longe

Só chega ao romper da aurora

Caboclo mora tão longe

Só chega ao romper da aurora

 

 

E vai meu pai / E vai meu pai

Que Zambi está chamando

E vai meu pai / E vai meu pai

Que Zambi está chamando

E foi meu pai / E foi meu pai

Que Zambi já chamou

O sol já surgiu

A lua sumiu

Eles vão embora

Quem fica na terra

Fica com Nossa Senhora

 

 

Mas ele vai embora

Pra cidade de Jurema

Vai com Deus e Nossa Senhora

Pra cidade de Jurema

Ele vai ser coroado

Na cidade da Jurema

Mas ele vai embora

Pra cidade de Jurema

Vai com Deus e Nossa Senhora

Pra cidade de Jurema

Ele vai deixar saudades

Na cidade da Jurema

 

 


Saiba Mais...

RELAÇÃO DAS ERVAS POR ORIXÁS


LINHA DE OXALÁ: arruda, arnica, laranja da terra (folhas), hortelã, poejo, girassol, vassoura branca, erva de Oxalá, erva cidreira, alecrim do campo, levante, alecrim miúdo, bambu (folhas), erva quaresma.

LINHA DAS SENHORAS: lágrimas de Nossa Senhora (folhas), mastruço, rosa branca (folhas), pariparoba, orirí de Oxum, erva-de-santa-luzia, espada-de-santa-bárbara, trevo (folhas), quina roxa, abóbora dantas, vitória-régia, açucena, erva-de-santa-bárbara, malva rosa, suma roxa.

LINHA DE IBEJI: amoreira (folhas), alfazema, salsaparrilha, manjericão, ipecacuanha, anil (folhas), capim pé-de-galinha, arranha gato.

LINHA DE XANGÔ: limoeiro (folhas), erva lírio, café (folhas), saião (folhas), erva-de-são-joão, abre caminho, quebra mandinga, erva de Xangô, quebra-pedra, Rui Barbo, louro, aperta ruã, Maria Nera, erva Moura, Maria Preta, erva de bicho.

LINHA DE OGUM: comigo ninguém pode, espada de Ogum, lança de Ogum, flecha de Ogum, cinco folhas, jurupitã (folhas), jurubeba (folhas), musgo (marinho), ipê (folhas), losna, romã (folhas), sabugueiro, erva-de-coelho.

LINHA DE OXÓSSI: picão do mato, cipó caboclo, barba de milho, mil folhas, funcho, fava de quebranto, gervão roxo, tamarindo (folhas), alecrim do mato, boldo, malvarisco, sete sangrias, unha de vaca, azedinha, chapéu de couro, grama barbante.

LINHA DAS ALMAS: café (grão), guiné pipíu, arruda (folhas), cambará, sete folhas, aroeira (folhas), erva grossa, vassoura preta, cravo de defunto, mal com tudo, cipó cabeludo.
- Jogar os restos do banho em um jardim para que os passáros comam as sementes.

Digite na caixa de pesquisa abaixo o que deseja encontrar no Site

Agradecemos sua visita Volte sempre....

Visite nosso site clique aqui

Traduzir Esta Página

Endereço

Av. Dona Sofhia Rasgulaeff  177.
Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
Telefone:
(44) 3034-5827 (44) 99956-8463
Consultas Somente com Hora Marcada.
Atendimento: de Segunda a sexta-feira
Das 09:00 as 19:00 horas.
Não damos consultas:

 via whatsapp ou via E-mail.



Mapa google

"Que Ogum te Abençoe hoje e sempre".

oxossi1.mp3

Oxossi2.mp3

Oxossi3.mp3

oxossi 4.mp3

oxossi5.mp3

oxossi6.mp3

oxossi7.mp3

oxossi8.mp3

ox9.mp3

oxossi10.mp3

oxossi11.mp3

Banhos na vibração do Orixá Oxóssi

Banho de Oxóssi Um punhado das seguintes ervas: - cipó caboclo - salgueiro chorão - jurema - pariparoba - samambaia - caapeba - carapiá Colocar 5 litros de água para ferver, assim que a água entrar em ebulição adicionar as ervas mexendo com uma colher no sentido horário, tampar a panela desligando o fogo, manter abafado por 4 horas, coar para um balde adicionando mais água do chuveiro, jogar o banho da cabeça aos pés, fazendo uma oração e seus pedidos a Oxóssi. - Jogar os restos das ervas em um jardim

Banho Oxóssi

Banho Oxóssi

Um punhado das seguintes ervas: - alfavaca - samambaia - alecrim do campo - folhas de eucalipto - jurema - salgueiro chorão - pariparoba

Colocar tudo em um balde limpo com água em temperatura ambiente, macerar bem com as mãos.

Deixe descansar 24 hs, coe adicionando mais água e após o banho higiênico,

jogue desde a cabeça aos pés.

- Jogar as ervas que foram coadas em um jardim.

Banho de Oxóssi para prosperidade Ingredientes:

- 1 espiga de milho ralada

- um punhado de painço

- um punhado de alpiste

- um punhado de feijão fradinho

- um punhado de sementes de girassol

Colocar 5 litros de água para ferver, assim que a água entrar em ebulição adicionar os ingredientes mexendo com uma colher no sentido horário, tampar a panela desligando o fogo, manter abafado por 4 horas, coar para um balde adicionando mais água do chuveiro,

jogar o banho da cabeça aos pés, fazendo uma oração e seus pedidos a Oxóssi.

- Jogar os restos do banho em um jardim para que os passáros comam as sementes.

Patuá de Oxossi.


Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.


Conhecendo As cidades Do Paraná

São José do Pinhais - PR

Relação de cidades a até 100 km

CIDADE / UF...KM

Municípios vizinhos de São José dos Pinhais
Pinhais 10.9 km    
Curitiba 13.8 km    
Piraquara 16.5 km
Fazenda Rio Grande 18.2 km    
Quatro Barras 21.9 km    
Araucária 21.9 km
Almirante Tamandaré 26.4 km    
Colombo 26.6 km    
Mandirituba 28.3 km
Campina Grande do Sul 28.9 km    
Campo Magro 31.3 km    
Campo Largo 34.7 km
Contenda 36.4 km    
Morretes 37 km    
Itaperuçu 37.8 km
Bocaiuva do Sul 38.2 km    
Rio Branco do Sul 39.2 km    
Tijucas do Sul 43.4 km
Balsa Nova 44.2 km    
Quitandinha 48.3 km    
Antonina 49.9 km

 

Ao mestre com carinho

Oração a Pai João de Angola

Ogum

Oxum

Yansã

oracões

Xangô

Yemanjá

Oxossi

Oxalá

Oxumarê

Preto-velhos

Caboclos

Boaideiros na Umbanda

Baianos na Umbanda

Marinheiros

Pomba Gira

Maria Padilha

Oração de exu

Banhos de descarregos

Pontos Riscados de Exu

História de Rei Congo

Maria Redonda

Pontos Cantados diversos

Pontos Cantados Orixás

Galeria de Videos

Mensagem do Sr. Zé Pilintra

Pai José da Guiné

Exu Capa Preta

Exu 7 encruzilhadas

Exu Morcego

Mensagem de Pai joão de Angola

Histórias de Vovó Luiza

Atribuição dos Preto-velhos

Ogum Rompe Mato

Ogum Yara

A história de vovó Benedito

Oferenda de Oxum

Oferenda a Xangô

Oferenda de Ogum

Oferenda de oxossi

A Mediunidade, os orixás e os caboclos

Orações Diversas

Os filhos de Omulu

Mensagens de Natal

Porque os exus riem

Cigano Pablo

Cigana Esmeralda

Mensagem de Ogum

Altar virtual

Altar Virtual dos Orixás

Altar dos Preto-velhos

Altar de Nossa Senhora

Altar de ogum

Altar de Oxum

Altar de Exu

Videos de preto-velhos

Descubra o seu Orixá

Livro de Visitas

Livro de Visitas 2

10 erros cometidos por médiuns

A tristeza dos Orixás

Altar na umbanda

Amor palavra de ordem na gira

As falanges de trabalhos na umbanda

Assistência

Atitudes interiores

Bandeira branca de Oxalá

Cantos e palmas num terreiro

Como acontece a gira

Como ler ouvir observar e saber se aquilo é certo

Conduta Moral

Conduta no terreiro de umbanda

Conflitos

Conflitos Familiares

Cores e a umbanda

Cumprimentos e posturas

De olho Fechados

Deus não te Fez para sofrer

Deus salve a Umbanda

O dia de Finados na Umbanda

ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA

Entendendo a inveja

ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA

Expressões usadas na Umbanda

Exu não é fofoqueiro

Exu não é o diabo

Falta de doutrina e comprometimento

Faz caridade fio

Faz o bem sem ver a quem

Fumos e Bebidas

Fundamentação doutrinátoria

Guias e Colares

Hierarquia na Casa de Umbanda.

Humildade

Jogaram uma carga pesada pra cima de mim

Linha de Esquerda: "Exu e ´Pomba-Gira"

Mediunidade na Umbanda

Mediunidade, um passo de cada vez

Mensagem de Caboclo 7 Flexas

MIRONGA DE PRETO VELHO

NÃO ABANDONES O TEU POSTO DE SERVIÇO

Normas dos terreiros

Nossos Umbigos

O maior inimigo da Umbanda

O pequeno universo do umbandista

O Perdão Não tem Contra-indicação

O templo que vos acolhe

OBRIGAÇÕES NA UMBANDA

Obrigado, vovô

Oração do umbandista

Orixá de Cabeça

Os Caboclos na Lição de Pai João

Os médiuns são Parceiros

Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós!

Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orientada

Página inicial textos de Umbanda

Clique aqui.


Deste Site

Pai João de Angola
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • Orações
  • Oxum
  • As pombas giras
  • Maria Padilha
  • Comida de Santo
  • Cosme e Damião
  • Giras de Umbanda
  • Homenagem a Zé Pilintra
  • Xangô senhor da Justiça
  • Yemanjá
  • banho de descarrego
  • Simpatias Diversas
  • Guias Contas e colares
  • Defumações
  • Batismo na Umbanda
  • Conselhos de Preto velhos
  • Escrava Anastácia
  • Marinheros na Umbanda
  • Pai Benedito
  • Homenagem a Tranca Rua
  • Baiano zé do Coco
  • Obá
  • Descarrego de Polvora
  • Ciganos na Umbanda
  • Sara Kali
  • Oxossi
  • Oxumarê
  • Preto-velho na Umbanda
  • Cabocla Jurema
  • Omulu-Obaluaie
  • Altar Virtual
  • Mãe Maria Conga
  • Boiadeiros na Umbanda
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de exu
  • Altar Virtual dos Orixás
  • batizando-na-umbanda
  • Ossãim
  • O que è Caridade
  • Ogum em video
  • Caboclo boiadeiro
  • Ser Médium
  • Pontos e videos de defumação
  • Caboclos na Umbanda
  • Como acontece a Gira
  • reflexão em Videos
  • Conduta moral
  • Anjo da Quarda
  • Curiosidades
  • Intolerância Religiosa
  • Mediunidade
  • Corrente mediunica
  • Orações 2
  • tronqueira
  • Mensagens em slaides
  • Casamento na Umbanda
  • pontos cantados 2
  • Oxalá
  • Sincretismo religioso
  • Caracteristicas dos filhos
  • Altar dos Preto-velhos
  • Exu
  • Umbanda
  • Quimbanda
  • Orações das almas
  • hierarquia na umbanda
  • Livre se da Depressão
  • Reflexões
  • 7 chaves da Felicidade
  • Mensagens Espiritas
  • Tia maria de Minas
  • Minutos de sabedoria
  • Exus e pombas Giras
  • Mensagens de Otimismo e Fé
  • Convite aos Umbandistas
  • 13 de Maio
  • Combatendo o alcoolismo
  • Recomeçar de Novo
  • Superando as Percas
  • Perdoar a si mesmo
  • Decepções
  • Conceito Básico
  • Zumbi dos Palmares
  • Maria Bueno
  • Mini Série Oxum
  • Reconciliação
  • indiferença
  • desencarnar
  • Pontos Mp3 Orixás
  • O Médico dos médicos
  • Livro de Visitas
  • Corrente de Orações
  • Mensagem de Tranca-Rua
  • Conflitos Familiares
  • Amor e Ódio
  • Exu tiriri
  • Um abraço fraterno
  • Prece Aos Caboclos
  • O que Falta na umbanda
  • Mensagem de Vovó Maria Conga
  • Lições de sabedoria
  • Ajudar faz Bem
  • A umbanda que eu amo
  • Preto-velho x Exu
  • Frustrações
  • Batendo cabeça
  • Aprenda a Dizer Não
  • Insatisfação com a Vida
  • Oferenda de Marinheiro
  • Conselhos aos casais
  • Vovó Benta
  • Pai Cipliano
  • O Uso das velas
  • O luxo na Umbanda
  • Salmos Recomendados
  • Yansã
  • Pontos Riscados
  • Como combater a Inveja
  • Nanã de Buroque
  • Pai Guiné
  • Pai Tomé
  • Pai Antônio
  • Prece aos Orixás
  • Altar de Nossa senhora
  • Altar Virtual de Ogum
  • Altar Virtual de Oxum
  • Livro de Visitas 2
  • Ao mestre com carinho
  • Sabedoria de preto-velho
  • Fofocas no terreiro
  • Histórias de Preto velho
  • Aos médiuns da corrente
  • Orixá logum edê
  • História de Vó Cambinda
  • Pai Serafim de Aruanda
  • Pontos Cantados
  • Página inicial
  • descubra seu orixá
  • Assuntos Diversos
  • Oferendas de Exu
  • Oferendas para os Orixás
  • Pomba Gira Cigana
  • Oferendas a Yansã
  • Exu do lodo
  • EXU TATÁ CAVEIRA
  • Povo da Rua
  • Exu serpente
  • Exu Mangueira
  • Oração a Exu chama dinheiro
  • Exu Veludo
  • Oferenda para os preto-velhos
  • Oferenda de Boiadeiros
  • Oferenda ao Caboclo boiadeiro
  • Oferendas Básicas Umbandistas
  • banhos de abertura de caminho
  • Benzimentos
  • Caixa de Pesquisa do site
  • DICIONARIO DE UMBANDA
  • pai-Jeronimo
  • Religiões linhas sagradas
  • oferenda-de-ogum
  • Oferenda de Iemanjá
  • Ogum beira mar
  • Vovo Antonieta da Bahia
  • BARÁ
  • As águas de oxalá
  • Banhos Ciganos
  • Em sintonia com Deus
  • Lendas de Omulu
  • Lendas de Omulu
  • Caboclo pedra Roxa
  • Mensagem de Caboclos
  • Seu Zé Pilintra
  • Oferendas umbanda
  • Padê de Exu
  • Oração a Marinheiros na umbanda
  • Tudo sobre os filhos de Oxossi
  • Encruzilhadas de Ruas
  • Banhos de ervas
  • Lendas de Oxum
  • Prece a Zé Pilantra
  • Oração a santa Sara Kalli
  • Banho de defesa espiritual
  • Nossa Senhora da Conceição
  • Médium e guia
  • Características dos filhos de Ogum
  • Características dos Filhos de Oxum
  • Características dos filhos de Oxalá
  • Características dos filhos de Yansã
  • Características dos filhos de Omulu
  • Ervas e Orixás
  • Características dos filhos de Obá
  • Características dos filhos de Iemanjá
  • Características dos filhos de Oxumaré
  • Características dos filhos de Ossain
  • Características dos Filhos de Ibejis
  •