Em sintonia com Deus


EM SINTONIA COM DEUS
Não sei se já notaram que a maioria das pessoas quando reza ou procura um templo, seja de qualquer religião, vai para fazer basicamente uma coisa: Pedir. Pedimos de tudo desde um emprego até as coisas mais absurdas que a mente humana pode conceber.
Queremos fazer de Deus nosso gênio da lâmpada mágica e exigimos muitas vezes, com o endosso de algumas religiões, a realização de todos os nossos pedidos e desejos pois como somos seus filhos temos o direito de viver nesta Terra como crianças mimadas a exigir tudo de seus poderes.
Muitas vezes até queremos comprar a atenção divina com doações em dinheiro na base do toma lá da cá a fim de obtermos aquele “favorzinho” divino como se Deus fosse um daqueles políticos corruptos que estamos acostumados a ver pela televisão.
Para que Deus realize aquilo que pedimos, ele tem que respeitar uma lei universal criada por sua própria sabedoria, a Lei do Merecimento. Esta lei funciona em sintonia estreita com a lei do karma, ou seja, aquela que diz que o “plantio é livre, mas a colheita é obrigatória”.
Isto quer dizer que quando formos pedir algo seja para Deus ou a um de seus mensageiros que trabalham como guias na terra, temos que ter em mente que, junto conosco, naquele exato momento estão todos os nossos dias pretéritos sejam dessa vida ou de outras.
Enganamo-nos quando pensamos que o mal ou o bem que fizemos ontem ou há 30 anos não irá ter suas conseqüências no momento que, em dor, procuramos a ajuda do mundo espiritual.
Falo em momento de dor porque poucos, muito poucos lembram de agradecer a Ele pela sua saúde, pelo prato de comida ou de ter um teto onde possa dormir.
1- Em primeiro lugar pergunte a si mesmo se aquilo que você está pedindo é realmente aquilo que você precisa.
2- Verifique se a realização de seu pedido não causará danos a terceiros. Ex.: Você pede um determinado emprego ou cargo que resultará na demissão de alguém.
3- Seja sincero e humilde pois nenhum guia espiritual ou mesmo Deus dará ouvidos a pedidos de alguém prepotente cujo ego não cabe dentro de suas roupas.
4- Esqueça a ideia de querer fazer de Deus e seus comandados um Baú da Felicidade.
5- Tenha paciência para esperar porque, às vezes, como num jogo de xadrez é necessário mover-se várias peças para se atingir um determinado resultado.
6- Esteja atento para interpretar os resultados, pois muitas vezes eles chegam cifrados.
7- Pense bem todo seu passado (pelo menos até o momento em que você se lembrar) e no tribunal do seu coração; verifique se aquilo que você pede, você merece.
8- E por último coloque-se por um instante no lugar d’Ele e ao invés de pedir algo pergunte:
O que posso fazer por você? Sintonize-se com seu interior, sintonize-se com Deus.
Que Olorun Deus Seja Louvado.
Para Sempre Seja Louvado!

VOCÊ É MÉDIUM?

Mediunidade é um termo que se propagou através da doutrina espírita kardecista, médium, mediano, sintonia que esta “entre”, esta no meio: sintonia que permite às pessoas estar ligadas mentalmente entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos.
Muita gente já ouviu falar e também já foi surpreendida por uma consulta espiritual em que lhe foi revelado: Você é médium!
Porém, é hora de salientarmos que somos seres constituídos de energia e nos movimentamos além da esfera física.
Como espíritos vivendo no mundo terreno, continuamos a transitar pela dimensão astral. Essa dimensão é o mundo dos espíritos desencarnados. São mundos que se entrelaçam em dimensões diferentes.
A mediunidade é o sexto sentido que nos permite receber as sensações sutis. Todos somos médiuns e interagimos com os espíritos dos mortos.
A maioria das pessoas tem a mediunidade intuitiva, que funciona como um toque sutil que lhe chega aos sentidos como uma orientação de espírito de luz.
Isso acontece porque estamos todos ligados energeticamente.
Podemos sentir a energia emanada nos ambientes e das pessoas à nossa volta.
Sentir um leve mal-estar quando entramos em algum lugar ou quando alguém que amamos não está bem.
Perceber além dos cinco sentidos, isto é mediunidade.
Convencionou-se para o espiritualismo que o médium é um indivíduo intermediário entre os mundos físico e espiritual, podendo transmitir comunicações de outros espíritos, entre outras manifestações chamadas mediúnicas. São diversos os tipos de mediunidades:
Cura, psicografia, clarividência, clariaudiência, pictografia, pisicofonia e incorporação são algumas das modalidades.
Encontramos médiuns naturais e ostensivos.
O médium natural possui seu sexto sentido como todos os outros sentidos e pode desenvolvê-lo naturalmente.
O médium ostensivo é aquele que tem uma grande sensibilidade mediúnica e nasceu com essa aparelhagem parafisiológica apropriada para o intercâmbio.
Tem facilidade para captar as emanações sutis e se não desenvolver seu dom, fica a mercê das influências alheias. Sintomas básicos da mediunidade:
Alterações repentinas de humor; Crises de pânico; Sonambulismo; Passar mal em locais aglomerados; Zumbidos no ouvido sem diagnóstico; Sensação de vertigem e de sair do corpo; Acordar e não conseguir mexer o corpo; Bocejar demais; Medo exagerado do escuro; Sentir-se bem em contato com a natureza; Sentir arrepios frequentes pelo corpo; Ter sempre aparelhos eletrônicos com problemas e quebrados; Quebrar copos com frequência; Fechar os olhos e ver imagens de pessoas; Sonhar sempre com pessoas que já morreram; Muitos pesadelos e dificuldade para dormir.
Mediunidade é uma fenomenologia que requer tratamento e educação.
Ela é uma sensibilidade que nos foi oferecida pela espiritualidade, ao reencarnarmos, para que com o bom uso que fizermos dela possamos colaborar no mundo, como cocriadores na obra divina, entretanto seu mau uso poderá trazer danos irreversíveis ao “eu psicológico” de seu portador. Mediunidade é coisa séria para gente séria…
asé
Pai Mozart de Iemanjá

Vamos aprender?
O Alecrim é um maravilhoso desimpregnador de larvas astrais, razão pela qual deve-se usá-lo na defumação, afasta a energia do mal olhado e harmoniza todo o ambiente.
Queimando o seu caule purifica-se, de forma acentuada, o ambiente onde se encontram pessoas doentes.
Nos banhos de ervas o Alecrim equilibra o emocional, ajuda a perdoar as mágoas e restitui rapidamente a energia perdida.
É uma das ervas que ajudam na depressão e estados permanentes de cansaço por problemas emocionais. É a planta chave da falta de auto estima e aumenta a capacidade de aprendizado ativando o mental e o racional.Erva da juventude eterna, do amor,
amizade e alegria de viver.
Ajuda as crianças com estrutura emocional em desarmonia e atua nos desconfiados, nos que não acreditam em si mesmos, nos que não têm coragem de se lançar em novos projetos.
É A ERVA DA CORAGEM.Essa erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos e usado em escalda pés tira todas as energias negativas acumuladas durante o dia.

  • Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
    Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
    Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
    Consultas Somente com Hora Marcada.
    Atendimento: de Segunda a sexta-feira
    Das 09:00 as 19:00 horas.
    Não damos consultas:
    via WhatsApp ou via E-mail e mensagens de celular.



Esta entrada foi publicada em Assuntos Diversos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.